Solar Café

Endereço: Mam Museu de Arte Moderna (Avenida Lafayete Coutinho, s/n) , Salvador , BA - Brasil - 41630-440

Telefone:

71 3329-18...

Clique para ver
Categoria:

Café / Coffee Shop

  | Rank: 4º de 112
Preço por pessoa

Bom para
Encontros românticos, Reuniões de negócios

Primeira opinião
João Cappello
Formas de pagamento
Crédito:

cash, credit card
Detalhes
  • Wi-fi


Enviar foto
Como chegar
Salvar favorito
Reportar problema
Escrever opinião
Como chegar - Traçar rota

  • Lugares parecidos
  • Cadastro

http://br.kekanto.com/como-chegar/solar-cafe
Notas específicas:
Ambiente
(12)
Comida
(12)
Atendimento
(12)
Bebida
(12)
Custo-benefício
(12)
Dicas
Ligue para conferir o horário de funcionamento.
Gabriela M.
Beber sangria
Marcus R.
Peça um crepe e um chocolate quente.
Taisa F.
Recomendo o crepe de chocolate com brigadeiro. Surrealmente bom!
Felype A.
Filé surpresa (Maguinífico!!!)
Jéssica M.
Ver mais
Opiniões
O Solar Café do MAM é um restaurante pequeno mas extremamento aconchegante, a decoração é rústica e a vista é de roubar a cena.

Conheci o restaurante durante a Restaurante Week e gostei muito!

Por ficar dentro do MAM o restaurante dispõe de vagas para estacionamento (gratuito).

Dica para as meninas: nada de salto fino! ...ou até chegar ao restô pode levar uma bela queda pois o chão é de pedras.

No cardápio as bebidas são meio "salgadas'...uma H2O sai por 6,90 e as cervejas variam de 7,90 para cima...tendendo a infinito!....brindadeira! rsrs.

De entrada escolhi a bruschetta - estava boa, principalmente sua apresentação mas faltava algo nela... já comi melhores.

Para o prato principal escolhi o filé surpresa - Simplesmente DELICIOSO!!!...divino...super saboroso e com ótima apresentação. Detalhe: o filé é surpresa pois vem servido dentro do pão (tampado) e ao retirar a tampa...thã rãm! =) Adorei a surpresa! srsrs

Para sobremesa experimentei das duas opções - rolinhos com nozes: não gostei muito. Já o Brigadeiro de limão estava delicioso pena que a porção era super pequena.

Agora que conheço com certeza voltarei ao Solar.
Na melhor das hipóteses, parece uma tentativa de protagonismo para tentar readquirir a credibilidade perdida com os seus dramáticos erros do primeiro momento da crise mundial. Explicitou a terrível arrogância que envolve o sistema financeiro internacional, que se apropriou do poder político dos Estados e está estressando o sistema democrático.
Quando nos informa que "as iniciativas tomadas recentemente por líderes europeus podem ser insuficientes para atacar problemas sistêmicos da área do euro"-, se não que os interesses que representa estão acima das leis e dos interesses dos cidadãos de cada país. E que as soluções democráticas que exigem tempo, habilidade e paciência são um estorvo?
Mas realmente apesar de tudo este é um dos melhores lugar que eu já fui...
Um dos meus lugares favoritos para ver o pôr do sol. Além de admirar o clima do MAM é ótimo ficar naquele ambiente rústico e antigo conversando e vendo aquela vista maravilhosa.
Os crepes são maravilhosos. Sempre acabo pedindo o Barra ou o Plataforma. Os crepes doces também são maravilhosos, o que é feito com uma barra de chocolate derretido e raspas de chocolate é excelente!
Se der sorte e conseguir pegar uma das mesas em frente ao cais..o espetáculo é garantido.
Nota: 6,5
Fim de feriadão tranquilo e gostoso, na minha opinião, combina com café. E era um lugarzinho confortável e aconchegante que buscávamos quando, após descobrir que meu bistrô francês preferido tinha fechado, encontramos o Solar Café, no charmoso Museu Rodin (Graça).

O desejo da noite: um crepe diferente e apetitoso. Como a lista de crepes do Solar era extensa, parecia que tínhamos encontrado um substituto, mas a noite acabou sendo de altos e baixos. 

O atendimento: 6
Quando chegamos, os melhores lugares já estavam ocupados. Sentamos numa mesa com apenas 2 cadeiras perto da cozinha. Os cardápios rapidamente chegaram, o garçom conseguiu uma cadeira a mais para eu pôr minha bolsa.
Enquanto escolhíamos nosso pedido, no entanto, uma garçonete veio nos perguntar se queríamos algo da cozinha, que encerrava às 20h. Como já eram 19h55, corremos para escolher logo os crepes e as sobremesas, já um pouco chateados por não termos sido avisados disso assim que chegamos, às 19h45, afinal, comer correndo é muito ruim.
Para piorar, a sobremesa sugerida com um display sobre a mesa e um cartaz na parede que me deixaram morrendo de vontade não estava saindo. Pedimos, então, um crepe doce. Poucos minutos depois, a garçonete retorna dizendo que abrir a massa para aquele crepe demorava e por isso teríamos que trocar nosso pedido. Triplamente decepcionados, escolhemos ficar apenas com os crepes salgados.
Enquanto esperávamos (os pedidos chegaram no tempo certo), comecei a tomar nota das singularidades do cardápio, quando fui chamada à atenção por um garçom: “Desculpe, mas é proibido copiar o cardápio”. Quando expliquei o propósito das minhas anotações, contudo, fui liberada. Achei a situação toda muito constrangedora, então não cometam o mesmo erro que eu.

