Manekineko

Endereço: Rua Voluntários da Pátria, 446 , Humaitá - Rio de Janeiro , RJ - Brasil - 22270-010

Telefone:

(21) 2537-...

Clique para ver
Categoria:

Restaurantes Japonês

  | Rank: 63º de 202
Preço por pessoa
$$$$ (De R$51 até R$100)

Site oficial
manekineko.com.br
Primeira opinião
Alexandre Autran
Formas de pagamento
Crédito:
Débito:

cash, credit card, debit card
Detalhes
  • Acesso para deficientes
  • Ar condicionado
  • Aceita reservas
  • Mesas ao ar livre
  • Área para fumantes
  • Música
  • Faz entregas
  • Estacionamento


Como chegar
Salvar favorito
Reportar problema
Sou dono
Escrever opinião
Como chegar - Traçar rota

  • Lugares parecidos
  • Cadastro

http://br.kekanto.com/como-chegar/manekineko-3
Notas específicas:
Ambiente
(12)
Comida
(12)
Atendimento
(12)
Bebida
(12)
Custo-benefício
(12)
Dicas
Paguei a conta gorda por uma noite que faço questão de esquecer.
André C.
Faz encomendas e entregas em casa.
Marisa M.
Domingo é o pior dia. Não vá e não peça em casa.
Rafael D.
Peça as torres de salmão com castanha de cajú. Muito bom!
Carolline P.
Opiniões
O endereço esta errado. Nao é no 466, é dentro da Cobal.
O rodízio é bom mas não faz jus ao preço praticado, R$ 85,90. Um absurdo.
Todas as comidas servidas estavam muito boas com exceção do peixe branco, bem duro.
Minha reclamação maior é em relação ao atendimento, alem da falta de respeito por parte dos garçons, o que se tornou comum no rio de janeiro, infelizmente.
Não sabíamos que crianças ate dez anos pagavam meia e por conta disso, o garçom teve a pachorra de se dirigir diretamente a criança da mesa, perguntando a idade. Não entendemos nada e foi totalmente constrangedor. Ta virando rotina no rj, nao querer se estressar nos restaurantes e para isso ter que se passar por otário.
Ainda por cima, cobram o serviço de 13%.
Nao sei onde isso vai parar.
Pagamos os 10% e ainda achei muito.
Nao gostei!

Definição curta e grossa : fraco
Levando em conta que um Japonês é uma comida cara por várias razões, um restaurante que trabalha com essa cozinha precisa ser muito bom para justificar esse preço. Esse restaurante fica muito abaixo do aceitável na minha opinião concordando com outras opiniões acima ou abaixo
UAU! É o que consegui dizer ao experimentar aquelas belezuras. O sashimi com figo me fez dar cambalhotas! Um clima agradável, romântico e super família fez minha noite subir uns 3 níveis. Eu não estava esperando por um atendimento tão bacana. E, para finalizar a noite, um brownie com sorvete e frutas vermelhas. Como boa formiga que sou, posso dizer com propriedade que foi o MELHOR que já encontrei por aí.
Pena ter que estar com o bolso farto para ir lá. =/ rs

Se essa rede é considerada uma das melhores de comida japonesa aqui no Rio, então ainda tem muito chão pra melhorar e aprender. O restaurante não é ruim em termos de qualidade, mas considerando a relação custo/benefício, achei fraco demais.

O ambiente é ok, design "cool" mais ou menos, meio apertado, e o lugar é barulhento.

Quando o garçom chegou, pedi um rodízio pra mim e alguns outros pratos pra minha amiga e eis que tenho a primeira surpresa: a casa só aceita 1 tipo de serviço, ou rodízio pra mesa inteira ou a la carte pra mesa inteira. Nunca vi isso em nenhum restaurante em SP!!!! Chamei o gerente e expliquei que no meu caso aquilo era ridículo, era mais fácil eu pegar coisas do que minha amiga ia pedir e talvez não fosse aguentar (mas que pagaria por tudo sendo a la carte) do que ela pegar do meu rodízio. Ele fez um "super favor em off" e deixou que eu seguisse com o rodízio e ela com os avulsos. Isso deve ser por experiência própria deles, talvez muita gente ia em turma grande e uma pessoa do grupo pedia rodízio pra compartilhar com a galera... Enfim, tosco, mas são as regras da casa.

