Anuncie no Kekanto

Quer receber ofertas do Instituto Butantan?

No Kekanto os donos de estabelecimentos podem publicar cupons de descontos. Cadastre-se e receba os descontos
f
Instituto Butantan

Instituto Butantan

Av Vital Brasil, 1500
Butantã - São Paulo , SP - 05503-000

Telefone: 11 3726 7222

Um dos maiores centros de pesquisa biomédica do mundo Possui museus e um belíssimo parque aberto para visitação pública. 


Preço por pessoa:

$ (Até R$15)

Categoria:
Museu
Ranking: #8 de 70
Site oficial:
butantan.gov.br
Horário de funcionamento:
Seg.: Fechado
Ter. a Dom.: 9h às 16:30
Primeira opinião por:
Wiliam Kiyoshi Ue...

Quer receber ofertas do Instituto Butantan?

No Kekanto os donos de estabelecimentos podem publicar cupons de descontos para todos os seus consumidores. Registre-se e receba gratuitamente todos os descontos

Publicidade
Notas:
1 estrela
0
Notas específicas:
Ambiente
(24)
Atendimento
(22)
Custo-benefício
(16)
Limpeza
(1)
Mostrar:
Dicas  (13)
Wiliam Kiyoshi Uemura Matsubara
Estudante não paga nas quartas com apresentação de carteirinha
Wiliam K.
André Comber
Vá em todas as atrações incluídas.
André C.
Rubens Burgel
Escolha dias de sol para visitar o espaço. Com chuva não se aproveitam os jardins nem os serpentários a céu aberto, além de o movimento entre prédios ficar prejudicado.
Rubens B.
Classificar por:
Opiniões   (47)
 
Como minha mulher nasceu no ano da serpente, não poderia deixar de conhecer sua família, rsrsrsrs (ela vai me matar) o Instituto Butantan, além de fornecer soros antiofídicos, vacinas das mais diversas, e pesquisa científica, mas muita pesquisa mesmo.
O instituto é vinculado a Secretaria Estadual da Saúde do Estado de São Paulo, foi criado há 115 anos para produzir vacina contra a Peste Bubônica na cidade Santos (olha onde entra o Saturnino de Brito, sanitarista que salvou Santos) e seu diretor Adolfo Lutz, enviou seu assistente Vital Brazil, que junto com Osvaldo Cruz criaram um plano para debela-la.
Apos essa crise, o instituto começou a pesquisar soros antiofídicos, porque era a época de ouro do café, e muitos trabalhadores morriam picados pelas serpentes venenosas.
Hoje o Instituto é reconhecido internacionalmente, graças em parte aos serviços desses pioneiros, homens sérios e firmes em sua missão de salvar pessoas.
Neste espaço, além do serpentário, existem 4 museus que merecem sua visita, e o ambiente é bem agradável, arborizado e fresco.
Ingresso de adultos R$6, estudantes R$2,50, crianças abaixo de 7 anos e idosos com mais de 60 anos, entrada gratuita.
Dica: Visita necessária!
Bom para: Ir com amigos, Ir com crianças, Casais, Famílias, Ponto turístico
Martin:
No oriente o signo da serpente é associado a sabedoria, pele bonita e inteligência, as mulheres deste signo não aparentam sua idade real.
Conteúdo inválido
 
Cara sempre que ouvi do instituto butantan, já ligava a cobras e nada mais !!


Ao conhecer me surprendi com o espaço do lugar !!

Ele é um parque onde é possível ir caminhar, passear. Claro que a proposta são as cobras, contanto com o museu onde é possível ver e entender melhor a especia.

Ao lado de fora (gratuito) conta com dois tanques com algumas cobras, e umas gaiolas com macacos (usados no estudo dos soros)

Um lugar bacana sem dúvida para passear, o valor do museu é simbolico.

