Mori Sushi

Endereço: Rua da Consolação, 3610 , Jardim Paulista - São Paulo , SP - Brasil - 01416-000

Telefone:

(11) 3898-...

Clique para ver

Desde fevereiro de 2004, o Mori Sushi Ohta é um dos restaurantes japoneses de maior sucesso de São Paulo. Sushis e sashimis personalizados, aliando técnicas tradicionais e criatividade, garantem o sucesso de nossa casa. Nossa carro-chefe é o Rodízio, mas também oferecemos combinados especiais e p...  Ver mais

Preço por pessoa

Site oficial
morisushi.com.br
Bom para
Encontros românticos, Reuniões de negócios, Ir sozinho, Comer muito

Primeira opinião
Fernando O.
Formas de pagamento
Crédito:
Débito:

cash, credit card, debit card
Horário de funcionamento
Seg.
12h - 15h e 19h - 23:30
Ter.
12h - 15h e 19h - 23:30
Qua.
12h - 15h e 19h - 23:30
Qui.
12h - 15h e 19h - 1h
Sex.
12h - 15h e 19h - 1h
Sáb.
12:30 - 16h e 19h - 1h
Dom.
12:30 - 16h e 19h - 23h


Detalhes
  • Acesso para deficientes
  • Animais permitidos
  • Ar condicionado
  • Aceita reservas
  • Mesas ao ar livre
  • Proibido fumar
  • Área para fumantes
  • Couvert artístico
  • Couvert
  • Música
  • Faz entregas
  • Estacionamento


Como chegar
Favorito
Ver cardápio
Sou dono
Escrever opinião

Reportar problema
Como chegar - Traçar rota


http://br.kekanto.com/como-chegar/mori-sushi
Notas específicas:
Ambiente
(50)
Comida
(49)
Atendimento
(50)
Custo-benefício
(50)
Bebida
(43)
Dicas Ver mais
Opiniões

via Android

Depois de até meu cunhado de Marília falar que o rodízio do Mori era bom, resolvi provar.
Era 22:30 de uma sexta-feira e estava bombando!! O lugar é bem frequentado (segundo o amigo que estava comigo, "tava melhor que balada"), e a espera era de 50min. Essa espera não se torna tão chata graças aos vários zabutons pra sentar e pedir bebida.

Acontece que depois de tanto esperar, achei que o rodízio (R$79) é só OK ... O maguro estava realmente fresco e me impressionei com a crocância do nori do temaki, mas a variedade de peixes é bem básica (salmão, maguro e peixe prego que não gosto), o arroz de alguns niguiris estava duro e todas as coisas são comuns (gyouza, harumaki oleoso, shimeji, aneis de lula, camarão empanado).
Ainda prefiro o Aoyama, rodízio na mesma linha e preço, mas com muito mais variedades (até ovas e diferentes tipos de jo).
Parte boa: bancha quentinho e for free!

Se não estiver de carro, é possível pedir um táxi para o próprio segurança do restaurante.
(Há um estacionamento do lado, mas acho que custa uns R$25).
Havia ido duas vezes ao Mori e sentado nas mesas. Até aí havia achado a experiência bacana, mas muito cara para um rodízio que, na melhor das hipóteses, seria bem bom.

A experiência, porém, mudou completamente quando me sentei no balcão. Aí você percebe que o preço cobrado é mais do que justo.

Fui em dezembro/2012 com uma amiga e sentamos com o sushiman Robson. Voltei em janeiro/2013 com o namorado e sentamos com o Adriano, e nestas oportunidades é que descobri que o Mori vale a pena para sentar no balcão!

Sentado no balcão você vai conversando com o sushiman e desfrutando de uma experiência única. Vai criando intimidade e falando sobre o que gosta, se está disposto a provar coisas novas, o que gostaria de comer.... E aí você sai dos tradicionais salmão/cream cheese/cebolinha para experimentar coisas bem diferentes e muito saborosas! Minhas favoritas, até hoje, são:

Atum selado na canela: achei a ideia bem estranha, mas é sensacional, o toque da canela é sutil e o contraste quente/frio é muito bacana.

