Anuncie no Kekanto

Quer receber ofertas do Feira da Liberdade?

No Kekanto os donos de estabelecimentos podem publicar cupons de descontos. Cadastre-se e receba os descontos
f
Feira da Liberdade

Feira da Liberdade

Praça da Liberdade
- São Paulo , SP


Preço por pessoa:

$$ (Médio padrão)

Categoria:
Comidas e Bebidas
Ranking: #17 de 9678
Formas de pagamento:
Crédito:
Débito:
Outras formas:
Primeira opinião por:
Ju Menezes
Detalhes:
Animais permitidos
Metrô/trem próximo: Liberdade (84 m)

Quer receber ofertas do Feira da Liberdade?

No Kekanto os donos de estabelecimentos podem publicar cupons de descontos para todos os seus consumidores. Registre-se e receba gratuitamente todos os descontos

Publicidade
Notas específicas:
Ambiente
(34)
Comida
(35)
Atendimento
(32)
Bebida
(28)
Custo-benefício
(38)
Dicas  (66)
Nubi@
Experimente este mundo cultural muito diverso!
Nubi@
Nalva Alves
Vá de metro!! Com certeza será beeem melhor!
Nalva A.
Soraia Mariana Soouza
Por volta das 11 horas as barracas começam a funcionar e feira está mais vazia e também está mais tranquilo para estacionar sem flanelinhas, aproveite a visita e vá fuçar pelas diversas lojinhas e mercadinhos tipicamente orientais
Soraia M.
Classificar por:
Opiniões   (110)
 
Decidi ir almoçar na feira da Liberdade, depois de ir ao Mosteiro de São Bento, afinal, domingão, já estava por ali na região, daí aproveitei para conhecer.
Já havia estado na Liberdade várias vezes, mas nunca tinha ido no final de semana durante a feira.
Gostei bastante.
Há uma diversidade enorme de bugigangas sendo vendidas por lá: roupas, quadros, bijuterias, fontes, decoração japonesa, flores, bonsais, raspadinhas orientais, churrasquinho de gato, isso sem contar as barracas de comidas.
Espetinhos de camarão, de bolinho de bacalhau, guiozá, tempurá, yakissoba, waffles, sushis, uma coisa doida de tantas opções.
Na primeira barraca que parei, a moça que me atendeu me ofereceu um copinho pequeno com um pouco da comida para eu experimentar, e estava maravilhosa. Nem pretendo lembrar o nome e tentar escrever aqui, mas era um misturado de brócolis, repolho, e outras ‘cositas’ mais, e estava delicioso.
Achei demais ver o Imagawayaki sendo feito na hora, mas não provei. Na próxima, com certeza absoluta, provarei.
Eu tinha ido na intenção de comer yakissoba e pedi um pequeno (R$ 15,00, que serve bem duas pessoas), que estava delicioso!!
Só é meio desconfortável comer em pé, no meio da feira, com hashi e um monte de gente trombando em você, mas sobrevivi....kkkk!
Comi do mesmo jeito e fiquei bem satisfeitinha!!
E depois, resolvi conhecer o tal sorvete frito ou tempurá de sorvete (R$ 9,00)
Eu, dona Formiga da Silva, achei demais!!! Delicioso!!!
Aquela casquinha meio durinha por fora, vai amolecendo junto com o sorvete de creme e a mistura é bem gostosa.
Cheguei lá por volta das 11:40 da manhã, num domingo e já estava bem movimentado, mas as barracas ainda sem muita fila ou aglomeração.
Óbvio que isso mudou quando soaram as doze badaladas do meio dia e a feira começou a lotar. Aliás, não só a feira! A região toda!
Enfim, é uma boa opção de passeio para o domingo.
Pretendo voltar com certeza!
Dica: Vá de metro!! Com certeza será beeem melhor!
 
