Marina S. escreveu sobre Hongané Restaurante

Avenida Morumbi, 6774

Bom... porque bom? Confesso que as três estrelas possam ter alguma relação com o fato de eu ter tido receio em experimentar tantos pratos diferentes e exóticos, na apresentação e no sabor! Tinham coisas ali que até agora não faço a mínima ideia do que eram e querendo ou não, isso faz alguma diferença. Para quem curte esse tipo de culinária, sem tirar nem pôr, acredito que o Hondaré seja até um restaurante cinco estrelas!
Hongaré? Hongaré? Onde estava escrito que esse coreano escondidinho na Avenida Morumbi se chamava assim, eu realmente não sei dizer. Mas como a descrição do lugar bate com a opinião daí de cima, e não devem existir muitos outros restaurantes com essa especialidade na região, arrisco a dizer que é o próprio.

Do lado de fora, pregada à parede, a única designação: restaurante coreano. Por isso fique atento, se quiser mesmo comer ali! Uma referência boa para não se perder é a concessionária Chevrolet Prime Brooklin que fica só um pouquinho mais adiante, do outro lado da rua.

Chegamos ao Hongaré, em um sábado às 3h da tarde. Mas não se engane, meus amigos me disseram que no jantar, 21h pra eles já é tarde, hora de fechar as portas. Por isso, logo de cara, recomendo paciência e sorte para acertar no horário da visita a esse lugar!

Quanto à comida, escolhemos um prato que serve, teoricamente, duas pessoas, mas que, na minha opinião, dá até para três. Uma mescla de contra-filé com cebola, shimeji e um molho que não sei definir, mas que era bem saboroso, esse prato acompanha ainda entradinhas variadas, que não são regra, isso porque mudam conforme o dia.

Dessa vez, os acompanhamentos que vieram foram: broto de feijão, uma espécie de repolho apimentado, escarola temperada, berinjela e um negócio branco, que eu não sei o que era, mas foi a entrada de que eu mais gostei.

Depois, bem rapidinho, chegou a travessa com a carne e todos os outros ingredientes ainda crus. Ligada a chapa esperamos que tudo ficasse no ponto e quando o molho começou a secar uma das atendentes regou a carne de novo, porque se tem algo que dá sabor a esse prato é mesmo o molho.
Senti que o diferencial da carne era o fato de ela ter sido bem trabalhada, com um martelinho ou algo como um moedor, porque ela tinha a aparência de carne triturada e na boca era sensivelmente mais macia.

Os atendentes foram bastante atenciosos e prestativos e apesar da maioria ser mesmo de origem coreana entre eles havia um brasileiro que facilitava a nossa comunicação.

Lá por perto, há mesmo muitas opções de ruazinhas para estacionar.
Ambiente
Comida
Atendimento
Custo-benefício
Preço $$$
Denise B. e Lara G. gostaram