Pinacoteca do Estado

Endereço: Praça da Luz , Bom Retiro - São Paulo , SP - Brasil - 01120-010

Telefone:

(11) 3324-...

Clique para ver
Categoria:

Museus

  |   Melhor em Museus de São Paulo   Melhor em Museus de São Paulo

Um dos maiores museus de São Paulo. O prédio é maravilhoso, tem um acervo completo e sempre tem exposições legais. Abriga um café e é do lado da Estação da Luz. 

Site oficial
pinacoteca.org.br
Redes sociais
museupinacoteca

Bom para
Famílias, Ir sozinho

Primeira opinião
luizpaulo martins
Formas de pagamento
Crédito:
Débito:

cash, credit card, debit card
Horário de funcionamento
Ter.
10h - 18h
Qua.
10h - 18h
Qui.
10h - 18h
Sex.
10h - 18h
Sáb.
10h - 18h
Dom.
10h - 18h

A bilheteria funciona até as 17:30.

Detalhes
  • Acesso para deficientes
  • Proibido fumar
  • Local para comer
  • Visita monitorada
  • Ingresso: 6,oo para adultos
  • Estacionamento

 Informações Conferidas em Out/2014


Como chegar
Favorito
Sou dono
Reportar problema
Escrever opinião
Como chegar - Traçar rota


http://br.kekanto.com/como-chegar/pinacoteca-do-estado
Notas específicas:
Atendimento
(107)
Custo-benefício
(66)
Ambiente
(97)
Dicas Ver mais
Opiniões
Cara, que lugar incrivel!
Começa pelo fato de ser exatamente ao lado do metrô, e então você chega e ve toda aquela imensidão que por si só já conta muito da história de são paulo. Muito bem conservada, todos que visitam (ou quase todos) parecem colaborar muito com isso, e as exposições fixas e temporárias de lá são muito bem pensadas e realizadas. As salas são espaçosas e te direcionam para que você não se perca no que já viu ou não, podendo assim ver tudo sem cansar e repetir :D

E o melhor de tudo, aos sábados é gratuito! :)
Uma das lembranças que tenho da minha primeira viagem a São Paulo é de descer na Estação da Luz e me deparar com um local encantador, logo na saída vislumbrei a Pinacoteca e decidi expiar o que tinha ali dentro. A entrada foi gratuita e eu passei bem mais de um hora buscando cada andar e corredor do local.

A arquitetura de tijolinhos já chamavam bastante atenção, no pátio central tinha uma exposição de globos terrestres girando em cima das vitrolas, as conotações para aquilo eram tantas que eu fiquei olhando durante um tempo. Centenas de esculturas chamavam a atenção e eu queria fotografar todas para guardar a sensação, já que a lembrança se esvai muito fácil.

Lembro que não é permitido entrar com sacolas, mas há um guarda-volumes no local. A entrada gratuita é apenas para dias específicos, às quintas, após as 17h, e aos sábados o dia inteiro. Nos outros dias, o ingresso é R$ 6,00.
Após a reforma, a Pinacoteca do Estado é hoje o melhor espaço para exposições de arte na

cidade!

Com uma programação intensa e variada e com uma localização charmosa, ao lado do antigo

Parque da Luz e da estação da Luz, é, sem dúvida, uma das mais interessantes atrações

turísticas do centro de São Paulo!

Uma visita à Pinacoteca é um programa imperdível!
A Pinacoteca do Estado está abrigada no antigo prédio do Liceu de Artes e Ofícios, projetado no final do século XIX pelo escritório do arquiteto Ramos de Azevedo e atualmente preserva um acervo com mais de 9.000 peças, entre elas as 26 obras de importantes artistas que atuaram na cidade como Almeida Júnior, Pedro Alexandrino, Antonio Parreiras e Oscar Pereira da Silva, transferidas do Museu Paulista da Universidade de São Paulo, sendo o mais antigo museu da cidade, fundado em 1905 pelo Governo do Estado, e colabora, atualmente, com a popularização na produção brasileira do século XIX até a contemporaneidade.
A Pinacoteca realiza aproximadamente 30 exposições e recebe um público de mais de 500 mil pessoas anualmente, um número possível pela sólida trajetória do museu e pela sua proposta de mostrar a arte brasileira, acadêmica ou atual, além de dialogar com o visitante tanto por suas itinerância de arte internacional quanto pela abertura que o mesmo tem com a sociedade, os ingressos são baratíssimos e as obras presentes no acervo são extremamente interessantes, além das propostas curatoriais totalmente didáticas, mesmo em se tratando de arte contemporânea.
Fundada em 1905, a Pinacoteca do Estado de São Paulo é um museu de artes visuais, com ênfase na produção brasileira do século XIX até a contemporaneidade.