Ponto negativo para a lanchonete do lugar, de cara já tem uma aparencia um tanto quanto "suja" e para ajudar você tem que brigar com os pombos para conseguir chegar ao balcão. Não curto os pombos.. rss


** Vale destacar a importância do instituto para todos, ele é o maior produtor de soros antiofidicos, alguns até mesmo só são fabricados aqui !!
 
Só fui conhecer o Instituto Butantan quando me mudei para São Paulo, mas minha mãe já havia visitado e sempre me contava o quão legal era passear por aqui.

O Instituto fica na Av. Vital Brasil e colado na USP, o que facilita bastante o acesso e faz com que haja grande movimento de pessoas cortando caminho por lá. Visitantes mesmo há muitas crianças que vêm passear com suas escolas e estrangeiros, provavelmente pesquisadores; este local é referência no Brasil na produção de soros antiofídicos.

O serpentário onde ficam as cobras é bem grande. Pra quem está interessado em dar uma olhadinha nelas, é legal passar sempre pela manhã ou no final da tarde, que são os horários em que está mais fresco. Já fui várias vezes entre 11 e 13 hrs e as cobras sempre estavam escondidinhas embaixo das pedras ou nas casinhas por causa do calor excessivo. Havia placas com a identificação das espécies, mas foram retiradas, não sei o por quê.

Há também museus com outros animais (escorpiões, aranhas...), que contam a história do instituto e laboratórios, que não são abertos para visitação. A lanchonete me parece ser bem simpática; logo ao lado há um campo gramado bem legal para as crianças brincarem, com árvores que fazem sombra caso você só queira descansar um pouco.

Assim como o Zoológico, o Instituto Butantan é um passeio obrigatório para quem gosta de animais, biologia e afins.
Bom para: Ir com amigos, Ir com crianças, Casais, Gastar pouco
 
O Instituto Butantan é um daqueles lugares que você se lembra saudoso de quando visitava com a escola na infância e acaba voltando para conferir novamente.

Tem várias áreas com excelentes museus e uma coleção de animais incrível, além do instituto de pesquisa reconhecido internacionalmente.

Não vou chover no molhado, pois todos aqui deram opiniões bem completas sobre essas áreas de visitação. Mas vou dar uma nova dica, que poucos conhecem sobre lá. Além dos passeios de visitação, lá é um lugar excelente para fazer pic-nic! Sim, é verdade! Na última vez que fui com minha esposa e minha filha, descobrimos uma área (ao lado do macacário) com um gramado gigantesco, onde diversas famílias se encontravam, levando suas cestas de pic-nic e estendiam suas toalhas na grama, onde ficavam todos descansando e/ou comendo - e muitas crianças brincando em volta!

Passeio agradabilíssimo, sem custo algum, com vista linda e boa estrutura. Programa ideal para famílias e casais!
 
Quer fazer um passeio diferente? Vá conhecer o Instituto Butantã e o famoso tanque onde ficam milhares de serpentes, além disso o espaço dispõe de um museu que conta a história do instituto e uma área verde muito bem cuidada onde vc pode fazer um piquenique ou ficar sentado a sobra de uma árvore simplesmente apreciando a vista.
Dica: Não há dificuldades para estacionar e é um dos poucos lugares que vc não vai encontrar a irritante presença dos flanelas.
Bom para: Ir com amigos, Ir com crianças, Famílias, Ponto turístico
 
