Kebab Salonu

Estabelecimento fechado

Endereço: Rua Augusta, 1416 , Consolação - São Paulo , SP - Brasil - 01304-001

Categoria:

Restaurantes Árabe

 
Preço por pessoa
$$$$ (De R$26 até R$50)
Bom para
Comer muito
Horário de funcionamento
Seg.
12h - 0h
Ter.
12h - 0h
Qua.
12h - 0h
Qui.
12h - 0h
Sex.
12h - 1:30
Sáb.
12h - 1:30
Dom.
12h - 0h

Redes sociais
kebabsalonu
Formas de pagamento
Crédito:
Débito:
cash, credit card, debit card
Primeira opinião
Rita DPC
Detalhes
  • Acesso para deficientes
  • Ar condicionado
  • Proibido fumar
  • Wi-fi
  • Estacionamento

Como chegar
Salvar favorito
Reportar problema
Sou dono
Escrever opinião
Como chegar - Traçar rota

  • Lugares parecidos
  • Cadastro

http://br.kekanto.com/como-chegar/kebab-salonu
Notas específicas:
Ambiente
(6)
Comida
(6)
Atendimento
(6)
Bebida
(4)
Custo-benefício
(5)
Dicas
Durante a semana o almoço executivo é temático e a cada dia inspirado em um país diferente, como Síria, Líbano, Índia, Paquistão, Irã e Marrocos. Custa R$ 20 e inclui salada, prato principal, bebida, doce libanês e um expresso Santo Grão
Débora C.
Ele traz o cardápio na íntegra no site dele, dê uma olhada antes de ir! :)
Vânia M.
O cardápio completo está disponível no site do estabelecimento.
Alessandra C.
Opiniões
Tem dias que nos reservam deliciosas surpresas e foi em um dia desses que eu tive o prazer de conhecer esse lindo restaurante localizado na agitadíssima Augusta, que traz a releitura da culinária do Oriente, Norte da África e Península Indiana.

Eu estava com muita fome, era horário de almoço.. e assim que avistei a deliciosa opção de buffet antioquino, onde se come à vontade por um preço fixo, não tive dúvidas e "ataquei" a opção!

Não imaginava que o buffet fosse tão grande, completo com opções de altíssima gastronomia... tudo de primeiríssima linha!

E olha que o André Leiras, souschef do restaurante, estava apavorado me dizendo que eu deveria ter ido antes para tirar fotos, lá pelo meio dia, a hora que o buffet começou a ser servido e não aquela hora ( já eram 15 horas, quase).. fiquei imaginando como deveria estar então antes, visto que naquele horário as comidas estavam com uma aparência perfeita, já dando uma idéia de como iriam agradar qualquer paladar.

Iniciei minha "comelança" pelos pães e molhos.. hummmmm... delicioso... a coalhada fresca, taratour e pasta turca estavam divinos...

Ainda peguei um pouquinho da carne que estava sendo servida como "churrasquinho grego", que no dia era carne de vitelo... cada dia eles servem uma carne!.. Dá para acreditar?

Depois ainda fiz um prato com um pouquinho de cada coisa do buffet e fiquei até triste de tão bem servida que estava a comida e saborosa...
Quem pede o buffet ainda ganha um chá gelado de hortelã... achei bem diferente, mas estava gostoso!

E depois de toda essa perfeição, ainda vem a garçonete com uma bandeja de docinhos para você escolher um....acreditem se quiser, mas ele também está incluso no preço do buffet!

Andei dando uma olhadinha no cardápio e me impressionei com a quantidade de cervejas diferentes, em versão long neck que o restaurante tem indo desde a Heineken, Baden Baden até Eisenbahn....show de bola. Apesar que em um lugar desses vale experimentar os famosos Sharbats ou então Lassis.
Os pratos a la carte tem o preço super acessível, ainda aliados a qualidade.. . esse restaurante é um tiro ao alvo!

Depois de saborear aquele delicioso almoço, ainda provei um chá quente oriental de laranja e canela e estava divino:

O restaurante fica aberto do almoço até 00:00 e sextas e sábados até 1:30, isso porque além de todas essas delícias ele também é um café turco e tem uma carta muito especial de cafés... SHOW!

E na hora de ir até o caixa pagar sua conta ( a comanda é individual, outro mega ponto positivo!), não deixe de comprar um docinho libanês ou lokum por R$ 3,75, vale muito a pena! Eles estão no balcão que é de vidro... comprei um e adorei!