Localizado em área estratégica da cidade de São Paulo, tem um bom atendimento e público frequentador seleto.

Ambiente é bonito, aconchegante e inteligente.

Gostei muitíssimo de lá e, em breve, devo passar por lá mais uma vez.
A Pinacoteca do estado é um espaço arquitetônico, um lugar surreal, mistico, onde artes esculturais se misturam com culturas contemporâneas. Um bom lugar pra quem gosta de um passeio cultural. Andando pelos espaços da Pinacoteca você pode aprender um pouco mais sobre o Barroco, entender a arte do iluminismo, apreciar esculturas modernas, se apaixonar pelo romantismo concretizado em obras exclusivas, e ainda tomar um café expresso curtindo o visual e aproveitando o ambiente de um belo jardim.
É interessante a maneira de como a arte é valorizada neste lugar, incentivando o estudo pela arte, antes coisas que não me interessavam, depois da visita a Pinacoteca contemplei a necessidade do conhecimento, a filosofia inata que este lugar proporciona dimensiona uma consciência coletiva para os visitantes.
A observação entre pinturas, esculturas, desenhos, gravuras e fotografias alimenta a percepção e aguça a curiosidade. O que mais me chamou a atenção foi A galeria Tátil que foi elaborada para visitantes com deficiências visuais e a instalação de Luzia Simons. A instalação é composta por ampliações fotográficas moduladas que são posicionadas no centro do espaço. Demais! Vale muito a pena!

Eu recomendo visitas as quintas-feira após as 17:00 hs e aos sábados pois a entrada é gratuita nessas condições.
Que espaço magico, com suas obras de arte e arquitetura, te leva ao passado e te traz ao presente como se fosse uma maquina do tempo, te fazendo refletir sobre seu cotidiano e o que acontece a sua volta, o mais interessante é que a curadoria sempre busca formas interativas e diferentes de te apresentar as obras de seu acervo, o preço é acessível a todas as classes sociais, outro ponto positivo é que ele fica em frente a estação ferroviária da Luz, facilitando o acesso.
Ótimo passeio! Reserve um dia só para conhecer as atrações da região. Comece pela Estação da Luz, vá ao Museu da Língua Portuguesa e termine com um café na Pinacoteca do Estado. Foi o que eu fiz num sábado! :)
O prédio da Pinacoteca é muito bonito e abriga obras de grandes artistas brasileiros e estrangeiros como Debret, Eliseu Visconti, Cândido Portinari, Lasar Segall, Almeida Junior, Pedro Américo, Tarsila do Amaral, Anita Malffati entre outros. Fora as exposições temporárias, vale a pena ficar de olho no site da Pinacoteca para saber quais serão as próximas!
Às quintas-feiras, às 19h00, ocorrem palestras. Um novo ciclo começas agora 21/03/13 com o debate e lançamento do catálogo da exposição Sergio Sister.
Não deixe de passar na lojinha do Museu e comprar a sua lembrança! Comprei um caderno de anotações de material reciclado e logo da Pinacoteca, muito bonito!
Para finalizar, tome um café no Café da Pinacoteca e aprecie os jardins!
É um daqueles passeios imperdíveis se você pretende conhecer SP um pouco mais culturalmente. Tá, eu admito que não sou a pessoa certa pra falar de arte, mesmo porque costumo gostar principalmente de pinturas e esculturas que retratam as pessoas e paisagens como elas são. Mas a visita à pinacoteca realmente vale a pena!

O prédio/casarão é lindo, o ambiente é agradável, espaçoso, arejado, atraente! Como era de se esperar, existem vários ambientes "temáticos" e vamos andando de sala em sala, pra conhecer um pouco de tudo. Já fiz esse passeio umas 3 vezes, inclusive na exposição sobre Rodin, e sempre indico para os visitantes.

Existe uma lanchonete e um jardim bem bonitinho. A pinacoteca fica ao lado da estação da Luz, onde também dá pra fazer um "turismo-dobradinha" no Museu da Língua Portuguesa. O jardim da luz também é logo ali grudadinho. Por fim, pros que gostam da muvuca das compras, o Bom Retiro (José Paulino) começa praticamente na esquina.
A Pinacoteca do Estado fica num complexo cultural muito interessante próximo à Estação da Luz, conta com o Memorial da Resistência a poucos metros, o Museu da Língua, o Parque da Luz., a Estação Pinacoteca e a Sala São Paulo.

O espaço da Pinacoteca é bem interessante, mescla áreas externas com internas, o que tira aquela chatice da experiência indoor apenas.

A última vez que fui, não havia nenhuma exposição de artistas renomados, mas ainda sim estava movimentado - em finais de semana de grande exposições, prepare-se para a lotação.
Um dos lugares mais fascinantes que já conheciiiiiii... Meu Deus!!! Amo Sampa rs...

