Piratininga Bar

Vídeo do estabelecimento Foto Piratininga Bar - Pubs - Pinheiros imagem 1 Foto Piratininga Bar - Pubs - São Paulo imagem 2 Foto Piratininga Bar - Pubs imagem 3 Foto Piratininga Bar - Pinheiros imagem 4 O sushi é um inusitado destaque num piano-bar com tema anos 30 imagem 5
Veja as
78 fotos

Endereço: Rua Wisard, 149 , Vila Madalena - São Paulo , SP - Brasil - 05434-080

Telefone:

11 3032-97...

Clique para ver
Categoria:

Pubs

  | Rank: 14º de 68

Chope e cerveja,petiscos, Sushi bar, Piano bar, música ao vivo todas as noites 

Preço por pessoa

Bom para
Happy hour, Cerveja, Drinques, Relaxar

Primeira opinião
TomManfrinatti
Formas de pagamento
Crédito:
Débito:

cash, credit card, debit card
Horário de funcionamento
Seg.
18h - 2h
Ter.
18h - 2h
Qua.
18h - 2h
Qui.
18h - 2h
Sex.
18h - 3h
Sáb.
18h - 3h


Detalhes
  • Ar condicionado
  • Aceita reservas
  • Mesas ao ar livre
  • Inaugurado em 1992
  • 100 lugares
  • Wi-fi
  • Couvert artístico: 12 a 15
  • Música: ao vivo todas asnoites


Como chegar
Favorito
Reservar mesa (grátis)
Reportar problema
Escrever opinião
Como chegar - Traçar rota


http://br.kekanto.com/como-chegar/piratininga
Notas específicas:
Ambiente
(25)
Comida
(24)
Público
(23)
Atendimento
(25)
Bebida
(24)
Custo-benefício
(18)
Dicas
Fique no mezanino,é mais tranquilo.
Simone C.
Se quer um programa romântico, sente-se no cantinho do piso superior.
Simone A.
Não deixe de bater um papo com o dono, o Pedro.
André C.
Passarinho, o barman, faz um dos melhores mojitos que já tomei.
Malu M.
Ir numa happy hour ouvir piano
solange d.
Ver mais
Opiniões
Conheci o Piratininga em um evento do Kekanto. A casa não é das maiores e nós nos acomodamos no mezanino, perto do piano e da escada. O estabelecimento me pareceu bem aconchegante,preservando características como as das casas antigas que havia na cidade, etc. Creio que este bar recebe um público bem variado, entre amigos, casais, jovens e pessoas mais maduras.

Os petiscos eram muito saborosos e fresquinhos, ponto positivo. O ponto negativo fica por conta do chopp que não veio tão gelado como esperávamos e com muito colarinho. No cardápio observei que os preços não são lá muito animadores, mas com o desconto oferecido em alguns pratos no dia acho que até valeria a pena experimentar. Para que gosta, a casa serve alguns quitutes orientais. O atendimento estava um tanto quanto "embaraçado" mas todos os pedidos chegaram corretamente, às vezes só com um pouco de demora.

Ao entrar e sair, percebemos que do lado de fora, onde há algumas mesas, há um aquecedor que deixa o clima bem interessante, mesmo numa noite chuvosa como naquele dia. Gostei bastante do jeitão de bar tradicional do Piratininga; recomendo para quem gosta de uma boa música, em um bom local e não está preocupado em pagar um pouco mais por isso.
Minha primeira visita ao Piratininga, de muitas que virão, foi pelo 25º evento Kekanto SP. Tive ótimos momentos com pessoas ótimas, como em todos os eventos do Kekanto!
O ambiente é bem legal, puxando para o rústico/antigo com tijolos expostos madeira, um carro antigo na porta, o qual foi sorteado um passeio nele pela região no dia!
Eu gostei bastante do bar, achei aconchegante, simples, bom para ir com amigos, beber conversar e curtir uma banda ao vivo. No dia, quinta-feira, estava rolando o show de uma banda, que tocava rock/pop e o som dos caras era bem bacana, fiz até um videozinho e conversei com o vocalista que era muito gente boa, pedindo autorização para isso (link da banda do Raul Coutinho que estava mandando um somzinho ao vivo https://www.facebook.com/photo.php?v=3117099101736&set=vb.1692266946&type=3&theater ) .
De dia de semana é cobrado 12 contos do couvert artístico e aos fins de semana e feriados é cobrado 15 contos.

