Frevo - Oscar Freire

Endereço: R. Oscar Freire, 603 , Jardim Paulista - São Paulo , SP - Brasil - 01426-001

Telefone:

11 3082-34...

Clique para ver
Categoria:

Restaurantes

  | Rank: 542º de 7397

Sanduíches, Bebidas 

Preço por pessoa
$$$$ (De R$26 até R$50)

Site oficial
frevinho.com.br
Bom para
Famílias, Experiências gastronômicas, Ir sozinho

Primeira opinião
Mario Leite
Formas de pagamento
Crédito:
Débito:

cash, credit card, debit card
Horário de funcionamento
Seg.
10h - 1h
Ter.
10h - 1h
Qua.
10h - 1h
Qui.
10h - 2h
Sex.
10h - 2h
Sáb.
10h - 2h
Dom.
10h - 1h


Detalhes
  • Ar condicionado
  • Mesas ao ar livre
  • Fast Food
  • Comanda individual
  • Entrada
  • Faz entregas: 11 4003-2665
  • Estacionamento


Como chegar
Favorito
Sou dono
Reportar problema
Escrever opinião
Como chegar - Traçar rota


http://br.kekanto.com/como-chegar/frevo-oscar-freire
Notas específicas:
Ambiente
(11)
Comida
(9)
Atendimento
(10)
Bebida
(10)
Custo-benefício
(11)
Público
(3)
Dicas
Opiniões
Essa lanchonete na Oscar Freire quase na esquina com a Rua Augusta é muito antiga, tem mais de 60 anos, com decoração simples e um grande balcão bem ao estilo de lanchonetes mais retrôs, o beirute da casa é ótimo e o melhor é que vem em dois tamanhos, o tradicional e o mini, cortadinho em quatro pedaços, o pão sírio é crocante e fresquinho, assim como os legumes que compõe o lanche, gostei porque vem palmito também que eu adoro e nunca tinha comido um beirute com palmito.
O suco de laranja feito na hora também é muito gostoso. O atendimento é feito por garçons simpáticos e que vc nota que trabalham a muitos e muitos anos na casa. É um bom lugar para recarregar as energias antes da baladas ou após o teatro ou cinema.
Aos 37 anos,consagrou-se como tradicional ponto de encontro, para um público diversificado. e a casa ficou pequena, diante tanta frequência. o motivo desse duradouro sucesso, é a boa qualidade dos beirutes, preparados com rosbife caseiro, os mais pedidos são : simples. rosbife queijo e tomate, á moda rosbife,presunto, queijo e tomate, . e o especial, contra-filé, presunto, queijo e tomate,, são umas verdadeiras delícias...
O Frevo tem um Beirute que faz a fama da casa!

Localizado quase na esquina da Oscar freire com a Augusta é um lugar tradicional no bairro há

décadas!

Num ambiente que lembra lanchonetes antigas, simples, mas aconchegante, oferece

sanduíches os mais variados.

Quanto ás bebidas, recomendo a Coca-Cola servida em canecas de chopp, de vidro, que saem do freezer, com muitos cubos de gelo!