Tartarezinho de kadiki: não conhecia o peixe, é servido batidinho como um tartare, mas com um tempo que lembra ceviche, muito bom também.

Niguiri de camarão, não tem nem o que dizer! Fora que não é qualquer rodízio que inclui esse tipo de iguaria.

Camarão enrolado no salmão com ovas e raspas de limão siciliano> sensacional. Não sou fã das ovas por causa da textura mas essa combinação é realmente muito boa, um pouquinho de ovas em cima para dar uma crocância, fora o perfume do limão siciliano e o contrastes das cores deixa o prato muito bonito mesmo.

Polvo com missô: esse é imperdível também. Tinha muita ressalva com polvo por causa da textura/ponto de cozimento, que às vezes faz com que fique borrachento. Mas as fatias cortadas fininhas e o polvo bem macio me fizeram perder o trauma.

Da última vez que fuil, no dia dos namorados, a casa continuava com o mesmo padrão. Chegamos logo após o jogo do Brasil e já tinha uma filazinha de uns sete casais na frente, mas como uma parte deles não foi de balcão (UFA!), conseguimos nosso lugarzinho com um sushiman cujo nome não me recordo. Tinham incluído queijo coalho no cardápio (não entendi a proposta, e também não pedi. Adoro coalho, mas não no japonês, né?) e experimentei um sushi novo, de atum selado com foie gras em cima. Achei bem interessante mas é bem pesado, pois o atum já é um peixe gordo, com aquele foie gras gordíssimo em cima então, nem se fala. É pra comer dois, no máximo. O sabor fica bem forte por causa do fígado selado. Achei interessante, mas com o ressalva de ser pesadão (fora a questão ética, até gosto do foie gras, mas se como fico me sentindo moralmente mal). Provei também o peixe serra, que tem uma espécie de "courinho" cinza em cima. Tem gosto bem forte (aqueles peixes bem como gosto de peixe mesmo, embora isso pareça redundante). Valeu provar, mas não repetiria esse não. Única ressalva, a meu ver, é que o shimeji lá não é dos melhores (acho que eles usam aquele shimeji branco, meio borrachudo) e eu que adoro o cogumelo, acabo não comendo. Mas por todo o resto digo que a experiência vale, e muito, o tempo esperado na fila para poder sentar no balcão.
Uma das melhores experiências de rodízio japonês que já tive.

Logo na chegada, há um estacionamento bem ao lado, onde você pode deixar seu carro por ~R$20 por 2h.

Chegamos em 4 para o almoço numa quinta-feira, por volta do meio dia, e fomos para uma mesa sem espera. Daí optamos pelo festival de sushis. E realmente honram o nome: foi um festival. As peças estavam frescas e saborosas, e os temakis também estavam ótimos. E nem por um segundo ficamos abandonados com a mesa vazia. Tudo que pedíamos traziam rápido e em muita abundância. Foi show! E pra finalizar fomos servidos Hagen Dasz de sobremesa.

E o atendimento foi muito simpático e eficiente. O ambiente é aconchegante, com pouca luminosidade e com decoração abundante em madeira.

Vale muito à pena ir. Foi uma excelente experiência.
Um dos melhores rodízios de sushi que já experimentei! Fui no Mori em uma quinta-feira no almoço e conseguimos pegar uma mesa tranquilamente por volta das 12h40. O local é super agradável e tem uma espera meio lounge com sofás na entrada e dois ambientes separados por um sushi bar central que serve ambos os lados.

Optamos pelo festival de sushis que custa R$ 71 no almoço de semana (e R$ 79 nos outros períodos) e inclui as coisas normais de um rodízio, só que com sashimi à vontade.

Destaques para o sashimi de salmão, uma trouxinha de catupiry, o grelhadinho de anchova e o salmão marinado. Experimentei muita coisa diferente que veio e gostei de tudo, só o atum que era bom - mas poderia ser melhor. Para finalizar uma pequena bola de Haagen-Dazs que está inclusa no rodízio.