Eu gostei dos salgados, simples, porém mesmo os bolinhos fritos eram bem sequinhos, os preços dos salgados e dos petiscos eram normais, nem muito barato nem muito caro, o cardápio tinha sushi, o qual estava bem razoável, considerando que sou bem exigente para comida japa. O preço das bebidas também é bom e para quem curte “entornar”...( Você pode encontrar informações mais específicas no cardápio deles – link: http://www.piratiningabar.com.br/images/cardapio_piratininga.pdf
.

A única coisa chata é que o estacionamento de lá não aceita cartão.
Conheci o Piratininga Bar graças ao evento do KK.
O bar não é muito grande, mas em compensação é bem aconchegante. Luz baixa, mesas pequenas, tudo bem arrumadinho e acolhedor.
Possui mesaninos e na parte superior música ao vivo. O cardápio conta com uma parte reservada aos pratos japoneses, o q eu achei bem legal.
Os preços são razoáveis, a média do q se cobram na Vl Madalena.
Muito bacana os instrumentos presos a parede, inclusive me amarrei num balão que tem bem no meio do teto...hahaha, achei super divertido.
O bar lembra muito uma casa estilo jazz. Possui club de whisky e o atendimento é muito bom.
Levei muito tempo para conhecer um dos bares mais emblemáticos da Vila Madalena: o Piratininga. Localizado numa casinha centenária na Rua Wisard, o local parece já não atrair tanto as novas gerações e, de certo modo, foi sendo um pouco esquecido no meio do batalhão de novos estabelecimentos que abrem no bairro toda a semana.

Em parte isto se deve a uma mudança no perfil do público, mas principalmente, pelo o aumento significativo da concorrência. O Piratininga é como um templo de resistência de uma boemia romântica e idealista cada dia mais rara (infelizmente) – movida outrora por uma velha-guarda profissional.

Algumas adaptações talvez sejam fruto de uma tentativa de atrair um público distinto do habitual, como por exemplo, oferecer comida japonesa (o próprio local se vende hoje em dia como Piano-sushi). Um piano-bar, com tema de anos 30 e comida japonesa é algo realmente inusitado. Eu acabei – de tanto conversar com a galera no evento do Kekanto, o qual eu estava presente – não comendo nem os quitutes japoneses, nem outras opções do cardápio. Não pude avaliar a comida, portanto.

O Piratininga está na Vila Madalena desde 1992 e como o próprio site do local revela, foi o primeiro bar a oferecer chope na região (os barris tinham de ser comprados diariamente na própria distribuidora, pois não havia entrega no bairro). No aconchegante e charmoso salão do piano-bar também já passaram muitos músicos (o local sempre teve uma forte veia musical, com apresentações todos os dias).

É inquestionável o encanto do lugar, que exala história. O seu maior bem está, creio eu, na própria equipe. A começar pela clássica figura do barman Passarinho – que deveria entrar no rol dos personagens mais importantes da noite paulistana. E também pelos garçons especialíssimos, de verdade, difíceis de encontrar hoje em dia em que tudo é muito padronizado e artificial. Não poderia deixar de citar, igualmente, a simpatia e receptividade do casal que comanda o pedaço, os jornalistas Vera e Pedro.

Parei para trocar uma ideia com o Pedro – ele no uísque e eu no chope – junto ao longo balcão de madeira do bar, que me revelou (apontando para o formato ondulado), foi construído por suas próprias mãos a partir das sobras de material do teto – após uma reforma realizada no local.

