Anuncie no Kekanto

Quer receber ofertas do Pavão Azul?

No Kekanto os donos de estabelecimentos podem publicar cupons de descontos. Cadastre-se e receba os descontos
f

Quer receber ofertas do Pavão Azul?

No Kekanto os donos de estabelecimentos podem publicar cupons de descontos para todos os seus consumidores. Registre-se e receba gratuitamente todos os descontos

Publicidade
Notas:
1 estrela
0
Notas específicas:
Ambiente
(27)
Público
(11)
Atendimento
(27)
Bebida
(27)
Custo-benefício
(25)
Comida
(26)
Dicas  (31)
José Raimundo Padilha
Patanisca + arroz de polvo + cerveja Leffe Blond
José R.
Classificar por:
Opiniões   (49)
 
É o botequim favorito da maioria dos boemios de Copacabana. Não há uma só noite da semana em que a esquina da Barata Ribeiro com a Hilário de Gouveia não esteja cheia de moradores e/ou trabalhadores da região com uma garrafa de cerveja na mesa.
O lugar é um pé sujo pra lá de informal. Com algumas mesas na calçada, nos fins de semana tem tanta gente, que as cadeiras viram apoio de garrafas e copos e fica todo mundo em pé mesmo. O banheiro é lá nos fundos junto com os engradados de cerveja com aquela descarga de cordinha. Se quer beber, vá até o balcão e peça. Se for esperar alguém te atender na calçada, vai morrer de sede.
Dizem que os pastéis e o risoto (servido no almoço) são bons, mas eu nunca tive coragem de experimentar. Pé sujo, pra mim, é pra beber e colocar as fofocas com os amigos em dia!
Bom para: Ir com amigos, Happy hour, Cerveja
 
Frequento o local muito antes de ser famoso. O tempero da Dona Vera está por toda parte: Patanisca perfeita, Risoto de Camarão, Arroz de Polvo, Pernil, Cabrito, Rabada. Tudo muito bem feito. De longe o melhor pé sujo da cidade. Comida da melhor qualidade e aquela original sempre gelada a te esperar...
 
        Começamos cedo, por volta das 13 horas. Chegamos ao meio-dia, malas no hotel e fomos direto para o Pavão Azul, na Rua Hilário Gouveia 71, (2236-23819, em Copacabana. Fomos para este buteco devido à proximidade com o hotel, eatávamos loucos para fazer a abertura dos trabalhos.
         É uma bar pequeno com umas dez mesas, todas na calçada. Estava cheio. Oferece mesas altas do lado de fora da calçada, enquanto se aguarda que mesas fiquem vagas. Os toldos ficam lá, disponíveis para os dias de chuva ou muito sol.
         Com metade do bar ocupado por turistas, os fregueses habituais eram obrigados a ir para outros bares. O garçom entrega a conta, onde estavam  indicados dois valores, com gorjeta e sem gorgeta. Tive que autorizar a cobrar os 10%, pois a dona já preenchia o cartão com o valor normal.
         Os pastéis de camarão, queijo e carne estavam ótimos. O mesmo não se pode dizer do risoto de camarão e polvo, porque foram servidos frios. E a pimenta era tão fraca que não conseguiu esquentar o risoto. Já tinha ouvido falar desta característica carioca de não servir pratos muito quentes, mas não sabia que a pimenta era tão fraca.
         E muita, muita cerveja. Com Leo pedindo duas saideiras e o Gêra não abrindo mão de pedir mais uma saideira, aquela que ele paga por fora, depois que a conta já tinha sido paga.
         E nós, que não deixamos um colega beber sozinho a última cerveja, matamos mais esta.
         Depois de um chuveirada e um breve descanso voltei a acompanhar Gêra no Boteco Três Caravelas, enquanto esperavávamos a hora de ir para a Lapa, para comer o famoso filé à Osvaldo Aranha no Restaurante Cosmopolita.
         O Restaurante Cosmopolita fica em plena Lapa (Travessa Mosqueiro 4 – 2224-7820) e sempre foi frequentado por famosos (desde Madame Satã a Jaguar, Pixinguinha, Hermínio Belo, Darcy Ribeiro, Hugo Carvana, enfim toda a inteclectualidade carioca. Até Mário Soares esteve por lá); foi apelidado de “Senadinho” por ser frequentado por muitos senadores. As paredes estão repletas de prêmios recebidos e por quadros com reportagens de jornais e revistas, que contam parte de sua história.
         O prédio é uma antiga e simples construção de esquina, que foi preservada e tem portas do tipo vai-e-vem, estilo saloom, vitrais nas portas e janelas de madeira, mantendo o seu estilo antigo.
         Ficamos apenas no filé à Osvaldo Aranha que é servido na própria frigideira onde é feito. A história conta que o Osvaldo Aranha sempre pedia um filé alto, com muito alho, batatas portuguesas, arroz e farofa e outros fregueses, repetiam: quero um filé igual ao do Osvaldo Aranha. A casa serve ainda bacalhau, polvo, peixe e cabrito.
         Para garantir o sossego de quem o frequenta, o restaurante mantém o acesso apenas por uma porta, que é mantida sempre fechada por seguranças, que também impedem o acesso de grande número de pessoas que estão utilizando as mesas externas. A casa garante, desta forma, uma dupla personalidade, permitindo que o local seja um tranquilo restaurante ou um agitado bar com mesas externas.
         Quando os pratos foram servidos, Chico explicou para Leo:
         - Agora você vai degustar história! – “pois entrar no Cosmopolita e voltar no tempo para um Rio, ainda capital federal, centro do poder político e cidade de vocação artística e boêmia” como avisa uma matéria de revista, afixada na parede.
Bom para: Ir com amigos
 