O atendimento é muito eficiente e gentil, uma raridade em rodízios japoneses comuns onde os garçons geralmente estão na correria de anotar dezenas de pedidos. Há um estacionamento logo ao lado que custa R$ 23 por duas horas (carinho =/).

Para quem vai sozinho, tem bastante lugar no balcão =)
Gostei do restaurante inicialmente, tive boas referências do lugar mas o atendimento me decepcionou um pouco. Pelo valor do rodízio achei que o serviço seria rápido, teríamos um atendimento diferenciado e pratos maravilhosos, porém, o atendente nem queria nos dar o menu, demorou para recebermos os pratos. O sabor estava bom, mas o atendimento estragou o jantar.
Rodízio de Sushi muito bom na região da Oscar Freire. O ponto alto para mim foi o Sashimi de Salmão que estava super fresco, derretendo na boca e de sabor excelente.

Fui almoçar em um dia de semana e o Mori estava bem cheio. Apesar de quase todas as mesas estarem ocupadas o atendimento foi excelente e super rápido. O ambiente é bem moderno e agradável, o espaço entre as mesas é bom o suficiente para ter um pouco mais de privacidade.

O rodízio é mais premium do que a média de São Paulo. O custo por pessoa com bebida e 10% beira os R$80. Vale a pena se optar por rodízio mais premium.

O Mori e o Yashiro estão na minha de lista de melhores rodízios de São Paulo.
Minha segunda visita ao restaurante e minha opinião não mudou, na verdade mudou sim, piorou. Quinta-feira a noite e uma espera de acreditem uma hora e meia. Teria ido embora se já não tivesse que pagar R$20,00 de estacionamento.
Durante a interminável espera pedimos uma caipirinha, mas o coitado do barman derrubou o saco de açúcar dentro do copo e por pouco não viramos todos diabéticos.
O rodízio é farto de opções sem graça e tempero. Pedimos shimeji e shitake que não vieram frios, vieram gelados. Pedi para trocarem e nunca mais vimos a cara do prato.
O carpaccio de salmão, por Deus, o que foi aquilo? Não sabia o que era peixe e o que era gordura de salmão.
Para quem gosta de temaki spicy vá preparado, o spicy vai além de qualquer korean level.
Meus amigos disseram que havia um enrolado de camarão Top! De fato, todos adoraram. Não posso dizer nada pois sou alérgica, mas confio na unanimidade, ou não.
O sorvete Haagen dazs servido no final, mas que enganação sem vergonha. Me levaram uma sopa de macadamia com um resto mortal de sorvete, tipo bem fundo do pote.
Três horas depois e cem reais mais pobre voltei pra casa com uma indigestão de indignação.
Fantástico
Visitei o Mori sem saber da sua tradição em São Paulo.

Não enfrentei espera mas o restaurante estava cheio, o ambiente é bem agradável com luz baixa e uma decoração moderna.

O rodízio é maravilhoso, tudo muito bem preparado e servido sem limitação. O tartar de salmão era preciso pedir separadamente mas estava incluso no rodízio.