O que seria apenas uma conversa rápida acabou por durar uns quarenta minutos! E isto porque eu tinha hora para ir, do contrário poderia ter esticado o papo agradável até a madrugada. Sem dúvida nenhuma só um bate-papo com o Pedro ali no balcão, ou nas mesinhas da calçada, a tomar umas doses de uísque, já vale um retorno.

Pedro ainda sustenta um velho ford 29, impecável, que deixa estacionado na porta do bar para dar umas voltas com os clientes pelo bairro. Tive a oportunidade de rodar um pouquinho no carro, num passeio cheio de emoção pelas ladeiras da Vila Madalena. Muito legal!

Por sua tradição, sua equipe e seu ambiente encantador, a passagem pelo Piratininga é obrigatória a todos que desejam se aprofundar mais na história da boemia de São Paulo.
Ambiente muito gostoso e despojado, bom para casais ou mesmo com casais de amigos. Boa música ao vivo, só um pouco alto para conversar, se a casa estiver cheia.
Ficamos no mezanino, pertinho do cantor. CCR, e outras bandas do gênero foram cantadas. Os salgados servidos no evento do kekanto deixaram um pouco a desejar, tanto é que eu estava pensando em levar amigos hoje, resolvi escolher outro lugar por causa desse detalhe.
Há mesas na calçada para os fumantes, incluindo um aquecedor o que torna esse cantinho mais aconchegante. Como fui ao evento, não paguei o couvert artístico.
Em mais um evento promovido pelo Kekanto, a galera esteve presente para conhecer a casa e experimentar os comes e bebes.

Local bem legal, e que ao menos para mim aparentava ter quatro ambientes diferentes: algumas mesas em frente à porta do bar, com um quentinho MARAVILHOSO dos aquecedores; mesas logo após a entrada bem em frente ao balcão do bar, que também tinha umas banquetas; mesas ao fim do primeiro lance de escadas, e por fim o mezanino logo após mais um lance de escadas: era ali que ficava um charmoso piano, e onde os músicos da noite tocavam, por sinal MUITO BONS!

Rock do bom era tocado no melhor estilo "unplugged": U2, Creedence Clearwater Revival, Foo Fighters e outras bandas tiveram suas músicas primorosamente tocadas no violão e acompanhadas por uma suave bateria (aquela caixa e umas baquetas todas diferentes)... boa roqueira que sou gostei muito!

Com uma decoração super bacana, o projeto de iluminação propiciava uma luz toda especial, que criava um clima de paquera aos solteiros e romance aos casais... e para quem nem se ligou ou captou a aura "love is in the air", ou seja, para o pessoal que só estava revendo amigos e curtindo uma cervejinha e uns bons drink, a luz baixa acalmava qualquer vestígio de estresse causado pela correria do trabalho.

Infelizmente não poderei opinar a respeito das bebidas alcóolicas, porque a medicação que estou tomando era incompatível com álcool: tomei apenas dois sucos de abacaxi bem caros (R$ 8,50), e que ainda por cima não estavam bons... Aliás, não vi vantagem alguma para os abstêmios acompanharem seus amigos, porque a tônica Schweppes custava absurdos R$ 6,80 e o refrigerante R$ 5,20! Ok, o foco de um bar sempre será o álcool, mas não precisa arrancar o couro de quem não curte um bom goró. Eu também achei as porções extremamente caras, e preferi sair de lá com fome... não tive coragem de desembolsar R$ 22,00 nas porções comuns.

Enfim, o lugar é legal mas não sei se voltaria pelos valores do cardápio... de qualquer forma curti a visita! Não dou mais estrelas porque não tive uma experiência mais completa... =)
Se eu tive uma agradável surpresa na Vila Madalena, essa surpresa ficou por conta do Piratininga Bar: um tesourinho do bairro, com mais de 20 anos de histórias e um charme que só existe lá. Aliás, o nome desse bar já vem carregado de significado: República do Piratininga foi o primeiro nome de São Paulo e o "Pira", em homenagem à cidade, nasceu no aniversário de Sampa.

