Feira da Liberdade

Endereço: Praça Da Liberdade, S/N , - São Paulo , SP - Brasil

Telefone:

(11) 4339-...

Clique para ver
Categoria:

Ar Livre

  |   2º melhor em Ar Livre de São Paulo   2º melhor em Ar Livre de São Paulo

O telefone (11) 4339-1578 é da Associação dos Lojistas da Liberdade (ALIBER) Associação Comercial e Assistencial da Liberdade (ACAL). 

Bom para
Relaxar

Primeira opinião
Ju Menezes
Formas de pagamento
Crédito:
Débito:

cash, credit card, debit card
Detalhes
  • Animais permitidos

 Informações Conferidas em Out/2014


Como chegar
Favorito
Sou dono
Reportar problema
Escrever opinião
Como chegar - Traçar rota


http://br.kekanto.com/como-chegar/feira-da-liberdade
Notas específicas:
Atendimento
(54)
Custo-benefício
(61)
Ambiente
(35)
Comida
(35)
Bebida
(28)
Dicas Ver mais
Opiniões
FEIRINHA DA LIBERDADE - O MELHOR PASSEIO DE DOMINGO EM SÃO PAULO

Olá leitores! Continuando com a série de postagens especiais sobre Sampa, falo hoje sobre a Feirinha da Liberdade.
Essa feirinha, que reúne barraquinhas de artesanato japonês, artesanato local e comida típica é um dos melhores passeios em um domingo paulistano. É muito fácil de chegar e indico como meio de transporte o metrô. É só descer na estação Liberdade, pois a feirinha fica na saída do metrô. O horário perfeito para chegar é entre às 10:30h e 11:00h, pois todos já montaram suas barraquinhas e não há muitas filas. Após às 12:00h as filas crescem e você pode perder a paciência com a “muvuca”.

Adoro ir lá por vários motivos, mas o mais forte com certeza é o Guioza - gigante, delicioso e barato! Por menos de R$5,00 você compra uma delícia de guioza caseiro, com opções de recheios de carne, frango, porco ou vegetais. Além disso, você tem a disposição um self-service de vinagrete, “vinagrete oriental” e molhos. Vale muito a pena, a massa é leve e é realmente bem grande. Recomendo os recheios de porco e carne.

Para a sobremesa, se quiser experimentar algo diferente e típico, a dica é o imagawayaki (doce de feijão azuki) feito na hora. Ele sai quentinho (cuidado para não bancar o guloso e queimar a boca, rs) e só custa R$3,00.

Há diversas outras opções, entre as quais acho importante dar destaque: espetinhos de camarão, yakisoba, takoyaki e ebiyaki (bolinhos recheados de polvo ou camarão), tempurá e raspadinhas. O que não falta por lá é opção de coisa gostosa.

Depois de comer aproveite para conhecer o bairro e seus vários mercadinhos, cheios de produtos japoneses. Ao final do passeio indico que você passe no mercadinho Marukai e leve uma bandeja (ou várias) de sushi, shimeji fresco, e guiozas e rolinhos primavera congelados. Na parte de doces indico que experimente o biscoito de gergelim, anko (uma variação do doce de feijão) caseiro e as bananinhas (uma espécie de bolinhos com recheios de creme de confeiteiro). Os preços são incrivelmente baixos perante a realidade praticada em Brasília. Dá vontade de pedir para embalar o mercadinho todo para viagem.

A Liberdade é um bairro sensacional, gastar uma tarde/manhã ou mesmo o dia inteiro por lá é mais do que um passeio, é um investimento cultural.

Site: http://www.feiraliberdade.com.br/

Endereço: Praça Da Liberdade, S/N - Liberdade - São Paulo – SP
Funcionamento: Domingo: 10h às 18h
Sou fascinado por feiras livres. Tanto faz se a feira é de artesanato, gastronomia ou qualquer outra coisa. Eu acho incrível. A feira da Liberdade, por exemplo, é ideal para quem se interessa por conhecer algumas tradições orientais através de roupas, adereços e gastronomia. O público que a frequenta é composto por jovens, crianças e idosos.