Em Campinas abriu uma unidade mas ainda não fui conhecer.
Só de falar no Mori ja me da água na boca, definitivamente é o melhor restaurante japonês de São Paulo que conheço, tudo fresquinho, o restaurante é bem bonito com música ambiente agradável. O rodizio é sempre a boa pedida, assim que você senta e pede o rodizio, meu Deus é uma fartura só, a mesa fica lotada de entradas maravilhosas e com o passar do tempo a gente vai repetindo e os garçons vão fugindo da sua mesa e demora muito para chegar a repetição, acho que isso é praxe e os garçons são treinados para fazerem isso mesmo, pois frequento o Mori a anos e sempre acontece a mesma coisa, seja quando vou só com meu marido ou grupo de amigos. Gosto sempre de chegar até as 20hs para não pegar fila, depois deste horário, se prepare para uma espera de aprox. 1hr. Ahhh não posso me esquecer da Caipiroska de Frutas Vermelhas, Perfeita!!!
Gostei muito do restaurante, porém, faria várias mudanças, foi com meu namorado lá e nos colocaram no pior lugar do restaurante, onde não abrem sempre, só em caso da casa estiver cheia, conclusão, PÉSSIMO ATENDIMENTO, contudo, teve um único garçom que viu que nossa mesa ficou por mais de meia hora vazia, e começou a nos atender, o ÚNICO que teve a capacidade de vir e nos atender DECENTEMENTE.
Outra coisa que odiei foi a demora de trazerem os pedidos, impressionante.
Quanto aos pratos, gostei bastante, tirando só a grossura dos sashimis, que na minha opinião poderiam ser um pouco mais finos. Amei o salmão flambado *-* Estava coisa de outro mundo, e gostei bastante do Sashimi...
Mas não seria um restaurante que eu iria muitas vezes, afinal, preço muito caro para não ser o melhor!
É claro que os dois Mori sushis visitados só se assemelham pelo nome, mas dentro de nichos diferentes os dois superam as expectativas em suas propostas. Enquanto o Mori da Califórnia busca uma degustação bem sofisticada de iguarias orientais, nosso representante brasileiro trabalha no sistema rodízio, aliás, sem dúvida o melhor rodízio de comida japonesa em São Paulo, em nossa opinião.

A grande sacada nesse restaurante é sentar no balcão, pois você será atendido diretamente pelo sushiman que apresentará uma sequência quase exclusiva, de acordo com suas preferências e dos produtos de época disponíveis no momento, enquanto nas mesas os tipos de sushis e sashimis são limitados aos descritos no cardápio. Nosso lema é "nenhuma restrição"...

A espera média do balcão é de mais de uma hora, já que o restaurante não faz reserva, mas sempre, sempre vale a pena esperar, além disso, a sala de espera é ampla e aconchegante, com vários sofás e onde servem drinks enquanto esperamos um lugar.

Com uma decoração bem moderna, a casa é grande e atende a todos os tipos de clientes, inclusive com rodízio vegetariano, se informado antecipadamente.

Enquanto aguardávamos nosso lugar no balcão, pedimos duas caipirinhas de saquê, uma com lima da pérsia e outra de frutas vermelhas. No fim acabei tomando as duas rsrsrs

Infelizmente o Chef Daniel Hirata não estava no dia, pelo nascimento de sua filha, mas sua equipe mantém a qualidade dos pratos sempre que está ausente.

Devidamente instalados foram oferecidas as entradas, que vem desde os tradicionais missoshiro, sunomono, guiozas e rolinhos primavera até trouxinhas fritas de salmão, lula e peixe prego grelhados, este último muito saboroso. Pedimos duas, o sunomono que estavam muito crocante e saboroso, no ponto certo...

e um salmão recheado de cream cheese, coberto com shimeji e flambado no licor de laranja...nota 10, que chega pegando fogo.

Enquanto isso o Luís, suhiman no comando nesta noite e que nos atendeu, preparava os primeiros dos diversos pratos que seriam servidos em pequenas porções mas em tanta variedade que teremos que fazer dois posts para não deixar nada para trás. Vai valer a pena cada foto.

Inicialmente nos serviram um carapau com gengibre e alho frito, tão fresco que o peixe estava inteiro e foi filetado na hora.

Logo em seguida veio um ceviche de dourada com cebola roxa, tomate cereja e crispy de mandioquinha, bem equilibrado e muito saboroso.

O próximo prato foi de sashimis de salmão e camarão com masago (ovas de capelin) e cebolinha, marinados no shoyu com suco de laranja... acho que a foto fala por si só...