A feira da liberdade já um ponto famoso no centro de São Paulo e a qual eu considero que pelo menos uma vez na vida cada pessoa deveria visitar.
Para qualquer um que aprecie algum aspecto da cultura orienta deveria visitar a feira que é um verdadeiro pólo da cultura oriental.
Não só pela excelente culinária como pela peças de artesanato como luminárias, origamis, enfeites e até mesmo bonsais das mais variadas idades, alem é claro dos restaurantes, karaokês, lojas e galerias que existem pelo bairro da liberdade na qual você pode encontrar uma grande variedade de peças, utensílios, enfeites, roupas vídeos e etc... tudo relacionado ao oriente.
Mas também pelos eventos, festas e festivais realizados no local todos os anos.
Em suma, o bairro e a feira da liberdade é um local de cultura e ponto de encontro entre vários jovens que se reúnem e fazem da estação liberdade do metro um verdadeiro ponto de encontro para eles.
Dica: Destaque para as festividades do Ano novo Chinês e o festival Tanabata Matsuri realizado todos os anos no começo e meio do ano.
Ricardo Rodrigues:
Sim é verdade, e em dias em que há festivais é ainda pior. Mas ainda assim vale a pena o passeio. E isso é mais nos arredores da feira. Nas ruas paralelas é mais tranquilo.
Conteúdo inválido
 
Podem chamar de passeio de índio, mas eu curto demais uma feira, ainda mais a Feira da Liberdade. Não está nas que eu mais prefiro, mas quando vem alguém pra Sampa eu sempre levo lá! Sei que a pessoa vai sair cheia de presentes, artesanatos e bugigangas...hehe

O bom é que se você pega o metrô Liberdade já sai na "boca da feira". E aí, segura que é aquele vuco-vuco (sim, cuidado com seus pertences). A feira é bem pequena mas fica entulhada de barraquinas, sem contas as lojas ao redor.

Há uma parte para a gastronomia - que também se mistura com umas tendas perdidas de artesanato -, a mais querida de todas =) Tempurá, yakissoba, sushi, tempurá de sorvete, doces etc etc etc... Há também uma barraquinha nada japonesa, com sucos naturais, quebra-queixo, pudim de tapioca. Mas tá valendo, uma verdadeira festa gastronômica! =)

Aproveita para dar um passeio pela Liberdade, que é linda. Mas, se você não curte aglomerado de gente, evite passear por lá...rs
Dica: A feira acontece todos os domingos e vai até umas 15h, 16h...chegue cedo!
 
Decidi ir almoçar na feira da Liberdade, depois de ir ao Mosteiro de São Bento, afinal, domingão, já estava por ali na região, daí aproveitei para conhecer.
Já havia estado na Liberdade várias vezes, mas nunca tinha ido no final de semana durante a feira.
Gostei bastante.
Há uma diversidade enorme de bugigangas sendo vendidas por lá: roupas, quadros, bijuterias, fontes, decoração japonesa, flores, bonsais, raspadinhas orientais, churrasquinho de gato, isso sem contar as barracas de comidas.
Espetinhos de camarão, de bolinho de bacalhau, guiozá, tempurá, yakissoba, waffles, sushis, uma coisa doida de tantas opções.
Na primeira barraca que parei, a moça que me atendeu me ofereceu um copinho pequeno com um pouco da comida para eu experimentar, e estava maravilhosa. Nem pretendo lembrar o nome e tentar escrever aqui, mas era um misturado de brócolis, repolho, e outras ‘cositas’ mais, e estava delicioso.
Achei demais ver o Imagawayaki sendo feito na hora, mas não provei. Na próxima, com certeza absoluta, provarei.
Eu tinha ido na intenção de comer yakissoba e pedi um pequeno (R$ 15,00, que serve bem duas pessoas), que estava delicioso!!
Só é meio desconfortável comer em pé, no meio da feira, com hashi e um monte de gente trombando em você, mas sobrevivi....kkkk!
Comi do mesmo jeito e fiquei bem satisfeitinha!!
E depois, resolvi conhecer o tal sorvete frito ou tempurá de sorvete (R$ 9,00)
Eu, dona Formiga da Silva, achei demais!!! Delicioso!!!
Aquela casquinha meio durinha por fora, vai amolecendo junto com o sorvete de creme e a mistura é bem gostosa.
Cheguei lá por volta das 11:40 da manhã, num domingo e já estava bem movimentado, mas as barracas ainda sem muita fila ou aglomeração.
Óbvio que isso mudou quando soaram as doze badaladas do meio dia e a feira começou a lotar. Aliás, não só a feira! A região toda!
Enfim, é uma boa opção de passeio para o domingo.
Pretendo voltar com certeza!
Dica: Vá de metro!! Com certeza será beeem melhor!
 