Vamos ao principal, a comida. Assim como o Andre comentou, vc saca se um lugar é bom pelas coisas básicas. No meu caso, além do peixe tb costumo prestar muita atenção no tempero e preparo dos pratos. Antes que me critiquem, estou dando minha opinião "técnica" com base em japas que costumo ir em SP. O missoshiro estava ok, podia ter vindo mais quente e melhor temperado (detalhe: no menu ele custa 10 reais!!! Não vale isso nem a pau!!!! Em SP muitas casas tradicinais servem um missoshiro infinitamente melhor e de cortesia), assim como um caldo de cogumelos que pedi. Aliás, caldinho fraco demais. Esperava shitake desidratado ou algum outro cogumelo mais nobre, mas veio um monte de champignon daqueles em conserva fatiados , com um macarrão sem graça. As frituras tb são fraquinhas, guiozas e harumakis bem massudos, hot roll numa massa meio murcha, tempura não estava crocante. O sashimi estava bom, fresco, mas tb nada de extraordinário. O arroz do sushi tb tava pesado. Tive que pedir wasabi, isso deveria vir junto do peixe já, mas ok. Da culinária tradicional, precisam se atentar a muitas coisas básicas antes de sair inovando, o que aliás quase me enganaram. Anunciam como novidade um sushi de ouriço de salmão com crispy de arroz e figo.. Algo assim. Mas leia direito: ouriço de salmão. Como assim ouriço de salmão!???!? Hahahaha que piada, só se fosse um ouriço mutante que conseguiu cruzar com um salmão. O negócio chama ouriço por da aparência acho, mas não tinha ouriço como ingrediente (isso sim seria algo mais exótico, assim como enguia, água-viva, centolla etc. e não essas inovações de pirulito de salmão e outras coisas normais servidas em formato diferente - mais do mesmo).

Resumindo, a qualidade da comida é boa, o atendimento também. Falar que o restaurante é muito caro ou barato é muito pessoal, pois leva em conta o benefício que a pessoa enxerga no produto que está consumido, e dados os meus pontos acima, a relação custo/benefício desse restaurante, pra mim, é péssima.

Muita gente pode nem prestar atenção nas coisas que falei numa refeição, e nem querem, valorizam outras coisas mesmo. Mas se de alguma forma os 70 reais do rodízio ou outros pratos, contextualizados com o que vc valoriza, fazem sentido, então vai tranquilo.
Nunca fui muito fã de lá e nem escutei opinião entusiasmada sobre a comida da casa - ao menos das fontes que considero confiáveis, amigos e conhecidos apreciadores da culinária japonesa. E, para finalizar, as poucas vezes que estive no restaurante, viraram poeira em minha memória de tão desinteressantes.

No entanto, como eu sou uma pessoa insistente e acredito em redenções, dou sempre uma última conferida para ver como as coisas andam. Afinal de contas, trata-se de uma rede de sucesso com diversas filiais pela cidade do Rio. Alguma coisa atrai as pessoas ao Manekineko. Talvez seja toda a ‘misancene’ que criam em cima da comida japonesa como parte do forte trabalho de marketing da marca. Comigo, até hoje, não colou.

Para mim, o que define um bom japonês, de cara, é a qualidade do peixe servido. E é simples constatar: peça um sashimi. Se estiver ruim, é o mesmo que ir numa casa de feijoada onde o feijão não é de qualidade nem bem temperado. Imaginem! Nos melhores restaurantes japoneses da cidade o que vale é a simplicidade elegante dos pratos nipônicos. Produtos de qualidade servidos sem alegorias carnavalescas. No Manekineko ocorre justamente o inverso. Lá o que parece importar são os enfeites: das opções mirabolantes e cheias de frufrus, aos nomes espetaculares e cinematográficos.

No confuso cardápio cheio de opções cênicas, solicitamos como entrada um Shimeji com Lula, por R$ 28,50. Poderia até esperar uma porção de tamanho mediano, tudo bem. Mas uma taça? Sim, uma taça com uma quantidade ínfima de cogumelos e lulas em tamanho reduzido, tudo mergulhado num caldo macabro de manteiga. Nem o mais exagerado dos franceses capricharia tanto na manteiga daquele jeito. Foi preciso enxugar as mini lulas para tentar catar o sabor do molusco.

