Feira da Afonso Pena

Endereço: Av. Afonso Pena , Belo Horizonte , MG - Brasil

Telefone:

31 3277-49...

Clique para ver
Categoria:

Ar Livre

  | Rank: 5º de 63
Primeira opinião
soraia miranda go...
Formas de pagamento
Crédito:
Débito:

cash, credit card, debit card
Horário de funcionamento
Dom.
6h - 16h


Detalhes
  • Acesso para deficientes


Como chegar
Salvar favorito
Reportar problema
Sou dono
Escrever opinião
Como chegar - Traçar rota

  • Lugares parecidos
  • Cadastro

http://br.kekanto.com/como-chegar/feira-da-afonso-pena
Notas específicas:
Atendimento
(36)
Custo-benefício
(68)
Ambiente
(14)
Dicas
Pechinchar sempre.
Luiz A.
Use filtro solar e roupas confortáveis, tenha calma e atenção.
Marilda D.
Barraca dos pastelões...pastéis deliciosos
Salete K.
Ir cedo no domingo
Cristiano M.
Vá com uma roupa confortável e uma bolsa que dê para carregar bem juntinho ao corpo, para evitar problemas.
Ana C.
Ver mais
Opiniões
Se vc tiver tempo e disposição... use um filtro solar, um bom óculos de sol , roupas confortáveis e vá em frente.
Com calma, a feira é uma terapia. A gente se perde entre as múltiplas opções de artigos e preços para todos os bolsos. Não recomendo levar crianças, por volta das 10:00hs o calor fica insuportável, somado a vontade de usar o banheiro que não fica muito perto.
Se precisar comprar, chegue cedo. Terá opções de escolha e espaço confortável. Cuidado com os pertences pessoais, diante do enorme aglomerado de pessoas e o pouco espaço, vc corre mais risco de sofrer um assalto sem perceber.
A feira, tirando o lado sombrio (calor e aperto), oferece opções muito interessantes para vc fazer boas compras.
Ótimo lugar!
Onde há várias opções de presente para crianças, jovens e adultos, que são Roupas; Sapatos; Cintos; Bolsas; Artigos de decoração para casa; Alguns móveis fabricação artesanal e outros produtos.
Uma pausa para comer, variados tipos de comida, tais como Acarajé; Feijão tropeiro; Cachorro quente; Peixe frito; Churrasquinho de medalhão frango, porco ou boi; Mingau de milho verde. Para beber água de coco, cerveja gelada ou refrigerante.
Encontramos também os mais variados tipos de doces e biscoitos.
Artistas anônimos apresentam seus talentos e virtudes, animando quem visita a feira.
A feira recebe também turistas de várias cidades, as famosas "Sacoleiras", que levam os produtos para serem revendidos.
A feira começa por volta das 5 horas e vai até as 14 horas.
Vale a pena visita-la sozinho(a), com amigos ou família.
Ótimo lugar, onde há várias opções de presente para crianças, jovens e adultos.
Uma pausa para comer, variados tipos de comida, desde famoso Acarajé até o mingau de milho verde.
Tomar uma cervejinha com amigo e tira-gosto churrasquinho de medalhão, carne de boi ou porco,Cachorro quente, doces, pamonha
Artistas anônimos apresentam seus talentos e virtudes, animando quem visita a feira.
Adoro a Feira da Afonso Pena, a cada domingo tem sempre uma novidade.
São artistas anônimos que cantam, dançam e fazem o que sabem de melhor, expressar a arte com amor.
E o público adora.
São pessoas de todos os lugares do Brasil e do exterior.
A feira é famosa por ter produtos de qualidade e com preço baixo.
Todos se divertem na feira, os visitantes, a turma da cerveja e churrasquinho, do acarajé , sem esquecer do feijão tropeiro e outras delícias que são vendidas durante a feira.
Além de comprar roupas, bijuterias, calçados, artigos para casa e muito mais,os quadros feitos por artistas conhecidos e anônimos são os atrativos da feira.
Começa bem cedinho, antes do sol aparecer e às 14 horas os expositores encerram a feira.
Considerado Ponto Turístico de Belo Horizonte, vale a pena conhecer.
Conhecida como a tradicional feira hippie de BH. Acontece todo domingo na capital a mais de 41 anos. A feira conta com vários expositores que vendem as mais diversas mercadorias.como artes, Bijouterias, Brinquedos, Bolsas e Calçados, Móveis e Decoração, Roupas, dentre outras coisas. E é claro que a culinária não fica de fora, a feira também oferece diversos tipos de petiscos como churrasquinhos sanduíches, caldos e salgados. Essa feira começou a funcionar em meados de 1969 e se tornou uma das maiores feiras da américa latina, com grande numero de visitantes vindos de todos os cantos do país. Os preços de algumas coisas são bons , mas tem coisas caríssimas também.
Lá você irá encontrar um pouco do que essa grande feira têm a oferecer domingo, e ainda têem a pretensão de que essa feira seja aberta todos os dias da semana. Seria excelente!
Pra quem esta visitando BH, a feira hippie tem que ser ponto obrigatório pra visitar!
Muita variedade de roupa, sapato bolsa, lembrancinhas, comidas....mta coisa artesanal..
bacana demais!

Pra quem ja é de BH, é um ótimo lugar pra tomar uma cervejinha bem gelada, comer um espetinho, ou um peixe frito...ou quem sabe um pastel frito na hora..huuuuuuuuuuummmm!

Com relação aos preços, varia muito..o bom é pechinchar...rsrsrsrs

Feira Hippie! Feira que acontece aos domingos (cedinho, cedinho, até umas 3h da tarde).

