Hospital de Clínicas Dr Aloan

Endereço: Rua Chaves Faria, 64 , São Cristóvão - Rio de Janeiro , RJ - Brasil - 20910-140

Telefone:

21 2580-39...

Clique para ver
Categoria:

Hospitais

 
Site oficial
aloan.com.br
Primeira opinião
Fabiana PC

Como chegar
Favorito
Sou dono
Reportar problema
Escrever opinião
Como chegar - Traçar rota

Pedir orçamento
* Por favor, preencha seu nome
* Por favor, preencha seu email válido
* Por favor, descreva seu pedido de orçamento

http://br.kekanto.com/como-chegar/hospital-de-clinicas-dr-aloan
Dicas
Não vá nesta clínica. Eu acho que tinham que fechar este hospital.
Fabiana P.
Opiniões
Primeira opinião do lugar
Em junho minha mãe operou varizes, vários fatos péssimos:
• Cheguei depois do horário de visitas para passar a noite com minha mãe e não precisei me identificar, qualquer um entra lá em qualquer hora. No andar do quarto, as funcionárias nem me perguntaram quem eu era,
•O quarto era horrível, móveis de ferro, porta banheiro de pvc aquelas sanfonadas. Banheiro sem toalha ou papel para secar as mãos, o sabonete fomos nos que levamos,
• Funcionário sem uniforme foi quem trouxe a maca com minha mãe. Fiquei na dúvida se eles não usam ou ele já tinha se trocado para adiantar sua saída,
• Para conseguir entrar com a maca no quarto, tiveram que tirar todos os móveis de dentro. O tal funcionário, empurrava a maca de qualquer maneira batendo a mesma na parede
• Minha mãe reclamava de frio es enfermeiras ignoravam, pedi educadamente para trazerem cobertor, tive de resposta que não tinha cobertor, a resposta ainda veio com a devida grosseria. Tentei fechar a janela para não entrar vento bom, nem era uma janela se tratava de um basculante velho e enferrujado com o qual briguei durantes muitos minutos para fechar. Continuei insistindo pelo cobertor, quase implorando e recebia de resposta coisas como: isso e reação da anestesia (eu não perguntei o motivo, pedi a solução). Enquanto não era atendida, coloquei meu casaco, toalhas sobre a minha mãe para ver se ela parava de bater o queixo. Umas duas horas depois, a enfermeira do outro plantão trouxe cobertor e explicou que foi difícil pois a clínica estava cheia, ah!?
• Outra luta que travei foi para trazerem um lanche para ela pois também reclamava de fome. A resposta era que ela não podia comer devido a anestesia. Ok,o motivo pode estar certo, o errado foi mandarem ela ter a última refeição as 7h da manhã e só operarem ela as 19h da noite quando o período de jejum era de 6 horas! Muitas insistências depois, consegui um pãozinho para ela.
• Nem passou pela minha cabeça pedir um lençol e fronha para eu dormir, óbvio que não tinha!
• Minha mãe relatou que a sala de cirurgia tinha instalações aparentes e que enquanto ela esperava pela cirurgia, enfermeiras entravam pelos quartos catando escadinhas de maca, maca e suportes de soro,
• Pela manhã (eu fui embora trabalhar), minha mãe perguntou se podia ir ao banheiro, a enfermeira respondeu que era melhor ela esperar o soro acabar para idr sem o suporte do soro. Qual ro problema? O suporte existe para isso! A boa da minha mãe, acatou e esperou, quando o soro acabou, a enfermeira tirou o soro e colocou a maca em posição inclinada e falou para ela esperar um pouco para não ficar tonta quando levantasse e se foi ou seja, minha mãe, uma senhora de 66 anos, após quase 24h de jejum, depois anestesia e com as duas pernas enfaixadas do pé até acima do joelho, teve que levantar e ir para o banheiro sozinha! Assim ela fez, quando ela foi voltar para a cama, surpresa! Não travaram as rodas da mesma e ela, quase caiu pois quando se apoiou, a cama andou.
• Deitada novamente na cama (depois de malabarismo com a maca), minha mãe percebe que no chão do quarto havia gotas de sangue, desesperada, procura pela perna algum lugar que podesse estar sangrando e não acha, chama a enfermeira e enquanto a mesma não chega, ela descobre que o sangue é do seu braço, do local onde estava o soro. A enfermeira chega, minha mãe mostra para ela, a mesma diz: "é do braço, não é da sua perna não" não limpa o sangue e nem trocar o curativo! Minha mãe pede para ela dar-lhe as roupas pois ela já ia se trocar pois meu irmão buscaria ela e ela queria já estar pronta quando ele chegasse. A posição da enfermeira foi: "é melhor a senhora esperar seu filho chegar para ele ajudar e segurar a senhora para se trocar pois pode ficar tonta e cair" e sai do quarto!!!! Que hospital é esse que a enfermeira não ajuda o paciente a se vestir, passa a responsabilidade para o acompanhante!!!! Minha mãe, óbvio que desobedeceu pois, não queria ajuda do filho homem para se trocar.
• Quando eu fui embora, deixei a recomendação para minha mãe pedir que a levassem na cadeira de rodas até a porta do hospital para que ela não forçasse os pontos, eu sei que este é um procedimento comum em todos os hospitais mas ali, tudo foge do padrão mínimo de cuidados com os pacientes. Foi o que aconteceu, trouxeram a cadeira de rodas, só porque meu irmão insistiu.
Sei que a escolha do hospital para uma cirurgia marcada é do paciente mas ela gostou do angiologista e ele tinha referencias porem só operava ali.

Nota geral Você conhece o Hospital de Clínicas Dr Aloan? Escreva uma opinião! Dê sua nota!
Passe o mouse pelas estrelas clique para dar nota
Título da opinião

Opinião
Para enviar fotos ou preencher os campos adicionais, faça seu (Você não perderá a opinião escrita)