Recomendo muito para quem quer almoçar ou jantar em um lugar extremamente aconchegante e com uma comida maravilhosa e também para aquela pessoa que ama um café de boa qualidade!

Resumindo: é para todos os gostos e qualquer ocasião!
A diversidade gastronômica da cidade de São Paulo é realmente encantadora. Conhecer novas culturas por meio da comida é um privilégio de quem vive ou passeia pela capital paulista. E um dos lugares que conhecemos recentemente se encaixa perfeitamente nessa miscelânea. Restaurante informal que retrata as culinárias árabe, hebraica, persa, balcânica, caucasiana e (ufa!) asiática, o Kebab Salonu possui três ambientes, todos com moderna decoração inspirada em cores e formas do Oriente.

O carro-chefe do cardápio é o kebab, sanduíche comum em boa parte do Oriente Médio e região, cujo nome e recheios mudam de acordo com o país. No Kebab Salonu, ele é feito com pão lavosh preparado na hora e conta com 16 combinações de recheio, entre grelhados, pastas e verduras.

Depois de passarmos várias vezes por cada uma das opções, ficamos com o de Falafel (folhas variadas, bolinhos de grão-de-bico fritos, molho taratour de tahine, citronete de limão, tomate e cebola – R$ 14,50) e com o Indiano (folhas variadas, tiras de frango e cebola marinadas em iogurte e curry, chutney de banana, coalhada seca e gengibre – R$ 16). Ambos com uma mistura harmoniosa de sabores que aguçou nossos olfatos e paladares.

Pouco antes tínhamos pedido as bebidas, claro que com dificuldade semelhante à escolha dos kebabs. Resolvemos arriscar os sharbats (R$ 4,50), refrescos feitos de água com gás ou limonada misturados a xaropes variados. O Fernando ficou com o sharbat gasoso de damasco e eu com a limonada aromatizada com xarope de rosas.

E gostamos tanto da idéia de experimentar bebidas exóticas que decidimos trocar a sobremesa pelo frozen sharbat (R$ 6,50), parecido com uma raspadinha. O de mate com xarope de menta estava delicioso.

Já o de Tchai Massala (chá preto indiano, leite, cardamomo, gengibre e cravo) tinha um sabor muito bom, mas o excesso de gelo interferiu na textura e não conseguimos beber até o fim.

Antes de sair conversamos com o chef Rodrigo Libbos, que, além de detalhar alguns pratos do cardápio, nos deu uma breve aula sobre a cozinha do Oriente Médio e países próximos. Foi interessante aprender sobre as inusitadas variações da culinária de cada país daquele canto do mundo.
Pode parecer clichê, mas fizemos uma verdadeira viagem gastronômica. E o melhor de tudo é que na volta não foi preciso pousar em nenhuma pista escorregadia: desembarcamos em plena rua Augusta, de onde nem sequer tínhamos saído. Isso porque o restaurante fica no mesmo local em que funcionou o clássico Long Champ, antigo reduto de intelectuais na cidade.

Brincando de Chef – www.brincandodechef.com.br
Uma excelente surpresa! Foge do convencional para quem gosta de experimentar novos sabores de café. A casa serve também buffet antioquino, com muita variedade de pratos, e ótimas resenhas por parte de amigas que almoçaram lá.

Fui para matar a saudade do café turco e não me arrependi! Além disso, provamos a mousse de chocolate (muito boa!) e a "Mhalabie" (tradicional doce turco feito com arroz doce e água de flor de laranjeira, que estava divina!). O ambiente é muito aconchegante!

Garçons muito bem treinados e atenciosos são os responsáveis pelo atendimento de primeira linha desse café.

Recomendo para quem adora experimentar novos sabores de cafés, com excelente qualidade, ambiente aconchegante e atendimento impecável!
Primeira opinião do lugar
Fui parar nesse lugar por indicação de amigos. Achei muito interessante e diferente. Não sei se pelos frequentadores (como o restaurante fica na Augusta, costuma ter vários "tipos" diferentes) ou se pelo próprio ambiente, não me senti em São Paulo.

O ambiente é leve, agradável e lembra um fast food bem decorado. Comi somente lanche e a comida chegou rápido, o que deu mais impressão de fast food. O atendimento é ágil, e o garçom era tão sorridente que eu até fiquei com vergonha.

O carro chefe do local é o café turco. Não provei porque fui a noite e pretendia dormir cedo, mas meus amigos disseram que era ótimo.