Tem comida japonesa, chinesa, coreana e culinária brasileira. sushis e Yakisobas, de vários tipos, sashimis e bolinhos de peixes podem ser encontrados com facilidade.
O doce de feijão é uma das sobremesas mais interessantes de experimentar

Como o espaço não é muito amplo, vale comer pé ou em banquinhos no centro da praça e até nos muros ou escadarias do Metrô.

É bem interessante conhecer a barraca xintoista (religião nativa do Japão) cujo senhor que recebe as pessoas é o único do mundo fora do Japão. Ele confecciona amuletos da sorte. Também interessante é conhecer a Capela dos Aflitos, que se mantém intacta há mais de dois séculos. Acredita-se que devido ao respeito pelas almas que se foram aqui, o bairro começou a prosperar.
O bairro da Liberdade é o famoso bairro japonês de São Paulo, e sem dúvidas merece uma visita!
Esta feirinha localizada logo na entrada do bairro conta com artigos de decoração, comida típica japonesa e é claro, artesanato!

As ruas do bairro são super estreitas e o trânsito caótico! Portanto muito cuidado se você for pedestre, ou motorista por ali.

Recomendo provar as iguarias das barraquinhas, e se o tempo estiver bom, o famoso sorvete "Melona".
Ô minha gente, a feirinha da Liberdade é um clássico dos programas tradicionais paulistanos! Hoje em dia fica cada vez mais lotado, o que pode dificultar a diversão, mas se você estiver disposto a levantar nas primeiras horas da manhã, dá para pegar a feirinha menos cheia e, melhor de tudo: com tudo fresquiiiinho! Sim, porque eu realmente considero a comida típica uma das melhores atrações daqui #gordinha rs

Além disso tem produtos artesanais, badulaques para a decoração de casa e essas coisinhas adoráveis. Tudo fica ainda mais bonito durante as datas decorativas - as japonesas, claro! Nessas ocasiões tem até apresentações especiais na feirinha, acho o máximo!