Adoooooooooro essa feirinha!!!!
Ai que delicia!
Várias opções, que cabem em qualquer bolso!
Para quem gosta de camarão, tem uma barraquinha que você surta... tem de tooooodos os tamanhos!!!!
Mas a feirinha também tem um pouco de artesanato... muito legal!
Mesmo sendo bem cheio, o pessoal das barraquinhas conseguem ser educados ainda.
 
Se alguém me pergunta "o que tem de legal pra fazer domingo em sp?" minha resposta automática é a Feirinha da Liberdade. Tanto pra quem vem de fora quanto pra paulistanos veteranos, é um passeio que não pode faltar na sua lista!

O bairro em si é interessantíssimo, os postes de luz, as lojinhas, as pessoas... ontem vi que até mudaram os semáforos de pedestres pra símbolos que, na minha ignorância, não sei se são japoneses, chineses ou coreanos, mas que imagino que sejam japoneses pela maioria populacional do lugar. E ficou bem bonitinho! :)

A pracinha em si é grande e - com a super ultra vantagem - DO LADO do metrô.

Eu não costumo ir pra lá pra comprar coisas, apesar de terem vááárias barraquinhas de roupas e artesanatos. Pra mim o que vale da feira são as comidas!! Pessoalmente, sou fãzassa do "Takoyaki" (se não for assim que escreve podem me corrigir!) que é um bolinho frito recheado de polvo muuuito gostoso!! E nunca deixo de comer yakissoba também :)

Em volta da pracinha você encontra também vários mercadinhos de comida e padaria, com as comidas mais malucas que você puder imaginar. Inclusive várias coisas que pela embalagem você não consegue dizer o que são haha e aí é levar pra casa e arriscar a sorte ;)

O que acontece é que tem sempre muuuuuuita gente, as barracas de comida têm bastante fila, e é pra comer em pé mesmo, então se você é do tipo que se irrita com essas coisas, melhor não ir. Não tem nem um horário em que eu possa dizer "vai nessa hora que tá mais vazio" haha é o domingão todo com tudo cheio!! Mas eu me divirto :)
Dica: explore as ruinhas em volta! não se limite só à praça! ;)
 
É muita gente se apertando, ontem a tarde, (sexta-feira) excepcionalmente por conta do dia das mães a feira funcionou desde manhã, mas estava bem vazia e nem todas as barracas estavam operando, principalmente as de comida.
Minhas barracas favoritas são (reaberta após longo inverno) de Guioza, que acho um dos melhores de São Paulo, senão o melhor e de doces a Imagawayaki e se bem me lembro, não conheço este doce a não ser aquí, e principalmente a oportunidade de come-lo quente.
Ainda há a barraca do yakissoba e yakibifun, tempurá, acarajé e vatapá, sucos com leite condensando (fica muito doce), bonsais, flores e plantas, artesanato diversos
Dica: Caso seja apenas para gulodices, prefira o Metro.
 
Gosto demais dessa feirinha, outra feira que frequento desde pequena, pois minha mãe ama comida japa, mas das mais junkies, como tempurá e camarão frito.

Ela está sempre cheia aos finais de semana, quando ela acontece, e possui uma grande variedade de barraquinhas com iguarias japas, artesanatos, peças de decoração e presentes, a maioria com apelo japa.

