Mugui

Endereço: Rua da Glória, 111 , - São Paulo , SP - Brasil

Telefone:

3106-8260

Clique para ver
Categoria:

Restaurantes Japonês

  | Rank: 93º de 824
Preço por pessoa
$$$$ (De R$26 até R$50)

Primeira opinião
Carlos & Denise -...
Formas de pagamento
Crédito:
Débito:

cash, credit card, debit card

Como chegar
Favorito
Sou dono
Reportar problema
Escrever opinião
Como chegar - Traçar rota


http://br.kekanto.com/como-chegar/mugui
Notas específicas:
Ambiente
(11)
Comida
(10)
Atendimento
(11)
Bebida
(8)
Custo-benefício
(10)
Dicas Ver mais
Opiniões
Fica no mesmo andar do Isao, ou seja, num lugar estranho.

A comida é muito boa. Minha escolha foi lamen com tempura. Ao contrário do Aska, esse lamen que pedi era um pouco mais leve e o tempura estava muito bom, sequinho.
O cardápio é até que variado, mas tudo voltado a massas, seja sem caldo (yakiudon yakissoba etc), como lamen e outros.
É um dos poucos lugares que tem a opção de uma porção menor (sem ser simbólica igual do Aska). Isso ganhou muitos pontos.
O atendimento é acima da média quando comparamos com restaurantes semelhantes.
A aparência do lugar não é sofisticada, tudo é de inox (achei que os pratos seriam também, mas foi um engano meu) e as paredes de azulejo. A cara fica entre um bar, com aqueles grandes balcões centrais, e uma cozinha industrial.
O Mugui fica em um prédio escondidinho na Rua da Glória, com estacionamento (6 reais a cada meia hora), e ambiente simples que lembra uma lanchonete, com um grande balcão ao centro.
Provamos um Udon Nabeyaki (29 reais - macarrão mais grosso em caldo de shoyu, ensopado de peixe, tempurá de legumes, camarão, shitake, kani, cebola, ovo e cebolinha) e um Champon (32 reais - macarrão com frutos do mar e legumes, ensopado de peixe, kani, lombo de porco, omelete, cebola e cebolinha) e ambos estavam muito bons.
O restaurante não cobra a taxa de 10% e tem ótimo custo benefício.
Fiquei bem confusa ao entrar no restaurante pois não sei como funciona e ninguém veio atender. Fiquei esperando por um tempinho e ainda não veio ninguém. Tinha uma mesa aparentemente vazia e fui sentar, aí nem passou 2 segundos um garçom chegou e falou que tem que deixar nome na fila e que a mesa está ocupada. Legal, com quem deixo o meu nome? "Aquela lá ~" Nem é um pouco difícil descobrir a tal ''aquela lá'' num restaurante cheio! E nem tenho mais vontade de falar com o garçom. Entendo que tá corrido mas não gostei muito da atitude e confusão.

Sentei ao lado do balcão e uma senhora simpática perguntou se queria fazer pedido, expliquei que só queria deixar nome para conseguir uma mesa. Depois de uns minutinhos finalmente sentamos numa mesa.

Estava na dúvida de macarrão frito ao molho curry ou udon ao molho curry. Escolhi o primeiro (porção pequena), udon com curry ainda não soa muito bem para mim. O macarrão veio bem crocante, mas não gostei muito do curry (pouca carne, curry não é bem delicioso). A combinação dos dois ficou muito seca. Mas o meu namorado disse que gostou. Ele pegou udon, roubei um pouco e esse sim estava ótimo! O chá veio quentinho num copo bem bonito.

Ainda teve um pequeno episódio de troca de pedido. O meu namorado tinha pedido um onigiri de missô, o que o garçom (aquele que me atendeu inicialmente) trouxe foi de umê. Pedimos para trocar, ele deixou na cara de que não gostou nada disso. Mas a culpa foi dele de errar o pedido.

O estabelecimento é bem avaliado aqui e era o dia anterior do ano novo chinês, fiquei com uma expectativa de comer coisas bem gostosas para comemorar, mas com a experiência que tive, não pretendo voltar mais. Principalmente pelo atendimento.
Fui a esse restaurante num sábado e estava cheio, mas a espera foi rápida. menos de 10 minutos e já tínhamos uma mesa.

Ambiente com um balcão bem no meio para aqueles que gostam de comer como nos restaurante-bares japoneses, mas existem muitas mesas também.