Lá você encontra produtos artesanais, quadros, roupas, acessórios, dentre outros. O preço é bem em conta e é ótimo para comprar presentes.

Tem a parte dos comes e bebes, onde você compra cerveja gelada e espetinhos gostosos. Tem a porção de tropeiro também, que é bem gostosa. Para os amantes do acarajé, também é uma boa pedida.

IMPORTANTE: É necessário tomar muito cuidado, e proteger seus pertences, pois antigamente lá aconteciam muitos assaltos e como a feira fica muito lotada, os ladrões ficavam atrás das pessoas e tentavam roubar as coisas nas mochilas.
Nao se tem sossego para tomar nem um latao quente de cerveja, de tanto que tem mendigo, morador de rua, viciado e vagabundo na feira.
Ficam de olho. É só voce comprar que chegam lhe pedindo>
"me dá um pedaço do Churrasco?"
"paga um pra mim?"
"Me dá a Lata?"
Também acho que há Poucos banheiros e ficam Longe dos bares...
A Feira Hippie faz parte da minha infância, naqueles passeios "combo" compostos por Parque Municipal, Feira Hippie e Parque das Mangabeiras que ocupavam todo o Domingo!
É um tradicional ponto turístico de BH, sempre visitado por turistas e que justamente por este motivo precisaria de mais atenção por parte da Belotur e da PBH. A anos que o espaço carece de melhor estrutura como banheiros, policiamento e organização, pois realmente não há conforto algum para os visitantes. Cerveja quente, o acarajé já não é mais o mesmo e assim como na feirinha da Savassi é praticamente impossível comer algo sem que diversos pedintes se amontoem sobre você. É uma pena, pois já foi um passeio muito bacana.
Não dá pra visitar BH sem conhecer a Feira Hippie! Nela podemos encontrar bons exemplos do artesanato mineiro e inúmeras opções de bijuterias, calçados, roupas, bolsas, artigos para bebês, etc. No final das compras, vale a pena saborear as delícias das barraquinhas de comida, como um tropeiro, um espetinho ou um delicioso acarajé! Um ótimo programa para um domingo de manhã, tanto para os belo-horizontinos quanto para os turistas.
É um ambiente muito agradável e uma opção interessante de passeio no domingo, entretanto, poderia apresentar uma alternativa para os banheiros (atualmente utilizam banheiro químicos que são poucos pela demanda), o espaço entre as barracas poderia ser uma pouco maior de forma que cadeirantes possam atravessar os corredores entre as mesmas e poderiam adotar uma apresentação cultural (música) durante a feira.
Ponto turístico de BH que merece uma visita obrigatório, nem que seja bem cedinho. Não irá atrapalhar nada no seu roteiro, já que a feira ocorre aos domingos.
Confesso que contrariando a lei universal da atração mulher + compras, eu não sou consumista, mas trata-se de um lugar bacana.
Gosto da praticidade, já que tudo parece ser "setorizado". Você encontra comida em uma parte, roupa em outra, artesanato...por aí vai. Até assumo que o legal nessas feiras é se perder, mas pra quem vai com um objetivo claro, isso ajuda muito!
As comidas sempre achei um pouco caras, mas há quem faça a festa nas compras. Já comprei bijuteria, sapato, roupa, artesanato, entre outras e recomendo porque tem muita coisa legal.
Mulheres que não conhecem, cuidado...

Homens que tem mulheres que não conhecem, cuidado redobrado!!!

Já prometi a mim mesmo, e venho cumprindo, não voltar lá com minha patroa a não ser que eu a fique esperando na área de comes e bebes. As mulheres a-d-o-r-a-m andar a feira inteirinha, pesquisar preços e depois voltar na barraca onde viram mais barato. Só tem um porém: lá é gigantesco!!!!

Depois não digam que não avisei.
Iniciada no final da década de 60, em 1969, tornou-se uma das maiores feiras da América latina, que chega a receber 100 mil visitantes de todos os lugares do Brasil e do mundo e de todas as idades. A feira de Artes e Artesanato da Avenida Afonso Pena, popularmente conhecida como feira Hippie, acontece todo domingo na capital mineira a mais de 44 anos. A feira conta hoje com quase 3000 expositores que vendem as mais diversas mercadorias (Artes, Bijuterias, Brinquedos, Bolsas e Calçados, Móveis e Decoração, Roupas, dentre outras coisas. E é claro que a culinária não fica de fora, a feira também oferece diversos tipos de petiscos como churrasquinhos sanduíches, caldos e salgados). Como já bem dito por outro colegas Kekanteiros(as), se for acompanhado por mulher deixe elas andarem! Não inventem de acompanha-lá, vc não vão aguentar. O melhor a se fazer e ficar próximo a esquina da Alvares Cabral, tomando uma gelada enquanto elas realizam suas "comprinhas", e ter, também muita paciência, pois lá vc descobrirá que tem vários filhos. ISSO MESMO, FILHOS! O pessoal que por ali fica parecem cegos (não podem ver nada que pedem!), e um tal de "tio, paga um churrasquinho pra mim", "me da um pedaço ai", "adianta uma lata" que não termina! A também algumas peças raras( malabaristas, artistas de ruas e o pessoal que esta vindo do fim de noite com a cara totalmente amarrotada, rsrsrs).
Exibindo de 1 a 14
Total de opiniões: 217

Nota geral Você conhece o Feira da Afonso Pena? Escreva uma opinião! Dê sua nota!
Passe o mouse pelas estrelas clique para dar nota

Opinião
Para enviar fotos ou preencher os campos adicionais, faça seu (Você não perderá a opinião escrita)