Lampadosa

Endereço: Rua do Rosário, 36 , Centro - Rio de Janeiro , RJ - Brasil - 20041-000

Telefone:

(21) 2223-...

Clique para ver
Categoria:

Restaurantes Contemporâneo

  | Rank: 8º de 58
Preço por pessoa

Site oficial
lampadosa.com.br
Bom para
Drinques

Primeira opinião
André Paranhos
Horário de funcionamento
Seg.
12h - 16h
Ter.
12h - 22h
Qua.
12h - 22h
Qui.
12h - 22h
Sex.
12h - 22h
Sáb.
12h - 16h



Como chegar
Salvar favorito
Reportar problema
Sou dono
Escrever opinião
Como chegar - Traçar rota

  • Contato
  • Cadastro
* Por favor, preencha seu nome
* Por favor, preencha seu email válido
* Por favor, descreva o que deseja saber

http://br.kekanto.com/como-chegar/lampadosa
Notas específicas:
Ambiente
(5)
Comida
(5)
Atendimento
(5)
Bebida
(4)
Custo-benefício
(4)
Dicas
Mesa na calçada com certeza !
André P.
A feijoada, com certeza. O diferente dessa feijoada é o tempero. Não tinha experimentado um tempero assim antes. Feijoada com toque de classe.
Marcelo C.
Opiniões
Primeira opinião do lugar
O centro histórico do Rio é um local especial para curtir uma boa feijoada. Um pequeno quadrilátero em particular, delimitado pelas ruas do Mercado e Primeiro de Março e suas transversais ruas do Ouvidor e do Rosário, abrigam algumas das melhores opções da cidade.

Foi respondendo ao convite da amiga e chef Simone Almeida que fui conhecer sua nova casa, a Lampadosa.

Este pequeno trecho da Rua do Rosário me faz lembrar das ruelas de cidade medievais da Europa, em especial, da Petite rue des Bouchers, situada em Bruxelas, onde passei uma temporada. Além da semelhança pela sua localização em área histórica da cidade, a nossa rua é reservada aos pedestres e também abriga bistrots vizinhos, criando um ambiente propício ao lazer e à gastronomia a céu aberto.

A casa surgiu da combinação da Simone na elaboração do conceito aliada à expertise do seu marido Luciano, na gestão do consagrado Cais do Oriente, situado na quadra seguinte. A iluminação quente convida a uma experiência aconchegante.

No térreo do sobrado a cozinha do tipo aquário chama a atenção na produção dos pratos. No segundo andar um espaço reservado para grupos e no terceiro piso, o xodó da chef, seu atelier onde recebe curiosos em aprender os segredos da cozinha brasileira. É lá que diariamente, turistas na sua maioria estrangeiros, se deleitam com os sabores da nossa cultura. Tem até aula de Feijoada !

Instalados numa mesa bem em frente ao sobrado iniciamos com caipirinhas de cachaça artesanal acompanhadas de linguiça mineira e polenta fritas para abrir o apetite. O vai e vem da rua trazia visitantes e convidados para uma vernissage na vizinha galeria de arte.

A feijoada servida aos sábados é oferecida em porção individual, com um belo prato de acompanhamentos e apesar da generosa companhia da cumbuca de suculentas carnes. A farofinha de alho estava deliciosamente perfeita e o feijão com o tempero da chef apurado em muitas aulas no atelier anterior em Copacabana, onde tive a oportunidade de conhecer e registrar.

Porque era sábado, nossa tarde não poderia terminar sem uma passadinha para dançarmos junto aos amigos da Ouvidor que se reunem para a confraria do chapéu Panamá.

Ave César, figura implacável e defensor dos direitos da boa música ! Levamos o casal de canadenses Dorothy e Tom, integrantes da filarmônica em visita à cidade e que conhecemos naquela tarde no restaurante.

Coisa de cariocas... nós que os convidamos sem melindres e eles que aceitaram prontamente !

Serviço:
Lampadosa
Rua do Rosário, 36 - Centro
Tel (21) 2223-0144

R$ 27, a feijoada individual

Um pouco de curiosidade...