De entrada, pedimos um babaganuche, que tinha o gosto bem forte de defumado. Para acompanhar, um pão lavosh, que é feito na hora e vem enrolado num papel que imita um jornal turco. Esse pão é super fininho e vem quente. Depois, pedi um kebab de chancliche, que serve bem uma pessoa e estava muito gostoso.

Saí de lá com uma ótima impressão e não achei caro. Voltaria, mas não para uma refeição "grande" (como um almoço de família, por exemplo).

Recomendo dar uma passada lá também no caminho da balada, afinal a região é cheia de barzinhos e baladinhas. No dia em que fui, a rua estava cheia de gente.
Durante um passeio pela Augusta, pare para conhecer o Kebab Salonu, onde se serve um dos kebab's mais falados da cidade.

O lugar é muito charmoso, e o espaço é maior do que parece. O ponto positivo é o ar condicionado. Nesses dias de calor, nada melhor do que entrar num ambiente devidamente climatizado.

Outro ponto positivo é o cardápio. Ele é repleto de pratos do Oriente Médio, do norte da África e até da Índia - algo completamente estranho a todos nós, certo? Pois bem: ao lado de cada opção, existe uma explicação breve o suficiente para você fazer idéia do que irá pedir. Se mesmo assim ainda tiver dúvidas, o garçom saberá lhe explicar direitinho prato por prato.

Para comer, pedimos kebab à moda turca. Isso quer dizer que a massa vem aberta, e você monta o kebab no seu prato, junto com os acompanhamentos (mezzes) que quiser. Escolhemos kafta de cordeiro, acompanhado de kibe de cordeiro grelhado e kibe de batata. Confesso que minhas expectativas eram maiores (ou menores?). Lembro-me de que os turcos europeus faziam um kebab bem junkie, não tão requintado e caro (o prato deu R$ 35). Mesmo assim, não posso deixar de falar que estava simplesmente delicioso. O tempero é bem diferente da comida ocidental, mas não menos saboroso. A kafta de cordeiro é bem levinha, mas consegue matar a fome com muita eficiência.

Também escolhemos Kebab enrolado em pão lavosh (lactovegetariano), o Merguez, que vem com linguiça de cordeiro grelhada à moda marroquina, citronete de limão, tomate, cebola, coalhada seca e molho harissa. Aviso aos navegantes: o prato é bem picante, com um tempero BEM diferente. Não soubemos identificar se o estranhamento foi causado pelo citronete ou se pelo molho harissa.

Ah, outra coisa bacana: as bebidas. Para acompanhar o rango, peça um Sharbat de limonada com morango. É um xarope árabe gaseificado bem refrescante, doce e ao mesmo tempo azedo. Bem gostoso.

Para algo tão exótico e bem servido, o preço lá é mais que justo. O atendimento é excelente, o cardápio é muito bem elaborado, as opções de comidas e bebidas são muito diferentes e a comida é muito bem preparada e apresentada. Para quem curte, a pedida é altamente recomendável.

Restaurant Couple: www.restaurantcouple.blogspot.com
Fui com duas amigas. Experimentamos o famoso churrasco grego limpinho, o Kebab, que na verdade tem sua origem no oriente médio, comidos desde o Marrocos até a Índia. Mas tem essa fama de ser grego.

Segundo o site do restaurante que fomos: “Kebab é uma palavra de origem árabe ou persa que significava originalmente carne frita, mas que hoje é mais reconhecida como uma combinação de pão lavosh com recheios normalmente grelhados. Kebab Salonu era o nome dado aos antigos salões de kebab na Turquia, durante o século XIX, no Império Otomano. Foi nessa época que nosso carro-chefe se tornou o alimento mais difundido nessa região do mundo, adquirindo sua forma atual. “

No Kebab Salonu, e comemos o kebab de kafta, além de kibes e kibes de batata (parece um bolinho de batata com recheio de carne).

O kebab é composto por pão sírio, no caso desse restaurante pão lavosh, de origem armênia, mais macio, folhas de vários tipos de alface temperadas com azeite e sal, folhas de hortelã, tomate, cebola, a carne grelhada, ou no nosso caso, o kafta, e molhos como hommus ou coalhada seca.

Nota geral Você conhece o Kebab Salonu? Escreva uma opinião! Dê sua nota!
Passe o mouse pelas estrelas clique para dar nota

Opinião
Para enviar fotos ou preencher os campos adicionais, faça seu (Você não perderá a opinião escrita)