Você sempre ouviu falar deste lugar, assim, se estiver em SP, não deixe de conhecer esta ótima opção de passeio e lazer para adulto e crianças, o Instituto Butantan, que é ainda, e principalmente, uma referência na área de pesquisa de soros antiofídicos e outras vacinas.
Com amplos laboratórios e área de estudos, o instituto conta ainda com uma grande área de visitação aberta ao público e uma área restrita destinada às pesquisas. Embora um incêndio tenha recentemente destruído boa parte da coleção de espécimes conservados, o espaço conta ainda com muitos exemplares de animais peçonhentos que podem ser vistos conservados ou vivos em espaços seguros e bem identificados.
É um passeio longo, com muito o que conhecer e merece no mínimo umas duas horas de caminhada para ser bem realizado. Para as crianças é uma grande aventura ver e identificar os animais em ambientes que por vezes reproduzem seu habitat.
As instalações de alimentação carecem melhorias. A lanchonete, embora tenha suas mesas em um jardim muito agradável, é pequena e com pouca variedade, principalmente se o objetivo for uma refeição principal ou uma alimentação infantil. Uma boa opção seria criar algumas duas opções de menu diário para almoço, por exemplo. Cheetos e coxinhas deviam ser proibidos! O pior é que os jardins são uma delícia para passar o tempo, o que faria de um restaurante ou cafeteria ali uma deliciosa opção.
Os banheiros também não têm uma instalação adequada para a troca de crianças, ainda que limpos, o espaço é ineficiente. Quem leva crianças à tiracolo sabe do que estou falando!
O espaço é de fácil acesso e conta com estacionamento amplo para quem vai de carro.
Dica: Escolha dias de sol para visitar o espaço. Com chuva não se aproveitam os jardins nem os serpentários a céu aberto, além de o movimento entre prédios ficar prejudicado.
Bom para: Ir com crianças, Gastar pouco
Rubens Burgel:
Alexandre, Obrigado pela resposta... o lugar é muito legal e uma reforma na lanchonete vai agregar muito valor a este espaço. Espero poder passar logo por aí novamente para ver estas reformas.
Conteúdo inválido
 
Antes um lugar das minhas visitas escolares, hoje o Instituto butantã está presente quase que diariamente na minha vida: cruzo-o para chegar até a cidade universitária, admirando o espaço arborizado e tranquilo que reina sobre esse pedaço de São Paulo.

Com algumas entradas principais (pela vital brasil, pela Alvarenga e pela cidade universitária), não só por estudantes ele é visitado: já me deparei com vários turistas perguntando "where is ...?", pesquisadores dispostos a conhecer o Instituto e pessoas que como eu apenas o atravessam.

Lembro da minha infância quando passo por lá e vejo as crianças de 1° a 4° série, com seus professores, na animada excursão escolar. Não somente os pequenos: os colegiais geralmente vem visitá-lo e depois aproveitam para dar uma passadinha na usp para conhecê-la. Quem já andou por aqui sabe: os olhinhos das crianças brilham de curiosidade (talvez um misto de espanto, ansiedade e admiração), querendo entender os animais, saber o que eles comem, onde vivem ou mesmo fazendo a clássica pergunta que já ouvi em tantas ocasiões: "Quando vamos ver as cobras?"

O Instituto fica aberto de terça a domingo para visitação das 9:00 até às 16:30. Aqui tem estacionamento e um aviso para quem quiser cruzá-lo de carro: é preciso ter identificação (alunos, professores e funcionários da usp). Há um hospital também, o Vital Brasil, bem pequeno e três museus com um acervo enorme catalogado, sendo o acesso a todos eles liberado na aquisição do ingresso (mesmo quem é isento precisa pegá-lo para poder visitar os museus).

A entrada para os adultos é de 6 reais e a meia corresponde a R$2,50, além de uma porção de isenções (professores, guias, idosos acima de 60 anos, alunos de cursos de biológicas da usp, aulas para colégios públicos) e o fato de quarta feira ser de "graça" para os estudantes de quaisquer curso com a apresentação da carteirinha de estudante. Logo na bilheteria você recebe um bonito catálogo com um mapinhas dos locais abertos ao público, bem ilustrado e comentado, ideal para se localizar e programar a ordem dos passeios.

Próximo à bilheteria tem um café e lanchonete para os visitantes fazerem uma pausa para uns salgados, lanches e bebidas, em meio a tantas atrações.