Muitos pensam que a palavra lampadosa tem alguma relação com lâmpada mas, na verdade, refere-se à ilha de Lampadosa, no Mediterrâneo, entre a Sicilia e o norte da África. Uma imagem de Nª Sª do Rosário, trazida dessa ilha passou a ser conhecida por Nª Sª da Lampadosa e, contagiada pela semelhança, passou a ser, também, Nª Sª das Candeias.
Uma irmandade de homens de cor foi fundada em 1714, sob a designação de Venerável Confraria de Nossa Senhora da Lampadosa, tida como protetora dos escravos. Os confrades, que exerciam sua devoção na Igreja do Rosário, obtiveram, por doação, pequeno lote de terra, onde erigiram uma capela. A Confraria, com o passar dos tempos, veio a construir, em 1747, a igreja que, à época, chegou a dar nome à rua hoje designada Luiz de Camões.
Consta que à sua porta, teria Tiradentes assistido parte da missa, em seu caminho para a fôrca.
A construção que hoje se vê, na Av. Passos 15, data de 1936.
Nª Sª da Lampadosa é representada por uma jovem mãe, tendo à mão direita elevada à altura do ombro um coração, símbolo do amor, e no braço esquerdo sustenta Jesus-menino que, por sua vez, tem à mão direita uma pomba, representativa do Espírito Santo. Tais detalhes já não são vistos na imagem do frontão da igreja.
Acabo de conhecer o charmoso restaurante,ao lado da Brasserie Rosário, e certamente voltarei. Pedi um risoto de presunto parma com figo e gorgonzola,que estava delicioso. Meu amigo optou pelo ravioli do cordeiro com hortelã, que ele também elogiou bastante.
O atendimento foi muito simpático e não vejo a hora de retornar num sábado, quando acontece a roda de samba e é servida a famosa feijoada.
Para quem quer dar uma olhada no cardápio (está com os mesmos valores que foram oferecidos hoje), está disponível nesse link: http://vejario.abril.com.br/imagem/2013/04-12/lampadosa.pdf
Localizado entre o Arco do Telles e o CCBB, região que são casarões antigos e bem charmosos e como são ruelas não tem o movimento de carros. Assim, esse restaurante oferece mesas ao ar livre e dentro no dois andares. Ou seja, é bem espaçoso. E é lindo. Eu adorei os lustres.

É um restaurante de cozinha italiana. As massas são o carro chefe da casa. Mesmo que aos sábados o restaurante faça feijoada para os clientes. Eu comi um espaguete com frutos do mar. Veio com bastante camarão e tinha marisco e polvo. O prato custou 39$. Bom, bom.

Cheguei lá e a dona meio que nos deu um bem-vindo, mas ela voltou para a aula de cozinha brasileira que ela oferece em um espaço no próprio restaurante. Os alunos até passaram quando terminaram a aula e pude ver uma brasileira entre os +- 8 estrangeiros.
Um achado no centro do Rio!! Conheci o Lampadosa graças ao pessoal do Free Walker Tours que nos levou até lá no fim do passeio. O lugar é super bonitinho e o atendimento atencioso e eficiente. A chef Simone Almeida foi super carinhosa e simpática com a gente!

Pedimos a feijoada, especialidade da casa e recomendada para os gringos. Não sou gringa, mas quis experimentar! rs O prato é servido em porção individual, com apresentação linda! Tudo muito gostoso e bem feito! A feijoada estava muito saborosa. Apesar da porção parecer pequena (para mim foi mais que suficiente), você pode pedir repetir. Por recomendação da chef, tomamos caipirinha de limão com maracujá que também estava uma delícia. Recomendo! Quero voltar para experimentar outros pratos!
Iniciando pelo atendimento, classifico como ótimo. Pedimos o couvert que é bem legal: Torradas temperadas, azeitonas sem caroço temperadas, manteiga, sardela e beringela gratinada. Tudo muito gostoso. A seguir a feijoada que surpreende pelo sabor e pela qualidade do que é servido. Para beber , chopp Teresopolis geladinho.
Rola aos sábados um samba de ótimo nível com uma galera jovem apresentando um repertório campeão. O lugar é bem agradável. Show!!
Instalado em um antigo casarão no Centro Histórico do Rio, o Lampadosa é uma boa nova opção de refeição. A casa tem pratos como a salada de bacalhau com feijão-verde carioca, risoto de truta defumada aos quatro queijos, pizza de presunto de Parma com aspargos e petiscos como linguiça artesanal acebolada. Bons drinques e vinhos.

Nota geral Você conhece o Lampadosa? Escreva uma opinião! Dê sua nota!
Passe o mouse pelas estrelas clique para dar nota

Opinião
Para enviar fotos ou preencher os campos adicionais, faça seu (Você não perderá a opinião escrita)