O local: 8
Só o fato de ficar dentro da área de um museu no Corredor da Vitória faz com que o café ganhe pontos. Para quem não sabe, o Museu Rodin fica na avenida que é oficialmente considerada 7 de Setembro, próximo ao Mc Donald’s da Graça. Há seguranças na portaria, o que não inibe a presença de guardadores de carro que voaram como abutres sobre a gente. O único ponto negativo da localização é mesmo não ter estacionamento.

O ambiente: 9
O espaço, que é aberto e bem iluminado, é decorado com mesas de madeira de diversos tamanhos e alturas, e sofás coloridos.  Ao redor do ambiente, esculturas de Rodin dão um toque especial ao local, que fica atrás de um dos casarões brancos do museu. Muito lindo.

A comida: 5
Assunto delicado, pois gosto é uma coisa muito pessoal, ok? Dito isso, posso falar a verdade: nós não gostamos. Escolhemos entre a vasta lista de crepes que levam nomes de bairros de Salvador, o Itapuã (crepe aberto de siri, queijo, gergelim e tomatinhos – R$19,90). Achamos que a mistura ficou um pouco sem graça, mesmo com bastante azeite, e ao mesmo tempo enjoativa. O ponto positivo é que a porção é grande. Para ser justa, admito a possibilidade de termos dado azar no pedido. A seguidora da nossa Fan Page Caroline Almeida afirma que “o crepe Plataforma do Solar Café é divino”. O cardápio é bastante variado com petiscos que vão de torradinhas a salsichão alemão, passando rolinhos de salmão, saladas com ingredientes interessantes, caldos, sanduíches bem diferentes e tortas, além dos cafés, drinks tradicionais (caipiroskas, mojitos, etc.).

A conta: 4.
Para comer correndo dois crepes que não gostamos, achamos R$47 caríssimo. O preço, no entanto, é similar ao de estabelecimentos do gênero em Salvador. A minha boa e velha Aquarius custou R$3,80.

A média: 6,5.
Ao final da nossa visita, a gerente veio conversar com a gente. Disse a ela o que direi a vocês: “chegamos no fim do expediente”, então as coisas realmente não estavam do melhor jeito possível. Achei que faltou cuidado: no momento de avisar o término do expediente, no deixar sobre a mesa o display com a sugestão de uma sobremesa que não estava sendo servida, no aviso de que era proibido “copiar” o cardápio, enfim. Some-se a isso, o fato de que não apreciamos o prato e não tivemos a chance de pedir outro para mudar de ideia e os guardadores de carro na porta, saímos de lá bem frustrados.

De toda forma, a singularidade do Palacete das Artes Rodin faz toda a diferença para darmos um voto de confiança ao Solar Café e indicar que você leitor visite o local e deixe aqui sua opinião sobre outros pratos, cafés e sobremesas.
O Museu de Arte Moderna da Bahia é um dos melhores espaços culturais de Salvador. Além da bela arquitetura, cinema alternativo, parque de esculturas e das exposições que passam por lá, tem uma vista maravilhosa da Baía de Todos os Santos, a qualquer hora do dia ou da noite.
A programação semanal já é conhecida: aos sábados, no início da noite, a Jam no MAM é um super programa, aos domingos, as crianças se divertem no Pinte no MAM. O que faltava lá, então? Faltava o Solar Café!
Aberto no Museu Rodin Bahia desde 2010, o Solár Café foi reinagurado no MAM em 2011. É um restaurante muito charmoso e confortável, com cardápio que contempla refeições, lanches e café (sim, claro, né?).
Já almocei lá no Museu Rodin algumas vezes, mas dessa vez estivemos no MAM para o lanche da tarde. Escolhi o crepe "Piedade", recheado com calabresa picante e queijo, acompanhado de suco de limão com gengibre: Delícia!
Aceitando a sugestão no quadro, pedimos um fatia de torta de chocolate e doce de leite. Que sugestão boa, viu?
Depois da comilança, fomos - bem felizes :D - ver as exposições. O dia não podia terminar melhor!
Requinte, simplicidade e muito sabor. O Solar Café trouxe um conceito inovador pra Salvador: boa comida em espaços destinados à arte. Com duas unidades na capital, uma no MAM, Museu de Arte Moderna da Bahia, e outra no Palacete das Artes - Museu Rodin, baianos e turistas podem apreciar a arte e o melhor da gastronomia contemporânea. Ambiente charmoso, aconchegante e com muita história. No menu, é possível experimentar o melhor da cozinha contemporânea com criações exclusivas e bem interessantes. Tem tbm massas, filés, frutos do mar, saladas, crepes, entradas quentes e frias e sanduíches deliciosos que podem ser saboreados com cafés gelados, cafés ‘batizados’ e drinks diversos. Nas sobremesas, destaque para o brigadeiro servido na colher e tortas caseiras deliciosas. Atendimento atencioso e simpático!
Muitoo bom esse lugar...Indico muuuitoo!
Exibindo de 1 a 14
Total de opiniões: 19

Nota geral Você conhece o Solar Café? Escreva uma opinião! Dê sua nota!
Passe o mouse pelas estrelas clique para dar nota

Opinião
Para enviar fotos ou preencher os campos adicionais, faça seu (Você não perderá a opinião escrita)