O atendimento inicial foi muito bom. Enquanto esperávamos, fomos escolhendo nossos pratos. Eu pedi como entrada um oniguiri de missô e um nabeyaki udon. O pedido veio errado do oniguiri, mas antes dei umas mordidas pra perceber que no meio veio umê (ameixa japonesa em conserva azeda), pedi pra trocar e o garçom fez cara feia. Bom... Ele acabou trazendo depois que insisti. Mas o oniguiri estava ruim, porque eles fizeram com arroz brasileiro e estava soltinho e desfarelando na minha mão.

O nabeyaki udon estava gostoso. Vinha tempura, kamaboko, tikuwa, camarão e cebolinha.

Oniguiri R$5,00, nabeyaki Udon por R$27,00.

Minha namorada pediu um curry mugui mini (não lembro o preço) com macarrão frito. Estava gostoso. Macarrão crocante e o curry não estava muito ardido, acho que na picância ideal.
Apesar de ter oficialmente este nome, eu sempre me refiro ao Mugui como o Lamen-ya, que significa "lugar que vende lamen" e é o termo genérico usado para esses estabelecimentos no Japão (que por sinal são mais numerosos, brotam em qualquer esquina e mesmo assim são divinos).
Para piorar ele fica dentro do Food Center, que já é um pouco escondido e não tem placa nenhuma em sua fachada. Só dá pra saber que é ele porque os outros 2 estabelecimentos que ficam no primeiro andar estão identificados.

O lugar não é muito grande, recomendo para grupos de no máximo 6 pessoas e olhe lá. A falta de espaço é culpa de um balcão enorme onde as pessoas podem se sentar para comer se não se importarem com a falta de conforto.

Não se vende só lamen, tem outros pratos sensacionais como udon, yakisoba, teishoku... mas eu não consigo pedir outra coisa que não seja lamen - especificamente o lamen da casa. A tigela tem um tamanho respeitoso, muita gente de apetite normal não consegue terminá-la. É muito bem feito, com um bom tempero e muita cara de comida caseira.

Recomendo também uma porção de gyozas de entrada, que aqui são fritos e muito bons!

O maior defeito mesmo é o horário de funcionamento. É importante frisar que eles não abrem de domingo e que o almoço é até as 14:30. Já fiquei só na vontade de comer lamen várias vezes por causa disso.
Fui semana passada no Mugui, pois estava com vontade de conhecer este restaurante há um bom tempo, por causa dos reviews daqui do Kekanto e correspondeu bem minhas expectativas!

O restaurante fica num prédio na Rua da Glória chamado "Food Center", que também não conhecia. E achei super diferente pois é como o lugar fosse um "shopping" de restaurantes japoneses. O Mugui fica localizado no primeiro andar.

O restaurante é especializado em comidas quentes! Então não vá lá pensando em comer sushi / sashimi. Eu pedi um yakisoba com macarrão frito, algo que estava procurando há um bom tempo em restaurantes por aí e este estava muito bom, com o macarrão bem crocante com um molho com gosto bem caseiro, que lembra bastante de tias / avós. O prato serviria bem duas pessoas, mas como estava com fome, comi sozinho.

O ambiente do lugar é bem simples, com algumas mesas nos cantos e um balcão que lembra um pouco de lanchonete no meio. E o atendimento é simples, mas bom também!

No cardápio haviam tanto outros pratos que queria experimentar, que acho que irei mais vezes lá.

Paguei com Ticket Restaurante e um outro ponto positivo é que não cobram taxa de serviço!
Para descendentes de japoneses assim como eu, o Mugui é um prato cheio de lembranças da casa da "batyan" (Avó, em japonês).

Ambiente simples, antigo, tradicional, coca-cola de vidro. Mesas conservadas, atendimento ao estilo japonês, simplicidade e limpeza. Ao entrar você se dará conta que estará no meio de muitos japoneses (A maioria em sua meia-idade, casais que já tem seus filhos independentes e etc.). Um balcão preenche o centro do estabelecimento e diversas mesas ao redor dele. Três senhoras tomam conta da administração. Uma no caixa e 2 "supervisionando".

O sabor da comida é recheado de Aji-no-moto e Hondashi, mas na medida certa deixando os pratos super saborosos. Lá no Mugui servem especialmente pratos quentes da culinária tradicional: Yakisoba (Voce escolhe Frito ou Cozido- isso é raro.), Udon, Lámen, carnes, Gyoza, Combinados, etc. A variedade é tão grande que queria experimentar de tudo.