O ponto negativo é que é mega cheia e se você quer comer algo tem que esperar bastante, eu recomendo fortemente chegar mais cedo do almoço e comer mais cedo para não pegar tantas filas nas barracas de comida.
Bom para: Comida rápida
 
A Feira da Liberdade fica localizada neste bairro tipicamente oriental. Fica logo na (saída/entrada) da estação de Metrô Liberdade.
É um ótimo passeio aos sábados e domingos (funcionamento). É parada obrigatória para turistas e paulistas. É preciso um pouco de paciência e ir sem pressa para caminhar por toda a feira, pois sempre está bem cheia.
Conta com muitas barraquinhas que vendem artesanato, roupas, lembrancinhas, brincos, acessórios, bonsais e comida oriental (muita comida boa)! São muitas as opções de comida oriental, mas eu destaco os tempurás, os espetinhos de camarão e os bolinhos de camarão.
Ponto negativo: É preciso comer de pé, pois não há nenhum local para sentar. Por isto sugiro os petiscos em vez de refeição. Pois fazer refeição de pé é bem desconfortável. Há restaurantes orientais no bairro como opção. Ou se for comprar as refeições na feira mesmo, melhor pedir para levar!
A primeira barraca de comidas típicas orientais está quase sempre muito cheia e com fila, porém, não desmereça as barracas ao lado, já fui nas mais vazias e não perdem em nada, ainda tem umas até mais baratas! Todas as barracas comercializam comidas muito boas, mas pode ser que a primeira fique mais cheia também por conta da localização.
Além das barracas da feira, ao entorno há lojas, galerias, restaurantes. O passeio é bem interessante, dá para passar o dia inteiro.


Dica: Experimente este mundo cultural muito diverso!
 
Esta feirinha acontece aos sábados e aos domingos sendo que, aos domingos tem algumas barracas a mais que não estão lá aos sábados.

A feirinha conta com barracas de procutos artesanais, comidas, plantas e algumas bijouterias. Nas barracas de produtos artesanais encontramos produtos feitos com couro, como bolsas e cintos, tecidos com pinturas feitas à mão, origamis etc.

Você começa a passear despretensiosamente pela feirinha e acaba se deparando com coisas muito bacanas: Tem duas barraquinhas que vendem cintos de couro feitos artesanalmente, e além de serem lindos são ótimos e duram pra caramba - tenho um que comprei há mais de 3 anos e ainda está novinho. Tem uma barraquinha que vende mudinhas de várias plantas a valores muito baixos (comprei uma muda de hortelã por R$ 2,00). E tem as barraquinhas de comidas, que vendem tempurá, bolinhos de camarão, bolinho de bacalhau, etc. A barraca da Guioza está sempre lotada e vende uma Guioza deliciosa. Para se refrescar tem uma barraquinha que vende sucos naturais bem consistentes e uma outra de raspadinha.
 
Um ótimo passeio de domingo em São Paulo.Esta feira fica na saída do metrô Liberdade,e conta com barraquinhas de artesanato,lembrancinhas,roupas,plantas e um corredor cheio de barracas de comidas,tanto japonesas quanto de churrasquinho e até acarajé! Dá para ficar um bom tempo vendo as barraquinhas e depois almoçar na própria feira,para depois dar uma caminhada pelas ruas do bairro.
 
Aos domingos acontece esta tradicional feirinha na liberdade, ocupando toda a praça da Liberdade nos arredores da estação de metrô.

Há diversas barraquinhas com comidas tradicionais japonesas e uma barraca em especial que é minha predileta: a de sucos naturais.

Como a feira é bem movimentada, pode ter certeza que sempre estará cheio, então vá com paciência ou nem vá.
 
Porque gosto tanto da Liberdade? Pois aqui é uma zona livre de padrões estabelecidos. O bairro é o reduto da colônia Japonesa e de outros cantos do oriente, como China e Coréia, mas recebe gente de todas as tribos e nacionalidades. O centro deste turbilhão cultural fica neste cruzamento, da Rua Galvão Bueno com a Praça da Liberdade, onde fica também a estação de metrô com o mesmo nome.

Qualquer tipo de pessoa encontraria algo interessante na Liberdade, mesmo os gostos mais exóticos, talvez principalmente estes, vão encontrar algo que o interesse neste bairro. Só tem um coisa que a pessoa tem que gostar muito, de gente. Muita gente, de todo tipo, jeito e etnia. Como a Feira da Liberdade é realizada nos finais de semana a praça fica mais cheia ainda.

