Casa do Norte do Martinho

Endereço: Av Corifeu de Azevedo Marques, 1338 , Butantã - São Paulo , SP - Brasil - 05359-001

Telefone:

(11) 37221...

Clique para ver
Categoria:

Bares e Botecos

  | Rank: 280º de 1140
Preço por pessoa

Bom para
Happy hour, Cerveja, Encontros românticos

Primeira opinião
Elder Puggina
Formas de pagamento
Crédito:
Débito:

cash, credit card, debit card

Como chegar
Favorito
Sou dono
Reportar problema
Escrever opinião
Como chegar - Traçar rota


http://br.kekanto.com/como-chegar/skina-do-martinho-casa-do-norte
Notas específicas:
Ambiente
(10)
Comida
(10)
Público
(10)
Atendimento
(11)
Bebida
(10)
Custo-benefício
(9)
Dicas
Caldinho de Piranha.
Elder P.
Sábado tem uma ótima feijoada!
Francisco C.
Às quartas e sábados servem também feijoada no almoço!
Denise D.
Cachaças
Verônica L.
Opiniões
Qual é a alegria da criança num sábado à tarde? Tomar uma cachacinha...hehehe
Paramos lá para comer algo e experimentar uma cachaça. O local é bem simples, e tem mesinhas dentro e fora. É bem simples, e achei a decoração bem legal, há muitos objetos que remetem ao Nordeste pendurados no teto, e tem uma cabeça de boi bem maneira também :P
Bom, como a casa tem uma grande variedade de cachaças, resolvi pegar uma mineira, chamada "Estação de Minas", que custa R$ 6,00. Essa cachaça é super saborosa e leve, e se você estiver em dúvida em qual pedir, peça essa. Depois, experimentei a cachaça "Santo Grau", que custa R$ 8,00, mas a achei muito forte. Há também inúmeras cachaças do Norte, mas não experimentei nenhuma dessa vez, e o mais divertido são os nomes das marvadas. Eu ri muito com o cardápio. A caipirinha de pinga grande custa R$ 15,00, e achei que estava bem gostosinha.
Como não fomos para almoçar, resolvemos apenas pegar uma porção de fritas, que custou R$ 18,00, elas estavam normais, nada de espetacular, mas estavam boas. Vi que no cardápio, há muitas comidas típicas, e espero poder experimentar um dia, hehe.
O atendimento é normal, os nossos pedidos vieram logo, e os garçons são normais.
Já frequentei essa casa do norte algumas outras vezes, no ano passado, para tomar uma cerveja com os amigos e bater papo à noite. Desta vez fui almoçar com o namorado.

Só pela localização o restaurante já ganhou muitos ponto comigo: na Av. Corifeu, bem visível aos que passam, impossível de não ser reconhecida. Estacionar pode ser complicado, principalmente nos horários de maior movimento (na hora do almoço e à noite, nos fins de semana); o jeito é procurar uma vaga na rua mesmo.

O ambiente é bem agradável e remete às casas e botecos nordestinos, com adereços e móveis tradicionais. Nas primeiras vezes que fui fiquei numa mesa fora do restaurante, onde é bem mais arejado e espaçoso; nesta última, tive que ficar dentro, pois não havia mesas do lado de fora, mas como não estava calor, não sofri nenhum desconforto.

Os pratos do cardápio são servidos de duas maneiras: individual ou para duas pessoas. Não sei ao certo o tamanho da refeição individual, mas a para duas pessoas realmente é muito grande! Tanto o Escondidinho (carne seca, abóbora e purê de mandioca) quanto o Baião de Dois (feijão de corda, arroz, carne seca e linguiça) são servidos em porções bem fartas, dá para duas pessoas e sobra! Neste almoço, no sábado, ofereceram também como acompanhamento do dia, costela de porco, de boi ou galinha caipira; ficamos com a costela de porco.

Para beber, há sucos, refrigerantes, cervejas e cachaças exóticas, tudo num preço bem convidativo. Tanto as refeições quanto as porções servidas estão com preços bem legais (as refeições para duas pessoas variam entre 25 e 35 reais, por exemplo).