Atrações! Eu escrevendo de comida e deixando de falar das cobras que são o que mais atrai o público, seja ele de qualquer idade. O serpentário, sempre rodeado de visitantes curiosos, possue uma grande variedade de serpentes de tudo quanto é espécie, tudo ao ar livre. E para quem quiser ver mais, é só entrar no Museu Biológico, que não tem apenas cobras: aranhas, escorpiões, iguanas, sapos e outros animais também estão lá, provocando medo em alguns e fascinação em tantos outros. Um ponto que poderia melhorar aqui são os cartões informativos que ficam na frente de cada parede de vidro onde estão expostos os animais: muitos tinham apenas escrito o nome popular e o científico, sendo que uma foto poderia ajudar a identificar o que estava sendo exibido. Eu fiquei um bom tempo procurando algumas cobras que estavam "escondidas" no meios das plantas e aranhas que eram muito pequenas e se "camuflavam" no meio. Mas vale ressaltar os monitores que tomam conta do museu e sempre estão dispostos a dar uma mãozinha. No final desse museu em forma de "U" há uma lojinha onde são vendidas cobrinhas de pelúcia, chaveiros, broches e outras lembrançinhas para você levar para casa.

Um outro museu que visitei (e que foi a primeira vez, porque não existia da última vez que vim para esse propósito) foi o museu de microbiologia, o mais novo dos três. Aos pequenos, pode despertar o interesse quando fala das doenças, mostram os bichinhos como o piolho e o ácaro no microscópio ou quando exibem os filminhos das bactérias ou mesmo da dengue. Mas o público mais destinado à esse museu são os alunos de Ensino Médio. Andando por esse espaço, lembrei do meu tempo de vestibulando (na Poli eu não estudo Biologia) e vi vários capítulos das minhas apostilas abertos sobre as bancadas de exposição: diagramas lúdicos sobre as bactérias, sequências lógicas das descobertas e pesquisas, modelos tridimensionais das estruturas moleculares, painéis que resumiam aulas, microscópios que exibem imagens muito mais bonitas e chamativas que as das apostilas e interatividade. Essa foi a melhor palavra para descrever esse lugar. Decorado com moléculas no chão e conhecimento espalhado para seus visitantes, esse espaço conta também com um grupo de monitores dispostos a resolver dúvidas e ensinar.

Por último, passei pelo Museu Histórico, que abriga registros da história da pesquisa no Instituto e no Brasil, além de equipamentos utilizados nos escritórios de pesquisadores como Oswaldo Cruz e Vital Brasil. Digo que aqui os pequenos também não vão se divertir, vão ficar desesperados com tantas placas de "Não toque" e com tantas coisas que criança adoraria pegar, ainda mais os bonitinhos tubos de ensaio com líquidos coloridos e tantos equipamentos laboratoriais que eles adorariam saber para que serve, ou simplesmente inventar uma utilidade. Aconselho aos professores dos fundamentais limitarem seus alunos em grupos pequenos se quiserem visitar, porque perder o controle deles aqui dentro é muito fácil. Para os estudantes de ensino médio, esse é um prato cheio sobre momentos da história do país como a Crise da Vacina, cobrado em tantos vestibulares e mesmo os vários aparelhos utilizados em disciplinas como Biologia e Química. O público mais idoso também se interessará e recordará seu passado, pois a maioria do que está exposto foi utilizado quando eram crianças ou jovens. Ri de um cartaz de vacinação da Xuxa e do Zé Gotinha, hoje tão distantes.

Saindo do museu histórico, vi algo que passa pela maioria despercebido: um lindo caminho em forma de serpente, feito em mosaico e bem colorido. Nessa manhã que passei no Instituto, algumas crianças se divertiam percorrendo a cobra colorida e um casal de idosos descansava ou melhor, apreciava a arte nos chãos. Seguindo o catálogo e a proximidade no mapinha, quis visitar o Macacário, que é dito como a segunda maior coleção de macacos Rhesus (utilizados em pesquisa no passado), mas infelizmente estava fechado para reformas, com tantas tábuas na frente. Tentei tirar uma foto, mas não focalizou nenhum dos animais.