Ao menos o serviço estava bom, sem reclamações. Pena que os gentis garçons não conseguiram trazer nada relevante. Ganhamos uma dupla de Chips de Aipim com Tartar de Salmão. A atitude de oferecer um prova aos clientes, para mim, é sempre louvável e uma forma de chamar a atenção para determinado prato. No caso do Chips, não chamou nada. Mas não deixo de agradecer a oferta. Pelo menos não tinha manteiga.

No menu, pirulitos de salmão e sei lá mais o quê. Onde estava à simples e elegante culinária japonesa de que tanto gosto? Dispensamos todo o enfeite e fomos ao sashimi. Um Mix (com seis atuns, seis salmões, seis tiras de peixe branco, um camarão e um kani – que substituímos por outro camarão). Antes disso, também solicitamos um Nirá para garantir. Sim, porque com nirá não tem erro. E não teve (e se tivesse também era brabo demais).

E logo veio a travessa com o sashimi. Poucas vezes na minha vida eu larguei uma porção de sashimi de lado como eu fiz aquela noite. Comecei a comer desanimado o salmão e por incrível que pareça me deu trabalho de mastigá-lo de tão travoso. Engoli o suficiente para enganar a fome. Não era peixe e sim um mico. Pensei em reclamar, mas de que ia adiantar: Já não queria mais nada por ali. Paguei a conta gorda por uma noite que faço questão de esquecer. Na verdade, quero é lembrar, para não repetir. Até que o diabinho novamente me carregue.
O Cobal do Humaitá no Rio de Janeiro tem muitas surpresas, mas nenhuma supera o Manekineko. De cara nossa anfitriã Poliana disse ser um dos melhores restaurantes japoneses cariocas e daí por diante passamos a namorá-lo até que inevitavelmente nos deitamos com ele, ui.

O lugar tem uma decoração linda que faz um combinação de paredes preta e vermelhas que dão um ar de sofisticação fantásticos. O logotipo de gatinho de cara nos deu um conforto de identificação felina e o atendimento foi excelente da espera por uma mesa ao atendimento dos garçons.

Escolhemos o rodízio e a maneira de escolha me é agradável sempre. Eu nem estava com tanto apetite, mas quando você pega a cartelinha e começa a se decidir pelo que vai colocar na combinação a fome é inevitável! Lencinhos quentes chegaram e os pratos a seguir, tudo bem rapidinho. Eram delícias indescritíveis! Vale muito a pena!

O detalhe ruim ficou por uma mesa, que foi embora antes de nós, mas que tinha um grupo de meninas completamente bêbadas e gritando, eu sei leitor-defensor, o restaurante não tem a mínima culpa, mas quem sabe outros leitores não disseminam a arte do comportamento distinto por onde forem??? Classe é tudo! Dinheiro é detalhe.
Venho com o entusiasmo de uma fã de japas, mas leio a resenha do colega André C. e fico perplexa: "Será que meu paladar viaja na maionese ou ele deu muito azar???".
Realmente, não é o melhor japa que já encontrei pela frente, mas é bom, isso (prá mim) é inegável.
Meu paladar é eclético e democrata, com queda à nipônico, então acredito no meu sentido.
Apesar da preferência pelas peças cruas - sashimis, gosto muito dos hots, harumakis e tempuras.
A última vez que fomos lá, pedimos o ninho crocante de salmão com shimeji, uma inovação dos hots com nissim e depois passamos para os sashimis - a adoração.
Ganhamos também outro prato, que não me recordo no momento, pela fidelização, ou seja, você se cadastra como sócio manekineko clube para obter descontos e promoções.
Muito bom, recomendo!
Qualidade razoável. O sashimi não é ruim, mas o produto servido é irregular: há dias em que os peixes estão deliciosos e outros em que parecem não serem frescos. Apresenta bons hots, mas peca por inventar demais. Até entendo que a proposta do Manekineko seja mesmo apresentar pratos diferentes, mas alguns chegam a ser meio bizarros: pirulitos de salmão defumado, ouriços de salmão com figo, sushis servidos em forma de centopeia para agradar as crianças...
O ambiente e o atendimento são fraquinhos, mas o saquê está sempre na temperatura correta.
Exibindo de 1 a 14
Total de opiniões: 16

Nota geral Você conhece o Manekineko? Escreva uma opinião! Dê sua nota!
Passe o mouse pelas estrelas clique para dar nota

Opinião
Para enviar fotos ou preencher os campos adicionais, faça seu (Você não perderá a opinião escrita)