Aqui é onde tudo acontece no bairro, desde as grandes datas festivas orientais, como a festa do ano novo chinês ou o japonês Tanabata Matsuri, o Festival das Estrelas. Mas é da comida de rua da Feira que estaremos falando hoje.

Nem todas as barracas são orientais, mas várias são exclusivas de itens nipônicos. A primeira que se destaca é a de Dorayaki (R$ 2,50) que são duas massas de panqueca ou bolo normalmente com doce de feijão azuki no meio, feito sanduiche, mas aqui oferecem a opção de creme de baunilha.

Logo em seguida uma barraca de Imagawayaki, um doce tradicional de Feijão Azuki que diferente do doce ao lado, é feito na hora em uma chapa apropriada, sendo um panqueca grossa com o doce de feijão dentro.

Vai duvidar da autenticidade da receita deste doce? No meio da multidão que rodeava as barracas da feira, esta senhora parecia que estava fazendo Taichi no Parque das Cerejeiras no Japão, achei demais!

Ainda tem a barraca de tempurás, com camarões e frituras de vários tipos, como estes deliciosos bolinhos de camarão (R$4,00). Adoro esses bolinhos!!!

Também é legal ver tudo sendo feito na hora, na rua, com as frituras viradas uma a uma com hashi.

Outra comida muito tradicional são os japoneses Tako Yakis, bolinhos assados com recheio tradicionalmente feitos de polvo.

Os moldes de ferro para fazer os bolinhos são feitos exclusivamente para isso e a técnica parecida com a do doce de feijão.

Ainda tinha uma barraca com sushi sendo feitos na hora e o tradicional Yakissoba a 12 e 14 reais os pratos pequenos e grandes respectivamente. Este prato é servido em qualquer bar, restaurante ou carrocinha de comida que exista na Liberdade.

O que não faltam são opções para comer um petisco oriental, ainda vimos uma barraca de Bi-Fum, Frango Xadrez e Okonomiaki que é tipo uma pizza japonesa.

Não me parece uma barraca das melhores, mas vai do gosto de cada um. Na feira sempre como frituras e petiscos, deixo os pratos para comer no Chi Fu , Rong He, dentre outros.

Quem conhece esta feira vai se perguntar, cadê a barraca do Guioza? Esta barraca acho especial e falo dela em seguida.
Dica: Vá no período da manhã para evitar filar muito grandes
Bom para: Ir com amigos, Ir com crianças, Almoçar, Comer muito, Gastar pouco
 
Adooooro o bairro da Liberdade e não foi à-toa que conquistei a Prefeitura! rs
Frequento essa feira há muito tempo e já comprei e comi muita coisa lá :)
A minha barraca preferida é da do tempura e outras frituras. Sei que tem duas barracas que vendem tempura, mas a que fica aos domingos perto do suco das baianas é a melhor! Não tem erro, é a mais cheia! rs
O tempura de camarão deles é muuuuito bom! Já comi o bolinho de camarão tb, mas o tempura ganha de longe no quesito gostosura.
Os sucos da barraca da baiana também são muito bons, mas bem calóricos, pois colocam bastante leite condensado.
Comprei algumas caixas porta-joias muito bonitas, são acolchoadas com estampas lindas! Também comprei alguns blocos e marca-páginas de origami de japonesinhas! Muito legal!
Essa feira é ponto de parada obrigatório na cidade de SP, para turistas e moradores turistas!
Dica: Tempura (da barraca mais cheia)
Exibindo de 1 a 14
Total de opiniões: 112

Escrever opinião


Passe o mouse pelas estrelas clique para dar nota
Para enviar fotos ou preencher os campos adicionais, faça seu login (Você não perderá a opinião escrita)
O Kekanto não é autor e não endossa nenhuma das opiniões e/ou comentários. Eles são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. Para mais informações acesse nossos termos de uso.

Check-ins

Total de check-ins
57
Seus check-ins aqui
0