Para os pais que quiserem gastar a energia de seus filhos, um campo bem espaçoso (para correr, jogar bola e até trazer o cachorro para passear...) ao lado da lanchonete, possível de monitorar os pequenos de qualquer canto enquanto tira uma folguinha com a(o) esposa(o) e curte melhor o lugar. Usualmente as professoras fazem piquiniquis com seus alunos aqui, sentados na grama, e os levam, em seguida, para ver os inúmeros cartazes informativos que estão dispostos nos canteiros (no catálogo, o Museu de Rua), um verdadeiro templo de aprendizado.

Há espaços que o público não tem acesso, como os laboratórios (onde são feitas as pesquisas e que já foram utilizados por inúmeros pesquisadores renomados e o são até hoje),o prédio da administração e os locais onde se fabricam os soros para vítimas de animais peçonhentos de todo o Brasil, mas garanto que há muito a ser visto. Aos professores, uma ótima oportunidade de ensinar com "modelos vivos", evitando as explicações entediantes e contando com o apoio dos conteúdos dos painéis. Aos alunos, uma forma interessante e dinâmica de aprender, de sair da rotina (para alguns, de ter o primeiro contato com animais; Pasme. Já ouvi crianças falando: "Nossa, é a primeira vez que eu vejo um bicho desses ao vivo e não na televisão") e de realizar algo que tem sumido nas escolas brasileiras: as excursões escolares (sim, hoje os "estudantes" viajam menos com a escola que antes, e mesmo as crianças pulam uma etapa que poderia ser melhor aproveitada; eu, pessoalmente, visitei muitos zoológicos e mesmo o Instituto quando era pequeno).

Um ponto que poderia melhorar aqui são as lixeiras, deveria ter uma concentração melhor delas nas calçadas ao lado das vias de acesso (nas exibições e lugares principais, há um bom espalhamento delas). Passa tanta gente por aqui que já me deparei com papéis de bala e chiclete no chão, além dos donos que trazem seus cachorros para passear aqui e não levam sacolinha. E ainda mais: por ser um local muito frequentado por estudantes, as coloridas lixeiras da coleta seletiva poderiam ser um bom exemplo de aprendizado (abordagem à reciclagem, por exemplo) e conscientização; vi que essa idéia foi implementada ao lado da lanchonete, mas como se pode ver na foto que tirei, está quebrada.

Paga-se pouco ou mesmo nada para visitar um lugar maravilhoso como esse. Isso só reflete a beleza da vida: o melhor dela não tem preço!
Dica: Estudante não paga nas quartas com apresentação de carteirinha
Bom para: Excursões Escolares, Aprender, Caminhar, Passear com crianças, cachorros.
 
Precisa de uma reformulação.

Tanta fama e renome do Instituto não é acompanhada por sua sede, em São Paulo. O lugar decepciona os visitantes e apresenta apenas um Museu Biológico com algumas espécies de cobras, um Museu Microbiológico bem mixuruca, e um Museu Histórico mais interessante que o segundo, porém ainda assim aquém das expectativas.
Uma boa sugestão seria construir uma área onde os visitantes pudessem acompanhar a simulação da produção do soro, e tivessem uma noção maior da importância do Instituto no Brasil.
 