É o botequim favorito da maioria dos boemios de Copacabana. Não há uma só noite da semana em que a esquina da Barata Ribeiro com a Hilário de Gouveia não esteja cheia de moradores e/ou trabalhadores da região com uma garrafa de cerveja na mesa.
O lugar é um pé sujo pra lá de informal. Com algumas mesas na calçada, nos fins de semana tem tanta gente, que as cadeiras viram apoio de garrafas e copos e fica todo mundo em pé mesmo. O banheiro é lá nos fundos junto com os engradados de cerveja com aquela descarga de cordinha. Se quer beber, vá até o balcão e peça. Se for esperar alguém te atender na calçada, vai morrer de sede.
Dizem que os pastéis e o risoto (servido no almoço) são bons, mas eu nunca tive coragem de experimentar. Pé sujo, pra mim, é pra beber e colocar as fofocas com os amigos em dia!
Bom para: Ir com amigos, Happy hour, Cerveja
Enviado
via Android
 
Já escrevi sobre o Pavão antes mas além da maravilhosa patanisca, do chopp gelado, e da batida de coco, descobri que o David, garçom do bar, faz a melhor caipiroska de Absolut que já tomei. Experimente a versão morango.

Assim, não podia deixar de recomendar, mais uma vez esse bar.

O lugar está sempre lotado e fecha cedo, logo depois da meia noite. Mas é Imperdível.

Vale lembrar que não aceitam cartões de crédito, apenas débito. E que o preço é barato.
Tania:
Fernanda só dinheiro ou cartão de débito. Vamos marcar um dia, te apresento e você vai ficar viciada no Pavão
Conteúdo inválido
 
O Pavão azul como muitos já colocaram, é um boteco localizado no bairro de Copacabana. É um lugar tradicional existe a mais de quarenta anos. O boteco tem duas lojas uma em frente a outra, a diferença está ao meu ver no tempo e público. Pois o mais antigo geralmente é frequentando por pessoas mais velhas ou que tem uma certa identificação com o espaço tradicional e bar mais novo geralmente é frequentado pelos mais novos.
O bar tradicional é pequeno, e isso gera alguns desconfortos mas que de maneira nenhuma tiram o charme do local. A cerveja está sempre gelada e os petiscos são ótimos.
 