O Piratininga é super charmoso, a começar pela fachada, eleita uma das dez mais bonitas de São Paulo, em 1994, quando existia este prêmio pela ASBA (Associação dos Arquitetos). Ao entrar, você pensa ser pequeno, mas, que nada! Mesinhas na calçada; um salão à frente, onde você pode pedir seu drinque no balcão ou em alguma das mesinhas; ao subir a escada, mais um espaço onde há um sushi bar maravilhosooo; acima, o mezanino com o piano, lindo lindo! Tudo em madeira, rústico, aconchegante.

Toda a iluminação é super intimista, romântica. Mas, isso não quer dizer que apenas casais podem frequentar a casa. Dá pra reunir um grupo de amigos, tomar umas cervejinhas geladas, pedir um dos maravilhosos petiscos (recomendo o bolinho de arroz). Se quer uma opção mais saudável, os sushis são muito bons!

Aliás, quando ia imaginar que encontraria um piano-sushi bar ali? Foi surpreendente! Eu fui em uma terça-feira e o pianista era ótimo! Tocava e cantava clássicos do rock. Há música ao vivo todos os dias, nestes 21 anos de bar! Dá pra acreditar? Além disso, eles têm um Ford antigo, estacionado em frente, mega charmoso: os clientes até podem dar uma volta nele! ;-)

Tive a oportunidade de conhecer os donos: a Vera e o Pedro! Um casal de jornalistas, gente boníssima, que se conheceu numa mesa de boteco e.... montaram o bar, além do Pira Grill e Pira sanduba. Se você parar pra ouvir as histórias do Pedro, fica lá por horas. Isso porque ele é cronista da Vila Madalena e conta várias curiosidades sobre o bairro.

É realmente um bar diferente dos vários da Vila Madalena. Super curti ter conhecido este tesouro de Sampa! ;-)
Fui para relaxar com minha esposa num sábado a noite. Comemos algumas porções, vinhos e cerveja importada.

A bebida estava no ponto, a porção era feita com "matéria prima" selecionada. O atendimento foi, paciente, rápido e eficaz. O público é composto por pessoas educadas e gentis, se acordasse lá sem saber como cheguei ao local não diria que estava no Brasil.

Tudo a um preço pouco acima do padrão, mas não me importaria de pagar o dobro.

Alás o trio de jazz que se apresentava no dia seguia o mesmo padrão do Bar.
Bar super charmosinho na Vila Madalena, um dos pioneiros na época em que a Vila Madalena começou a ser conhecido como um bairro boêmio na capital paulista.

Me agradaram a decoração e a caracterização dos garçons bem no estilo anos 20-30 que harmonizava com aquela luz baixa presente em todo o ambiente.

Fui em um evento do Kekanto e fiquei no mezanino, próximo ao piano. As mesas e cadeiras são muito próximos umas das outras. Não dá para reclamar de falta de aconchego ou calor humano.

Por ser muita gente, os garços se atrapalharam um pouco no atendimento. Mas o bom humor deles compensou isso. Gostei e até tive tempo de bater um bom papo com alguns deles. Idem aos donos que até chegou a dar uma volta com alguns clientes em um estiloso Ford-T (um dos primeros sucessos automobilisticos mundiais que hoje é uma raridade) que fica estrategicamente estacionado na frente do bar.

O público que frequenta é visivelmente maduro e está se renovando agora. Pedi um combinado de sushi que tiveram uma boa aparência e excelente gosto. Mais que aprovado e recomendado.

Vale a pena conhecer sim.
Conheci o Piratininga Bar num evento do Kekanto e não dá pra não gostar do bar. Possui ambiente externo com poucas mesinhas, o ambiente do térreo, onde fica o bar, subindo uma escadinha fica o andar onde fica o sushi man (!). Bem diferente um bar que oferece comida japonesa. Não cheguei a experimentar, mas pelo que eu vi, a aparência estava muito boa.

O mesanino foi o lugar onde ficamos, decoração bonita e bem perto da banda.

Do mesanino é possível ver todos os ambiente do bar. Muito bonito.