O atendimento é satisfatório, os garçons e garçonetes são sempre gentis. A Skina do Martinho é um perfeito lugar para quem quer comer muito de uma comida diferente gastando pouco.
Primeira opinião do lugar
Pra quem gosta de bares incrementados, pode parecer um lugar estranho para se ir. O Skina do Martinho (mais conhecido como Casa do Norte) fica localizado próximo à USP, entre as avenidas do Rio Pequeno e Corifeu de Azevedo Marques, sendo muito fácil de se chegar.
Num almoço de família da casa da minha namorada, o pai dela comentava dos famosos caldinhos de piranha desse bar, foi então que decidimos ir experimentar. Para mim um caldinho de piranha é um tanto quanto exótico.
Como conhecia a região, foi fácil chegar. Sem muito segredo. Chegando lá, a cara do lugar não é tão animadora, mas se o caldinho era tão famoso e tão comentado, então não teria porque não entrar no bar. Não tinha estacionamento para guardar o carro, mas há muito lugar disponível na rua. E não tinha flanelinha, isso é muito bom.
É um bar de esquina (como o próprio nome já diz) bem simples mas cheio de decoração que remete à cultura do norte do nosso país. Na entrada tem uma cabeça de boi pendurado na parede. Pudemos visualizar um mural cheio de fotos de personalidades famosas que já conheceram o bar, como a Patrícia Poeta, Martinho da Vila, etc. O bar estava surpreendentemente cheio pelo horário e por ser meio de semana, mas encontramos um lugar para sentarmos. Recebemos um cardápio e logo visualizamos o que eu queria. O caldinho de Piranha. Mas também tinha caldinho de Sururu, uma espécie de molusco que fica entre conchas do mar. Fiquei em dúvida mas optei pelo de Piranha que já sabia algo há respeito. Minha namorada pediu caldinho de feijão. Todos os caldinhos custam R$ 6. Pra acompanhar, pedimos algo mais tradicional. Uma porção de queijo coalho à milanesa (R$ 16). E pra beber, cervejas pilsens tradicionais e premium (serramalte, Original e Brahma Extra). Pedimos 2 Serramaltes (R$ 6 cada).
Tudo foi pedido junto. Meu caldinho de piranha chegou bem rápido, soltando fumacinha de tão quente. Enquanto eu dava a primeira colherada chegou providencialmente a Serramalte geladinha. Providencial porque o caldinho estava muito quente. Logo de cara fiquei contente com minha escolha, o caldinho é simplesmente delicioso. A carne da piranha fica no fundo da tigela e é uma delícia também. Bem temperadinho e ardido na medida certa.
Passado uns 5 minutos chegou a porção de queijo coalho à milanesa. E minha namorada continuou sem o caldinho de feijão, mas a atendente nos deu satisfação sem precisarmos pedir, o caldinho dela estava quase pronto, estava esquentando.
Então fomos experimentar o queijo. Pedaços pequenos e bem gordurosos. O sabor estava bom, mas estava encharcado de óleo (do próprio queijo). Formou uma poça de óleo pelo pratinho da porção. Poderiam ter deixado secar um pouquinho mais antes de servir. Mas não me importei muito, estava me deliciando com o caldinho de piranha. E depois de 10 minutos chegou o caldinho de feijão, já estávamos precisando da segunda garrafa de cerveja da noite. Pedimos e essa veio rápida.
O caldinho de feijão era ralo e bem temperadinho. Mas sentimos falta de acompanhamentos, como torresmo e salsinha por exemplo. Mas não decepcinou, apesar de poderem melhorar.
Acabamos de tomar a segunda Serramalte que estava numa temperatura ótima e combinou muito bem com os caldinhos e pedimos a conta, pois estava muito tarde. Demorou um pouquinho pra trazerem, mas veio a surpresa. Eles não cobram taxa de 10%, algo bem raro de acontecer.
Pagamos com débito (a casa aceita cartões) e fomos embora satisfeitos pensando em voltar para experimentar o caldinho de Sururu e os escondidinhos que a casa tem, parecem ótimos.
Pra quem gosta de bares incrementados, pode parecer um lugar estranho para se ir. O Skina do Martinho (mais conhecido como Casa do Norte) fica localizado próximo à USP, entre as avenidas do Rio Pequeno e Corifeu de Azevedo Marques, sendo muito fácil de se chegar.
Fomos atraídos pelos famosos caldinhos desse bar. Como conhecia a região, foi fácil chegar. Sem muito segredo. Chegando lá, a cara do lugar não é tão animadora, mas se o caldinho era tão famoso e tão comentado, então não teria porque não entrar no bar.