.
Pé-sujo da moda em Copa e por extensão do Rio de Janeiro, faz, sei lá, 5 anos...
.
Localização maravilhosa, no coração do bairro; pertíssimo do metrô da Siqueira e de frente para uma Delegacia de Polícia, ou seja, lugar seguro.
.
Ideal para esquenta, em termos de noite e para entrada e saída da praia...embora a melhor parte da praia de Copa seja o posto 5/6...você pode ir "pelado" ou de terno, ninguém vai reparar nisso. Informalíssimo.
.
Meio desconfortável e barulhento para pessoas com mais de 40 anos, mas umas 2 horas dá para aguentar. Queria ter conhecido com 25 anos...passaria o dia lá, meu corpo suportava...São poucas mesas e normalmente se fica em pé...os moradores do prédio em cima reclamam da passagem, etc. Na próxima vez vou sentar no chão, não podem reclamar disso. A mesa, o banco podem ser do bar, mas o chão é do povo.
.
Possuí o melhor petisco que comi até hoje em minha vida de botequim, autônoma...assalariada, desde 1992...antes já frequentava bares, mas era com mesada do papai, tempos difíceis. O petisco ? PATANISCA (2,30). Não tenho vocabulário para explicar o quanto é...sei lá, Divino? Humilhante? Se deixarem, como umas 30 sem parar. Só comparado ao camarão miúdo ao alho e óleo do Siri de Vila Isabel; mas sem Maracanã, tenho ido bem pouco.
.
O chopp não é tão gelado, mas a cervejas sempre são. Tô com muita vontade de comer o risoto de camarão, mas nunca consigo mesa...pastéis...não vou nem comentar.
.
Dica para casais de 1o. encontro e pessoas livres...batida de coco...2, 3 copos...noite maravilhosa...
Dica: Patanisca. Brahma Extra. Batida de coco.
Bom para: Paquerar, Cerveja, Drinques, Casais, Ir com amigos, Ir sozinho, Happy hour
Lu
 
Eu não gosto do ambiente do pavão azul. E não é por ser simples, mas sim por ser apertado. A gente acaba participando da vida das pessoas da mesa ao lado, mesmo sem querer. Também não é muito confortável e é muito barulhento. Barulho de rua, de pessoas falando, talheres batendo nos pratos, televisão ligada...

Mas ainda assim, é um lugar onde volta e meia eu vou parar. Por um simples motivo: Eu AMO as pataniscas de bacalhau. Tenho medo da quantidade de pataniscas que eu consigo comer em uma noite.

Todo mundo elogia os pastéis (provei todos e são bons. Mas não os melhores) e o risoto de camarão (R$ 28 - e dá pra 2) ou polvo (R$30) . São muito bons também, mas pra que eu vou comer uma coisa muito boa se eu posso comer a coisa melhor? Tem um prato que não está no cardápio, mas que a gente pode pedir e as irmãs Bete e Vera Afonso mandam preparar na hora: Casquinha à moda Pavão. É uma casquinha de bacalhau simplesmente divina! (mas ainda assim, as pataniscas fazem meu coração bater mais forte).
 
Quem não é do Rio se surpreende com o fato de um lugar tão simples como o Pavão Azul ser um excelente opção, tanto gastronômica quanto social.

Tipicamente carioca, com mesas espalhadas pela calçada, sem cardápio escrito, o Pavão é um ótimo lugar para um happy hour durante a semana, para assistir àquele clássico de futebol e/ou a qualquer hora no fim de semana - só não funciona de madrugada. O único problema é conseguir achar um lugar pra sentar... mas podemos contar ainda com as mesinhas contidas na grade e as adaptadas em bancos. Enfim, informalidade total, mas com um tempero especial.

Além disso, os petiscos e pratos são baratos e deliciosos! A cerveja é barata também e super gelada!

Sem dúvida uma das melhores opções do gênero em Copacabana. Vale conferir!
Dica: A patanisca, um bolinho de bacalhau sem farinha é muitooo bom!! O pastel de camarão e a batida de coco também são ótimas pedidas.
Bom para: Ir com amigos, Jantar, Happy hour, Gastar pouco
 
Quando você olha pro pavão não da nada por ele. Terrível engano! O lugar une o espírito do boteco clássico com comidas maravilhosas!!

Seja pra um almoço em família com risoto de camarão (R$30 e serve 2 ou 3), ou seja pra uma tarde com amigos tomando cerveja de garrafa beeem gelada e comendo pataniscas, uma espécie de bolinho de bacalhau sem batata, simplesmente viciante de tão delicioso (R$2).