Os preços são nada mais que honestos e justos. Da última vez que fui pedi um Yakisoba da casa R$18,00 porção para 2 pessoas comerem razoavelmente, porém se for comer tudo sozinho deverá estar com fome. Minha namorada pediu um Teishoku de Filé-Mignon (Acompanha arroz branco, missoshiro, salada ou refogado de legumes). R$28,00, porção justa para uma pessoa comer bem.

Vi que muitas mesas pedem de entrada o Harumaki R$3,00 a unidade e a Porção de Gyoza R$14,00, pareciam sequinhos e bastante suculentos. Outro detalhe é o Pudim de leite e o Pavê. Peçam, para finalizar com chave-de-ouro. É uma delícia R$4,50 e vale cada centavo!!

Único detalhe foi eu ter esquecido minha camera em casa, mas sem dúvidas voltarei mais e mais vezes por lá. (Não abre domingo! Sáb fica até as 22)
Primeira opinião do lugar
Quando penso numa comida oriental com toque caseiro, o Mugui é uma opção certa. Mas não vá pensando em apreciar um sushi ou sashimi porque a casa oferece somente pratos quentes. Fazia tempo que eu queria voltar lá e depois que a Vanessa comentou que também gostava deste restaurante fiquei com mais vontade ainda. Aproveitamos para dedicar este post a ela e à Nilce, que também aprecia comida japonesa.

Localizado no Food Center, prédio que agrega outros restaurantes orientais, o ambiente é pequeno e singelo, ideal para quem gosta de comer sem pressa e relaxar (além da TV dispõe de revistas que podem ser folheadas à mesa). O atendimento sempre é gentil e cordial. Fomos numa sexta-feira à noite e estava vazio, coisa rara em comparação aos finais de semana na Liberdade.

O cardápio é variado e é bom notar que os pratos são bem servidos e dependendo da fome e da quantidade de pessoas, é recomendável pedir meia porção. Um detalhe é que não abre aos domingos.

Pedi um Tempura Udon, que é a sopa com caldo de peixe acompanhado de uma porção de tempurá e o Carlos um Zaru Ten Soba, que é o soba (macarrão macrobiótico) frio acompanhado de uma porção de tempurá e o caldo que pode ser servido em ambos os pratos.

O Tempura Udon chegou fumegante à mesa, e muito bem servido. Na primeira colherada o caldo se mostrou suave. Uma dica para quem tem paladar mais forte é colocar a gosto uma pimenta em pó japonesa que geralmente é oferecida na casa (Ichimi Togarashi), pois realça o caldo. O tempurá estava crocante, com a massa bem sequinha e leve, uma ótima sugestão.

No Zaru Ten Soba o macarrão vem sobre uma esteira acompanhado de um molho à base de shoyu, dashi e sakê. Como yakumi (temperos), vieram cebolinha bem picadinha, wasabi e daikon oroshi (nabo ralado), que devem ser misturados com o caldo ao gosto de cada um.

Depois de adicionar os temperos ao caldo, é só molhar uma pequena porção do macarrão no caldo e comer. A porção do tempurá é igual ao do Tempura Udon, que combinou perfeitamente fazendo um contraste entre o quente e o frio.

Para complementar, pedimos as sobremesas. Por sorte haviam duas opções no cardápio, o pudim de leite e o pavê.

O pudim estava cremoso e saboroso. Outro ponto que agradou é que não estava tão doce.

Mas quem roubou a cena foi o pavê. Com uma apresentação não muito atraente, se mostrou surpreendente com o creme e a metade de um bombom de Sonho de Valsa fazendo uma bela combinação.

Quando pedimos a conta, uma das donas do restaurante nos perguntou se as fotos saíram boas... ao contrário de outros lugares que sequer nos trataram bem. Um lugar simples e com gostinho de comida caseira. Uma ótima opção na Liberdade.