Enquanto os pratinhos vão aparecendo, ficavam sempre disponíveis os sashimis que hoje eram de atum, salmão e tainha com masago. Aliás, é impressionante que mesmo vivendo meus primeiros 30 anos de vida em Florianópolis, cidade que pesca dezenas de toneladas de tainha a cada ano, fui conhecer o sashimi de tainha em São Paulo e o peixe crú é um espetáculo. Porque os restaurantes japoneses de Floripa teimam em servir peixes brancos congelados se possuem uma variedade gigantesca de espécies que poderiam chegar à mesa do comensal poucas horas depois de serem pescadas? No Japão a tainha é considerada peixe de baixo valor porque é pescada na baía de Tóquio totalmente poluída, mas a nossa é totalmente diferente e muito saudável.

Depois desse desabafo, vamos continuar com as delícias apresentadas na noite... um camarão empanado com molho tonkatsu extremamente crocante e sequinho...

E polvo grelhado na manteiga, selado por fora e bem macio por dentro...muito saboroso.

Logo depois veio este par de sushis de carapau, um par de nigiris de tainha com lâminas de limão e um par de nigiris de camarão com masago... 

Como o restaurante trabalha com rodízio, tem menor variedades de peixes e frutos do mar, comparado ao seu homônimo na Califórnia, até por apresentar propostas diferentes. A simplicidade do de LÁ torna a variedade de iguarias o grande destaque, enquanto no de CÁ a equipe supera facilmente essa limitação com muita criatividade. E como ainda faltam mais de 10 tipos de sushis para mostrar vamos fazer isso no próximo post... aguardem que vale a pena...

Rua da Consolação, 3610 - Jardins, São Paulo
http://www.morisushi.com.br/
Não sei se sou a melhor pessoa para avaliar, pois eu não como camarão! E que fique claro: meu marido, que ama camarão, saiu bem mais satisfeito do que eu.
Eu poderia dizer q o Mori é mto bom, se não tivesse ouvido (e lido) tantos elogios... Imaginei que comeria o melhor rodízio de japonês da minha vida. Mas passou longe....

Fomos em uma segunda-feira, sentamos logo que chegamos. Não achei a hostess mto simpática, enquanto escolhíamos a mesa, ela parecia impaciente. Sentamos ao lado de uma mesa com 6 estrangeiros que recebiam atenção constante de diversos garçons, enquanto a gente precisava acenar para pedir qualquer coisa. Algumas entradinhas chegaram rápido, bem gostosas, algumas exóticas, mas nada que me desperte o desejo de voltar lá para comer de novo. O shimeji veio em uma chapa pequena, parecia porção individual. Estava gostoso. Ok, eles queriam que eu degustasse todas as opções... Qdo chegaram as peças principais, logo percebi (comparando com as outras mesas) que não haviam vindo algumas entradas. Precisei solicitar ao garçom. Logo chegaram os temakis.. lotaaados de arroz. Péssimos! Me lembrei dos rodízios de 40 reais e senti saudade deles... q temaki era aquele??? Pedi outro temaki, quis dar uma chance, afinal, o q se espera de um temaki qdo se paga 71 reais pelo rodízio? Nova decepção....
Pedimos uma nova porção de shimeji, desta vez mandaram dois potinhos com shimeji.. sim, potinhos. O shimeji estava mergulhado em um caldo que parecia aqueles de casa q se faz com caldo knorr... nada a ver com o primeiro servido.

Por fim, as peças principais agradaram bastante. O sashimi é perfeito. Derrete na boca. Meu marido adorou tudo que foi servido com camarão...

A casa oferece uma bola (bem-servida) de sorvete Haagen-Dazs como sobremesa.

Se eu iria novamente? Só se fosse para acompanhar alguém (que desejasse mto ir). Na minha opinião, come-se tão bem qto (ou melhor) por menos.
Exibindo de 1 a 14
Total de opiniões: 85

Nota geral Você conhece o Mori Sushi? Escreva uma opinião! Dê sua nota!
Passe o mouse pelas estrelas clique para dar nota
Título da opinião

Opinião
Para enviar fotos ou preencher os campos adicionais, faça seu (Você não perderá a opinião escrita)