Claro que não é um programa para todo final de semana, já que é basicamente sempre a mesma coisa. Mas, para um final de semana preguiçoso, sem grandes programações, um pulinho lá pode ser o que faltava para dar um up no seu dia. :)
Decidi ir almoçar na feira da Liberdade, depois de ir ao Mosteiro de São Bento, afinal, domingão, já estava por ali na região, daí aproveitei para conhecer.
Já havia estado na Liberdade várias vezes, mas nunca tinha ido no final de semana durante a feira.
Gostei bastante.
Há uma diversidade enorme de bugigangas sendo vendidas por lá: roupas, quadros, bijuterias, fontes, decoração japonesa, flores, bonsais, raspadinhas orientais, churrasquinho de gato, isso sem contar as barracas de comidas.
Espetinhos de camarão, de bolinho de bacalhau, guiozá, tempurá, yakissoba, waffles, sushis, uma coisa doida de tantas opções.
Na primeira barraca que parei, a moça que me atendeu me ofereceu um copinho pequeno com um pouco da comida para eu experimentar, e estava maravilhosa. Nem pretendo lembrar o nome e tentar escrever aqui, mas era um misturado de brócolis, repolho, e outras ‘cositas’ mais, e estava delicioso.
Achei demais ver o Imagawayaki sendo feito na hora, mas não provei. Na próxima, com certeza absoluta, provarei.
Eu tinha ido na intenção de comer yakissoba e pedi um pequeno (R$ 15,00, que serve bem duas pessoas), que estava delicioso!!
Só é meio desconfortável comer em pé, no meio da feira, com hashi e um monte de gente trombando em você, mas sobrevivi....kkkk!
Comi do mesmo jeito e fiquei bem satisfeitinha!!
E depois, resolvi conhecer o tal sorvete frito ou tempurá de sorvete (R$ 9,00)
Eu, dona Formiga da Silva, achei demais!!! Delicioso!!!
Aquela casquinha meio durinha por fora, vai amolecendo junto com o sorvete de creme e a mistura é bem gostosa.
Cheguei lá por volta das 11:40 da manhã, num domingo e já estava bem movimentado, mas as barracas ainda sem muita fila ou aglomeração.
Óbvio que isso mudou quando soaram as doze badaladas do meio dia e a feira começou a lotar. Aliás, não só a feira! A região toda!
Enfim, é uma boa opção de passeio para o domingo.
Pretendo voltar com certeza!
A Feira da Liberdade é um passeio tradicional ao ar livre.
Lá você encontra bastante artesanato e muita comida gostosa.
Também tem a opção de almoçar nos restaurantes, explorar as lojinhas das ruas próximas e conhecer a igreja Nossa Senhora dos Enforcados.
Vá com roupa bem confortável para poder andar tranquilamente, sem muito luxo, porque se você optar por comer nas barraquinhas, você vai comer em pé.
É uma feira bem movimentada, então se prepare para encontrar muitas pessoas.
Tem uma barraca de suco que faz sucos maravilhosos. Por mim, tomaria um de cada.
As de comida tem para todos os gostos, mas não espere encontrar nada com arroz. Arroz só nos restaurantes. Para almoçar mesmo só o yakissoba, porque o restante são mais como petiscos: tempurá, camarão, bolinhos etc.
Vá cedo, porque depois das 12h as filas das barracas ficam bem grandes. Mesmo com toda a agilidade dos atendentes, demora um pouquinho.
Essa feirinha é uma fofura só. Gosto de ir sempre pra ver as coisas artesanais e curiosas que eles estão sempre vendendo por lá. Mas nem tudo ali é japones. Pelo menos eu nas primeiras vezes achei que ia encontrar uma feirinha completamente oriental. Mas lá você encontra roupas, bijouterias, algumas peças e quadros de arte, tem uma barraca lá com itens de mágica e um argentino (ou chileno, não sei) que vende MUITOS incensos!