É um fantástico museu de artes visuais!!! Reúne, singularmente, um tremendo acervo - acho que de quase 10 mil obras - com as mais fortes e marcantes produções brasileiras...

Desde o século XIX até esse universo maluco contemporâneo!!!

Tem desde exposições e mostras temporárias as que duram maior tempo no ano.

A Pinacoteca consegue gerar a educação brasileira no âmbito de uma ampla experiência com artes visuais!!!

É indescritível o prazer que me dá em, além de observar as obras, ver as expressões dos expectadores que estão ali. É outro universo, paralelo ao que vivemos, num mundo perfeito de pura arte e conhecimento.
A Pinacoteca é uma bela metáfora da cidade de São Paulo. Enquanto estamos no centro histórico, com sua arquitetura antiga e clássica, seus ares bucólicos e atmosfera vintage, as paredes de tijolo aparente da Pinacoteca abrigam a arte como a cidade abriga as pessoas: sempre cabe mais um.

O acervo fixo do museu retrata importantes períodos da arte no século passado, principalmente com retratos e obras dos períodos do Romantismo e do Realismo. São quadros que recontam a história de um país, e é gostoso poder se aproximar das obras, observar cada pincelada, cada toque do artista, cada nuance das esculturas.

Ao mesmo tempo, sempre temos a opção de apreciar instalações pós-modernas bem no centro do museu, em seu coração, onde o passado, o presente e o futuro se fundem. São gerações de artistas abrigados no âmago de uma cidade cosmopolita, tão cheia de diferenças, e tão familiar. É uma experiência completa.
Uno de los últimos días que estuve en Sao Paulo me llevaron a conocer la Pinacoteca, que es como uno de los museos de arte más importantes de la ciudad. Para llegar fuimos en metro, tiene una estación justo a la entrada, se puede ingresar con cámaras pero no se puede grabar con gopro ni usar flash, y tiene una cafetería abajo donde compramos agua porque hacía mucho calor. La cafetería no es cara a pesar de estar dentro del recinto (en chile suele ser carísimo, el triple por lo bajo).

El edificio es impresionante, yo pensaba que el palacio de Bellas Artes de Chile (nuestro museo principal) era bonito y grande pero este es otra cosa. Es realmente un castillo colonial, tiene pedazos de ladrillo a la vista y está restaurado respetando la forma original del lugar, tiene techos altísimos, balcones, y un patio interior, a pesar de todo eso es MUY amplio, y a la salida trasera da a una plaza encantadora, bien cuidada, con escaleras enormes. Cuando veo edificios así me encanta imaginarme los propósitos originales, una sola familia viviendo ahí donde hoy en día meteríamos a 100 familias si pudiéramos.

El arte se dividía en 3 tipos según yo: el moderno que eran expositores más bien abstractos con temas muy urbanos, como las maletas perdidas en los viajes y los aeropuertos, uno de ellos hacía representaciones con distintos planos (planos de construcción), había de estadios, de cuarteles, de tiendas, de casas, de todo, y también había un sector con objetos que se podían tocar.

La parte 2 eran las réplicas renacentistas o evocaciones, más que nada muchas estatuas, no tan antiguas, de períodos más modernos pero no actuales. Similares a las venus, muchas figuras humanas en mármol y en bronce envejecido.

La parte 3 (mi favorita total) es de artistas brasileños del periodo de la colonia (mi periodo estético favorito para toda américa latina). Me llama mucho la atención entender la situación por la que pasó la gente de cada país a través del arte que queda de esa fecha. Habían cuadros con temáticas de liberación, esclavitud, trabajo duro, y fiestas reales (royalties) que en chile no se vio mucho porque no hubo esclavos como tales, sólo servidumbre, y tampoco tuvimos un rey propio, sólo virreinatos y luego gobernadores.

En cuanto a ese arte colonial, pude conversar y preguntar sobre los emperadores y reyes (que tenían sus propios retratos en exposición), sobre las costumbres de las fiestas y vestimentas, y sobre cómo llevan hoy en día el tema de la esclavitud y la separación de razas. (En chile casi no había hasta 1990 personas de raza negra, la mezcla acá fue de indígenas mapuches, onas, alacalufes y españoles y alemanes, entonces la distinción no fue tan grande).

Me encantó que el museo muestre un poco de cada época, lo recomiendo como visita obligatoria si están en sao paulo y se interesan por el arte y la historia de latinoamérica y brasil
Exibindo de 1 a 14
Total de opiniões: 314

Nota geral Você conhece o Pinacoteca do Estado? Escreva uma opinião! Dê sua nota!
Passe o mouse pelas estrelas clique para dar nota
Título da opinião

Opinião
Para enviar fotos ou preencher os campos adicionais, faça seu (Você não perderá a opinião escrita)