Comi quibes e bolinhos de arroz frito. esavam bons, mas nada excepcional. Depois pedi uma picanha fatiada, que acompanha pão e vinagrete. estava muito bom! apicanha macia e suculenta. Para kekanteiros o preço era mais barato, mas o preço cheio é de R$46,00.

Atendimento bom e garçons muito simpáticos! recomendo o bar para aquele happy hour!
No aconchegando coração da Vila Madalena está o Piratininga bar, que tem adjacentes também o Piraburger e o Pira grill; todos da mesma "rede".

Falando especificamente do Piratininga Bar, oferece um ambiente aconchegante, mesmo do lado de fora há aquecedores para quem fica ali não sentir tanto frio.

O lado de dentro é pequeno mas ajeitado, há um mesanino e um espaço intermediário onde fica o sushi bar.

Hà porções convencionais de bar e os sushis, tudo muito organizado pelo que vi.

Ambiente descontraído, salgados gostosos e um sushi legal tornam este local um ótimo atrativo!
Meu primeiro evento do Kekanto merece um comentário.
Ótima escolha do Staff do Kekanto.
O lugar é ótimo podemos considerar que tem 4 ambientes. um externo onde pessoas fumantes podem ficar. o Segundo logo na entrada com um bar, um entre o mesanino e a entrada e outro que é o próprio mesanino e onde a banda toca.
O ambiente é ótimo!!!! Da pra conversar e ouvir uma boa musica.
O atendimento também é bom, os garçons sáo atenciosos e as vezes demoram um pouco, mas isso pode ser justificado pela quantidade de pessoas. Os preços... para Kekanteiros foi ótimo!!! Double drink e 20% off.
Mas voltando à realidade... Uma paulaner weiss fica por R$19,00. Porção de picanha R$49,00. Porção de peixes R$60,00 (Não lembro exatamente) e o chopp R$6,40. (Tb não lembro exatamente)
A banda: ótima!!! Só classicos como I Wish you were here, wonderwall, e outras.
Staff do Kekanto e outros!!!
Muito bom!! Espero ser convidado para o próximo evento!!!
piano bar ideal para ir com pequeno grupo de amigos
Conheci o Piratininga num evento, o 25° Evento kekanto SP, mas o lugar é uma fábula no meio da metrópole e da loucura paulistana.
Um charme da entrada aos banheiros, com uma decoração retrô toda inspirada nos anos 20!
O atendimento é excelente, entre os garçons, destaque para o Passarinho que servia o chope e para o Sr. Raimundo que nos atendia no salão... atenciosos, gentis e extrovertidos, sempre atentos as necessidades dos clientes e convidados presentes.
Os donos são uma atração a parte, de verdade, a Vera, uma mulher alta imponente, mas com um olhar atencioso e gentil. O seu marido, do qual não me recordo o nome, estava toda a noite empolgado com o passeio de carro com os premiados no sorteio do kekanto, em seu xodó.
Aproveitei a promoção de sushi por um precinho pequeno e me fartei acompanhada pelo Allan... Fabuloso!
No fim da noite experimentei a toscana com a Sheila, também estava divina.
Me senti como naquele filme "Meia noite em Paris"!
Infelizmente não consegui tirar nenhuma foto, pois meu celular ficou sem bateria.. :-(
Outro destaque é para a plaquinha na porta onde se lê: "Música todo dia!" E é prioridade dos donos, como nos contou Vera, que todos os dias se apresentem músicos de qualidade no lugar! Então reserve a grana do couvert porque vale muito a pena.
O lugar é pequeno, mas bastante aconchegante.


Espero que nas próximas visitas a Sampa possa conferir e levar meus amigos no lugar!

Recomendo mil vezes...
Exibindo de 1 a 14
Total de opiniões: 33

Nota geral Você conhece o Piratininga Bar? Escreva uma opinião! Dê sua nota!
Passe o mouse pelas estrelas clique para dar nota
Título da opinião

Opinião
Para enviar fotos ou preencher os campos adicionais, faça seu (Você não perderá a opinião escrita)