Fui algumas vezes ao instituto butantan tanto a trabalho pois o instituto é conhecidíssimo pelas pesquisas vacinas que desenvolvem, quanto a passeio para conhecer o habitat das cobras o serpentário dependendo do mês você pode até tocar em algumas claro com a supervisão dos biólogos, tem também as aranhas, os escorpiões, os lagartos, o museu biológico história natural e a evolução das espécies é realmente muito interessante
Dica: BIOLOGIA
Bom para: Ir com amigos, Ir com crianças, Casais, Famílias, Ir sozinho, Ponto turístico
 
Fiquei um pouco decepcionada, o prédio principal, grande e bonito não é aberto a visitação.. Na frente mais parecendo um porão fica a visitação dos animais em cativeiro... um corredor estreito, pequeno e com pouca luz, muitas cobras e poucos dos demais animais (aranha, sapo...) Visto que já tem na parte de fora um serpentário. Sinceramente, para ver só aquilo melhor ir no Zoológico. Vale a visita pelo lugar bonito e arborizado, mas não vá esperando muito.
Bom para: Ir com amigos, Ir com crianças, Casais, Famílias, Ir sozinho, Ponto turístico
 
O instituto Butantã não é só para biólogos ou afins, mas também para quem curte cultura e conhecimento na área de ciências e tecnologia. Tem um parque que abriga o museu biológico, histórico e microbiológico. O instituto desenvolve soros e vacinas como a tríplice ( tétano, difteria e pertussis), para a meningite B e C, para a hepatite B e muitas outras. Adultos 6,00 reais e crianças acima de 7 anos, 2,50 reais. Estudantes também pagam 2,50.
Dica: Vale um passeio pelo parque!
 
O Instituto Butantan é de suma importância para todos, e não só um lugar que se restringe a visitação para conhecer as cobras, é um lugar de pesquisas científicas, fabricação de soros.Tem um espaço bem grande para realizar caminhadas, bastante arborizado e que também atrai muito as crianças pela curiosidade em relação as espécies lá encontradas.Um ponto negativo é quanto a alimentação, não curti muito a lanchonete que é meio precária, mas como boa tia que sou sempre levo lanchinhos para minha sobrinha e, assim nunca passo aperto c ela, ssrrsr
Dica: Leve algo para beber e comer, a lanchonete não é nada convidativa.
Bom para: Ir com crianças, Famílias
 
Tá afim de fazer um passeio diferente? Então você acertou no local. O Instituto Butantan é um lugar para quem não tem medo, pois o que os visitantes mais procuram é o serpentário. Aonde podemos ver as cobras em seus habitats. Lá também tem palestras e para quem for corajoso os instrutores deixam segurar as cobras.

Mas não é só isso, lá no Instituto Butantan tem o Museu Biológico ondem podemos encontrar aranhas, sapos, iguanas, escorpiões e outros animais. Mas vou logo avisando, se tiver medo é melhor você visitar o Museu Histórico que fica dentro do Instituto Butantan. Lá você vai encontrar registros que contam a historia do Instituto .
Dica: Próximo a Cidade Universitária
Bom para: Ir com crianças, Casais, Famílias, Ponto turístico
Luiz Michelini Netto:
Taluane, o Instituto Butantan é realmente um lugar muito legal para aprender mais sobre répteis. Lembro-me de ter ido ao Butantan com a escola e foi super incrível! Você manja algum outro lugar neste estilo?
Conteúdo inválido
 
Jä fui alguma vezes nesse Instituto que fica do lado da Cidade Universitária e é um lugar muito bacana.

Nesse lugar você pode ver algumas cobras que estão no museu e tem uma sala que você pode olhar no microscópio e o lugar também é um laboratório.

O Instituto Butantan também é um pequeno parque e nos fins de semanas, ou pelo menos algumas delas, existe um grupo de Tai chi chuan que vão para treinar.
Exibindo de 1 a 14
Total de opiniões: 47

Escrever opinião


Passe o mouse pelas estrelas clique para dar nota
Para enviar fotos ou preencher os campos adicionais, faça seu login (Você não perderá a opinião escrita)
O Kekanto não é autor e não endossa nenhuma das opiniões e/ou comentários. Eles são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. Para mais informações acesse nossos termos de uso.

Check-ins

Total de check-ins
9
Seus check-ins aqui
0