Há muito lugar disponível na rua para estacionar o carro. É um bar de esquina (como o próprio nome já diz) bem simples mas cheio de decorações que remetem à cultura do norte do nosso país. Logo na entrada tem uma cabeça de boi pendurado na parede. Pudemos visualizar um mural cheio de fotos de personalidades famosas que já conheceram o bar, como a Patrícia Poeta, Martinho da Vila, etc.

Recebemos um cardápio e logo visualizamos o que queríamos. O exótico caldinho de Piranha e o caldinho de feijão. Mas também tinha caldinho de Sururu, uma espécie de molusco que fica entre conchas do mar. Todos os caldinhos custam R$ 6,00. Pra acompanhar, pedimos algo mais tradicional. Uma porção de queijo coalho à milanesa (R$ 16,00).

Para beber, cervejas pilsens tradicionais e premium (Serramalte, Original e Brahma Extra, R$ 6 cada).
Meu caldinho de piranha chegou bem rápido, soltando fumacinha de tão quente. Enquanto eu dava a primeira colherada chegou providencialmente a Serramalte geladinha. Providencial porque o caldinho estava muito quente. Logo de cara fiquei contente com minha escolha, o caldinho é simplesmente delicioso. A carne da piranha fica no fundo da tigela e é uma delícia também. Bem temperadinho e ardido na medida certa.

A porção de queijo coalho à milanesa eram pedaços pequenos e bem gordurosos. O sabor estava bom, mas estava encharcado de óleo (do próprio queijo). Formou uma poça de óleo pelo pratinho da porção. Poderiam ter deixado secar um pouquinho mais antes de servir. Mas não me importei muito, estava me deliciando com o caldinho de piranha.

Depois chegou o caldinho de feijão, era ralo e bem temperadinho. Mas sentimos falta de acompanhamentos, como torresmo e salsinha por exemplo. Mas não decepcionou, apesar de poderem melhorar.

Quando pedimos a conta, demorou um pouquinho pra trazerem, mas veio a surpresa. Eles não cobram taxa de 10%, algo bem raro de acontecer. Fomos embora satisfeitos pensando em voltar para experimentar o caldinho de Sururu e os escondidinhos que a casa tem, que parecem ótimos.
Sempre frequentei a casa do norte do martinho (Ou simplesmente casa do norte) durante minha estadia no IF-USP. Acho que foi por isso que demorei 10 anos para me formar!!!
O local é agradavel, temos as opções de ficar fora, ou dentro do local. A decoração é tipica e o atendimento é bom.
Sempre que vou peço uma cervejinha antes da comida. Para comer sempre preço o baião de dois, R$27,00 para 2 pessoas, com costela como acompanhamento. Não esqueça de pedir umas fatias de pão, quando acaba a costela, sobra o caldo que vai super bem com pão.
A Casa do Norte é um ótimo lugar pra happy hour. Além de pratos quentes, eles tem várias porções e caldinhos! ;)
Minha dica fica pro bolinho de mandioca com carne seca.

O bolinho é sequinho por fora e bem cremoso por dentro! E fica ótimo com a pimentinha deles. Essa porção custa R$16.

Outra boa pedida são os pastéizinhos de carne e/ou queijo, a porção com 10 custa R$10.

Se for em turma vale a pena pedir várias porções. No final, dividindo entre a galera sai baratinho!

O caldinho deles também é ótimo! Tem de feijão, fava e PIRANHA!!! Dessa vez pedimos o de piranha para experimentar e a surpresa foi ótima!!

O caldinho de piranha é uma delícia! Nossa amiga, que já comeu piranha, disse que tem gosto de piranha mesmo! Pra gente que é leigo, não tinha como saber né? Mas já aviso que o sabor é forte, pra quem não está acostumado, pode não agradar.