Mas é um bom acesso pra conhecer um pouco da culinária, já que colado no muro do metro ficam as barracas com comida :D
Pra quem nunca foi é um passeio bem legal! Há alguns pratos típicos orientais e música também. Como toda feira, é uma bagunça! Quem for em galera com certeza vai perder alguém do grupo.
A unica coisa que eu recomendo fortemente (acho que deu para perceber) é a comida, para quem gosta tem algumas barraquinhas de tempura, frango xadrez, yakisoba, hot roll e várias outras opções.
Recomendo, mas lembre-se lota e é uma muvuca!
A feirinha da Liberdade funciona de Sábados e domingos e conta com barraquinhas de todo tipo: Comida Japonesa, suco, raspadinha, artigos de couro, enfeites, dobraduras, roupas, itens para cachorro, entre outros.
Costumo ir com bastante frequência e posso dar minha opinião sobre o yakisoba e o tempurá, que são maravilhosos; os bolinhos de ish, não lembro se era camarão ou bacalhau, mas estavam frios e salgados quando comi; a raspadinha é uma delícia e uma das atendentes (uma senhora) é muito simpática e se vc pedir para ela criar a sua raspadinha, ela faz algo diferente e conta uma história sobre aquilo; o suco na barraca das baianas (ao lado da barraca da raspadinha), que é feito com frutas frescas e leite condensado (muuuuito leite condensado, hummmm); e por fim (afinal, nem só de guloseimas vive uma mulher), a barraca dos cintos de couro, essa eu preciso divulgar.
Há alguns anos, comprei um cinto na Le Postiche, que diziam ser de couro. Se era ou não era, não sei, mas não durou muito tempo. Rachou inteiro e quebrou ao meio. Algum tempo depois, fui na feirinha da liberdade e gostei de um cinto nesta barraca (Exatamente esta barraca, rs) e comprei.
A moça mediu, fez buracos a mais e até encurtou o cinto para não ficar sobrando muito. Os cintos são de couro (sem dúvida alguma) e ela mesma quem os faz. Este cinto, durou aproximadamente uns 6 anos, quer dizer, dura, pois tenho ele até hoje e uso com bastante frequência e ele parece novo, não tem marcas, não rachou, não descosturou, não abriu ao meio, nem soltou a fivela, está novinho e não é exagero. Gostei tanto que voltei lá e comprei mais 4... rsrsrs
Um deles é tão lindo, mas tão lindo, que até hoje não tive coragem de usar, rs. Ah, e o preço, uma pechincha: os basiquinhos estão na faixa de 10,00 ou 15,00 e os mais incrementados, que mesclam cores, trançados ou são dois ou três cintos juntos, chegam a 25,00 30,00. Esse foi o maior valor que paguei em um cinto.
Bom, agora deixa eu tentar explicar qual é a barraca, porque tem umas três de artigos de couro.
Ela fica bem de frente com o restaurante Itiriki e só vende cintos (SÓ). É uma senhora loira, muito simpática e que adapta o seu sinto. Quando eu for lá novamente, pergunto o nome dela para colocar aqui.
Bom, é isso. Adoro a feirinha e a Liberdade toda de uma forma geral, gosto dos mercadinhos e de arriscar algumas receitas da culinária oriental na cozinha. Gosto da cultura e das festas realizadas no bairro.
Feira da Liberdade só tem no final de semana,onde há várias barraquinhas com produtos artesanais e alguns com produtos orientais,e comida japonesa o duro que a area de alimentação vive cheio e na hora de comer tem muita gente que senta próximo das escadarias da estação do metro, há várias lojas de produtos orientais abertos desde alimentaçao e untensílios domésticos supermercados também com comidas e produtos orientais a preços mais acessíveis.Vale a pena ir conhecer!!!
A feirinha da Liberdade é um grande atrativo para turistas! Tem comidas típicas orientais, artesanatos e sucos.

Mas é um local que eu indico se a pessoa tiver muita paciência: costuma ficar muito cheio, tem fila para tudo e como é ao ar livre, não tem muitos locais para se sentar e o sol esquenta bastante a cuca!

Eu particularmente não gosto muito dos pratos vendidos na feirinha... Acho meio sem sabor e muito gorduroso.

Mas é um passeio diferente! Legal para conhecer o bairro e experimentar pratos diferentes.
Esta feirinha acontece aos sábados e aos domingos sendo que, aos domingos tem algumas barracas a mais que não estão lá aos sábados.

A feirinha conta com barracas de procutos artesanais, comidas, plantas e algumas bijouterias. Nas barracas de produtos artesanais encontramos produtos feitos com couro, como bolsas e cintos, tecidos com pinturas feitas à mão, origamis etc.

Você começa a passear despretensiosamente pela feirinha e acaba se deparando com coisas muito bacanas: Tem duas barraquinhas que vendem cintos de couro feitos artesanalmente, e além de serem lindos são ótimos e duram pra caramba - tenho um que comprei há mais de 3 anos e ainda está novinho. Tem uma barraquinha que vende mudinhas de várias plantas a valores muito baixos (comprei uma muda de hortelã por R$ 2,00). E tem as barraquinhas de comidas, que vendem tempurá, bolinhos de camarão, bolinho de bacalhau, etc. A barraca da Guioza está sempre lotada e vende uma Guioza deliciosa. Para se refrescar tem uma barraquinha que vende sucos naturais bem consistentes e uma outra de raspadinha.
Exibindo de 1 a 14
Total de opiniões: 194

Nota geral Você conhece o Feira da Liberdade? Escreva uma opinião! Dê sua nota!
Passe o mouse pelas estrelas clique para dar nota
Título da opinião

Opinião
Para enviar fotos ou preencher os campos adicionais, faça seu (Você não perderá a opinião escrita)