Mais detalhes:
Sou um pouco suspeita em escrever uma opiniao a respeito deste restaurante por que sou uma frequentadora assidua!!... Este restaurante fica em um predio, nao da pra ver da rua, vc estaciona o carro e sobe de escada ou elevador, este edificio tem varios outros restaurante de comida oriental. No meio do salao fica um balcao, como uma ilha, rodeado mesas de quatro lugares. A especialidade da casa são as massas, por isso, soba, yakissoba, lámen e udon fazem muito sucesso entre seus cliente, geralmente no inverno. O nikuyassai (carne cozida com verduras e legumes) também é uma boa pedida, o tempura e sequinho e recomendo o rolinho primavera ( que nao e japones) mas o de la e imperdivel nada haver com o do china in box...Estudantes que moram na regiao sempre aparecem por la.
Neste friozinho eu recomendo o nambeyaki udon é uma delicia e preço justo com estacionamento na porta super cômodo e SEGURO !!! Infelizmente hoje em dia ate para poder comer precisamos de segurança pois estes bando de preguiçosos que nao querem trabalhar nos roubam ate dentro dos restaurantes...........
Sempre que algum amigo vem pedir dicas de restaurantes japoneses (de verdade), eu pergunto:

- Quer comer sushi ou pratos quentes?

Quando a segunda opção é escolhida, eu abro um sorriso e não hesito: Mugui. Tenho um laço afetivo com esse lugar faz algum tempo. Meu avô adorava almoçar lá e acabou ficando amigo do falecido "Seu Anésio", dono da casa. Hoje, quem toca o negócio e mantém o padrão é a mulher dele. Me enche de alegria ver bom movimento por lá sempre que apareço.

A comida tem um tempero muito caseiro e uma simplicidade cativante. O cardápio tem pratos pra todos os gostos e principalmente, pra todas as estações. Mas lembre-se: não existe peixe cru por lá!

Nessa época de calor, as boas pedidas são o Hiyashi Chuka - um macarrão servido gelado num caldo super leve à base de shoyu - e o meu preferido: Zaru-Ten. É um macarrão macrobiótico servido frio ou à temperatura ambiente com um caldo um pouco mais temperado, acompanhado de uma porção de tempurá que você mergulha no mesmíssimo caldo do macarrão. Você pode acrescentar se desejar, cebolinha, nabo ralado, gengibre e wasabi ao caldo. Sempre que peço, deixo sobrar um tanto do macarrão e do caldo e guardo pra comer gelado na manhã do dia seguinte. É acordar de bom humor na certa!

Quando o clima está mais frio, a coisa até melhora! O "Care Raissu" (jeito japa de falar curry-rice) deles é bem recomendado pra quem curte o sabor do curry. Servido com arroz, fukujinzuke (uma conserva de legumes adocicada) e um ovo frito.

Também tem o Niku Domburi, uma tigela com arroz embaixo e carne com legumes num molho em cima.

E pra quem quiser ficar no macarrão o ano todo, o Yakisoba deles é, segundo meu irmão, o melhor de São Paulo. Sem falar no Nabeyaki Udon (macarrão de arroz com lombo de porco, ovo, legumes e tempurá, num caldo suave), que esquenta até a alma.

O Mugui definitivamente é um lugar que eu poderia almoçar todos os dias. Nunca deixe de pedir o inigualável Gyoza de entrada e o pavê de sonho de valsa de sobremesa! Esse último vez ou outra ta em falta, mas vale perguntar por ele.
Considero o Mugui uma boa opção de lugar para almoçar pra quando se quer variar daqueles almoços self-service.

O ambiente é bem simples, mas o atendimento e a comida são ótimos!
Tem lugares para sentar junto ao balcão e também mesinhas. Um detalhe que achei engraçado foi que as cadeiras que ficam junto às mesas têm rodinhas. rs

Das vezes que fui, pedi o prato Omuraisu, (corrigi para constar o nome da forma correta rs), que é um omelete com yakimeshi (tipo arroz misto) de recheio e salada de acompanhamento. Realmente a comida tem aquele toque caseiro, como já comentaram.

Dá para optar pelo prato inteiro ou por meio prato. Nunca pedi o inteiro, então não sei dizer a diferença do tamanho da porção.

Oferecem Ban-chá gelado (não me lembro o preço exatamente, mas acho que era R$ 1,00).
Meio prato + Ban-chá = valor aproximado entre 15-20 reais.

Pelo que vi nas fotos e resenhas anteriores, as sobremesas parecem ser uma boa pedida também!
Exibindo de 1 a 14
Total de opiniões: 17

Nota geral Você conhece o Mugui? Escreva uma opinião! Dê sua nota!
Passe o mouse pelas estrelas clique para dar nota
Título da opinião

Opinião
Para enviar fotos ou preencher os campos adicionais, faça seu (Você não perderá a opinião escrita)