Da outra vez que fui tomei o de feijão e minha amiga o de fava (que vem com carne seca e linguiça).

Os caldinhos vem sempre acompanhados por uma porção de pães! E no friozinho à noite, cai como uma luva no estômago!! hehehe

Fica a dica!
A Casa do Norte é um barzinho legal para um happy hour com os amigos e mesmo para algumas refeições tipicamente nordestinas. Vim pela primeira vez com o pessoal da minha república, pois fica bem perto de onde moramos. Não tinha jantado e aproveitei para experimentar um 'baião de dois', muito bem preparado e saboroso. Pedimos algumas cervejas, todas na faixa de preços comerciais.

A decoração do lugar é bacana, há muitos adereços pendurados no teto e a disposição das mesas no que seria a calçada do lugar torna o ambiente bem descontraído, ponto de encontro de vários universitários que moram nas redondezas (fica pertinho da usp e das moradias estudantis da Vila Indiana). Um ponto que me chamou a atenção são as diversas cachaças que são vendidas aqui e que levam nomes engraçados, fiquei uns 10 min lendo e rindo.

Voltei algumas vezes para os meus almoços de final de semana, aqueles quando você não está com preguiça de cozinhar ou de ir até o bendito bandejão almoçar (ninguém merece o restaurante universitário no final de semana!). Garanto que o escondidinho daqui é uma delícia, vale a pena conferir. Fica a boa recomendação desse lugar!
Local bastante movimentado, principalmente aos finais de semana. As Sextas e aos Sábados o movimento é da região é bastante suspeito, principalmente do boteco ao lado. Devido a este, fica impossível sentar aos nesses dois dias, sendo que muitas vezes as pessoas ficam na rua e na "pracinha" ao lado. Sinceramente eu acho o local perigoso nesses dias, tanto é que já houve um tiroteio certa vez no boteco ao lado da Casa do Norte.
Quanto ao local em questão, o atendimento deixa um pouco a desejar, o banheiro é bem ruim (percebe-se que foi improvisado) e o local é relativamente pequeno. O preço (em relação ao ambiente) é um pouco caro. Já a parte das comidinhas de boteco, pedi apenas uma vez, são muito boas.
Como ex-vizinho do Skina do Martinho (ia à pé), devo dizer que este bar me conquistou à primeira vista. Antes havia uma padaria bem insossa no local. O local é MUITO simples, mas as porções e os pratos são deliciosos. Recomendo o Arrumadinho (feijão verde, carne seca , farofa e vinagrete) e o Escondidinho de Carne Seca. Sensacionais! Os pratos são bem servidos e BARATOS demais. A porção para 2 pessoas serve 3 a 4 pessoas tranquilamente.

O ponto fraco é o atendimento. As garçonetes até tem boa vontade, mas se você tem pressa em receber a cerveja ou os pratos, esse não é o lugar para você.

Mas recomendo!

www.botecosdesampa.com.br
A Casa do Norte é um boteco de esquina que fica perto da minha casa. Ele também é perto da USP, então é frequentado por muitos estudantes. Mesmo assim, não achei os preços muito baratos. Uma cerveja de garrafa custa R$ 7 (tem heineken de 600ml). A caipirinha tem dois tamanhos (normal e grande) e custa R $ 12.
Este final de semana experimentamos o escondidinho de carne seca, que é bem servido, já que pedimos a porção individual e deu para duas pessoas tranquilamente. Mas parece que demos azar, porque todo mundo fala muito bem do escondidinho, mas no nosso caso, ele veio frio. E pedimos batata frita também, e ela também veio fria. E demorou pra chegar também. Espero que tenha sido azar.
Das outras vezes que fomos, pedimos só bebidas e algo para beliscar. A janta não foi lá estas coisas.
Se tivesse que dar uma nota, seria 5.
Exibindo de 1 a 14
Total de opiniões: 16

Nota geral Você conhece o Casa do Norte do Martinho? Escreva uma opinião! Dê sua nota!
Passe o mouse pelas estrelas clique para dar nota
Título da opinião

Opinião
Para enviar fotos ou preencher os campos adicionais, faça seu (Você não perderá a opinião escrita)