É tudo tão gostoso que está sempre lotado, então vá sabendo que pode ser que você fique em pé na rua! Mas rola uma filinha de espera e com sorte em algum momento rola de sentar ; )
Dica: Peça patanisca. Pavão azul sem patanisca não é pavão azul!
Bom para: Famílias, Ir com amigos, Ir com crianças, Almoçar, Happy hour
 
Eu sou suspeita para falar, ja que sou moradora de copacabana e frequento o bar sempre que tenho um tempinho livre....Mas se por esse motivo minha informação for valida, pode acreditar que não existe no rio lugar mais carioca que esse..... talvez o bar urca, deixo a duvida!!!! PATANISCAS...... frescas fritas na hora, sao bolinhos de bacalhau que nao levam batata, uma iguaria portuguesa reproduzida com excelencia no bar que não da conta de atender todos que querem ficar por ali. Tanto que abriu uma extensao do outro lado da rua, que a exemplo da matriz vive lotada!!! A original é a cerveja q eu recomendo, a um custo beneficio incrivel, acompanha perfeitamente os deliciosos bolinhos portugueses. Com filas ate durante uma segunda a noite, é no domingo que voce pode experimentar o risoto de camarao ou o arroz de polvo, mas tem que chegar cedo por que eles fazem uma quantidade unica e nao fazem mais durante o dia se acabar. Em frente a delegacia, é quase certeza de tranquilidade, a nao ser mesmo pelo falatório do pessoal do bar. Gente bonita, feliz e muito interessante sao os frequentadores do lugar. E pra terminar, quando pagar a conta deixe uma caixinha pro pessoal, eles agradecem de forma calorosa.
Dica: Patanisca e Original!!!
Bom para: Ir com amigos, Casais, Almoçar, Happy hour, Famílias, Almoço rápido
 
em Copacabana esse "pé sujo" atrai todo público... com bebida gelada, serve as famosas patanescas de bacalhau... bom para vir com amigos atrai público de todas as idades... tem tb outro restaurante, outro lado da rua... gosto de ir com amigos e ficar em pé do lado de fora...
Bom para: Ir com amigos, Casais, Famílias, Ir sozinho, Jantar, Almoçar, Ir de madrugada, Happy hour, Cerveja, Realizar eventos pessoais, Paquerar, Relaxar
 
Um boteco que concorre nos concursos de petiscos no RIO. Sentar na calçada, pedir um chop ou um petisco ( empadas, pastéis e a patanisca- bolinho de bacalhau sem batata- que dependendo do dia vem cru por dentro!). O garçon mais conhecido é o Miguel, simpático e meio enrolado-srsrs. A vantagem é que dona Vera, a dona, está sempre por perto- qq coisa , é só falar. A dica é pedir patanisca bem cozida.Há tb arroz com camarão ( não é risoto-rsrs- nota-se pelo grão) e arroz com polvo .Um lugar informal e baratinho...com filial do outro lado da rua.Ficar em pé é normal.Bom para bater -papo com amigos e talvez paquerar.
Bom para: Ir com amigos, Casais, Ir sozinho, Jantar, Almoçar, Happy hour, Cerveja, Realizar eventos pessoais, Paquerar, Relaxar
 
O despojado Pavão Azul é aquele famoso denominado "pé sujo". Quando fui, minha irmã (quase uma carioca de tanto ir para o RJ) falou para eu não ir ao toalete. Ok que muita gente fala que a cozinha é o reflexo do banheiro. Porém, nesse caso, a máxima não corresponde.

De fácil localização e bom atendimento, o boteco me conquistou. Tudo é super simples, claro: fachada discreta, ambiente pequeno, mesas na rua e o preço é honesto.

O cardápio é recheado de quitutes clássicos da baixa gastronomia. Um dos lendários é o Arroz de Camarão que é realmente especial. Temperado com bastante cebolinha, o arroz surpreendeu pelo sabor caseiro, forte gosto de tomate fresco e camarões suculentos!
Dica: Arroz de camarão
Bom para: Ir com amigos, Almoçar, Famílias
Exibindo de 1 a 14
Total de opiniões: 49

Escrever opinião


Passe o mouse pelas estrelas clique para dar nota
Para enviar fotos ou preencher os campos adicionais, faça seu login (Você não perderá a opinião escrita)
O Kekanto não é autor e não endossa nenhuma das opiniões e/ou comentários. Eles são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. Para mais informações acesse nossos termos de uso.

Check-ins

Total de check-ins
42
Seus check-ins aqui
0