via Android

O Frevo é um desses restaurantes / bares que já são patrimônio da cidade. Com mais de 50 anos (a casa mais antiga, essa da Oscar Freire, está lá desde 1956), continua atraindo gente – tanto os mais jovens quanto os que já iam lá na época da inauguração.
Conheci o Frevinho (nome usado pelos íntimos, tipo a minha mãe) numa noite de quinta-feira: enquanto esperávamos o horário do espetáculo no teatro Procópio Ferreira, jantamos lá. O local estava bem tranquilo quando chegamos (lá pelas 19h), mas encheu dentro de uns vinte minutos.
Como já dito, o carro-chefe da casa são os beirutes, em suas versões “totais” ou minis. Minha mãe foi de mini-beirute de atum, com cebola e azeitonas (mini, R$ 16,20; “total”, R$ 28,80). Quando o garçom disse o tamanho do beirute, julgamos que era pequeno – e realmente acho que era, pois minha não estava com muita fome e não ficou cheia (mas sim, satisfeita).
Eu e minha amiga pedimos o mesmo lanche: sanduíche de filet à milanesa na baguete, contendo maionese, tomate, queijo, alface e bacon, R$ 24,20. (Ok, confesso que a gorda sou eu –ela pediu sem bacon.) Adoramos! E tivemos muito trabalho para comer... esse, sim, se mostrou maior do que pensávamos!
Para beber, só pedimos refrigerantes, apesar da casa ter uma boa variedade de sucos e vitaminas (e, claro, chopp!). Quando servido, achamos de uma delicadeza muito simpática o limão vir sem casca.
O banheiro possui apenas duas cabines, mas o tamanho da casa não requer muito mais. Tudo bem limpinho; o problema foi o pedal do lixo estar quebrado.
O sanduíche alimentou tão bem que não conseguimos pedir a sobremesa que é o carro-chefe da casa, o Capricho. É um sorvete com calda quente, marshmallow e farofa doce com castanhas, por R$ 9,70 –bem simples, mas bem famoso. Segundo a minha mãe, essa sobremesa foi a resposta da casa ao Chocolamour do Flamingo, outro point da época.
Os garçons são bem-humorados, mas não são as pessoas mais delicadas do mundo. E acaba sendo um pouco difícil conferir a conta, já que vêm só os preços escritos num papel (sem dizer o quê é o quê) e às vezes a letra do garçom não é muito compreensível .
Enfim: gostei muito de conhecer esse estabelecimento tão famoso, que não achei um lugar barato, mas voltaria lá sem problemas. Afinal, faltou experimentar os carros-chefes da casa!
Realmente não sei qual é o primeiro Frevo, se é o da Oscar Freire ou o da Augusta. Só sei que ambos servem um beirute que na minha opinião é um dos melhores e mais tradicionais da cidade.

A decoração é bem minimalistas com cadeiras no balcão, que pra mim é o que mais caracteriza uma lanchonete tradicional. O serviço atende a proposta e é extremamente simpático com garçons que estão na casa a mais de 20 anos. O preço é meio salgado, mas dentro dos padrões das lanchonetes.

Volto sempre que possivel e Recomendo;)
O estabelecimento é conhecido por ter popularizado o sanduíche Beirute. Há vários sabores no cardápio, entre eles o que leva o nome da casa: uma potente combinação de rosbife, provolone, maionese, alface e tomate no pão sírio bem fininho. Era quase uma sacanagem ir conhecer a lanchonete e não provar o sanduíche. No entanto, a passagem para apenas o chope já valeu muito a pena. Além de muito bom, a bebida é servida numa taça distinta que os fregueses chamam de Rabo de peixe. O lanche vai ficar para outra oportunidade, que virá com a minha mudança definitiva para São Paulo.

A marca virou uma rede, com endereços na Rua Augusta e no Shopping Iguatemi. Bacana mesmo, porém, é ir ao Frevo original e curtir a decoração antiga com esculturas em arame representando figuras na dança do frevo, o belo balcão em madeira com banquinhos em couro vinho, a elegância dos garçons e, principalmente, a charmosa chopeira da brahma – uma peça de museu. A casa, hoje, é uma instituição paulistana e atrai o mais variado público, de todas as tribos e idades.

Legal é sentar-se junto ao balcão e curtir o vai-vem frenético dos garçons e a rotatividade a jato do público. Em um minuto a casa pode simplesmente lotar, para no minuto seguinte, esvaziar-se novamente. Gostei tanto do ambiente que repeti a saideira várias vezes com a Silvia antes de assumirmos que o sono batia e nos mandarmos de vez ao hotel.
Estive no Frevo em uma 5f por volta das 14:00 e tive uma experiência ok. O ambiente é um salão único de pé direito alto com decoração simples (apenas algumas esculturas de arame na parede). O serviço é rápido. O carro chefe da casa são os beiruths e os shakes, mas o cardápio contem burgers também (se você estiver atrás de Burgers, o St. Louis ou mesmo o Fifties são opções preferíveis na minha opinião). Vejo o Frevo como um local bom para um lanche rápido de Beiruth e para ir com amigos.
Exibindo de 1 a 14
Total de opiniões: 22

Nota geral Você conhece o Frevo - Oscar Freire? Escreva uma opinião! Dê sua nota!
Passe o mouse pelas estrelas clique para dar nota
Título da opinião

Opinião
Para enviar fotos ou preencher os campos adicionais, faça seu (Você não perderá a opinião escrita)