Entre tapas

Endereço: Rua Conde de Iraju, 00e1, 115 , Humaitá - Rio de Janeiro , RJ - Brasil - 22271-020

Telefone:

021 2537-0...

Clique para ver
Categoria:

Restaurantes

  | Rank: 176º de 2863

A história remonta a origem das tapas a Idade Média, quando no século XIII, o rei Afonso X, após se recuperar de uma doença comendo pequenas porções de alimentos acompanhados de vinho, estabeleceu a obrigação de servir a bebida junto a alimentos a todos os soldados que frequentavam as pousadas do...  Ver mais

Preço por pessoa
$$$$ (De R$51 até R$100)

Site oficial
entretapas.com.br
Redes sociais
entretapas

Bom para
Vinho, Happy hour

Primeira opinião
Laura Goldmeier
Formas de pagamento
Crédito:
Débito:

cash, credit card, debit card
Detalhes
  • Ar condicionado
  • Aceita reservas
  • Mesas ao ar livre


Como chegar
Favorito
Sou dono
Reportar problema
Escrever opinião
Como chegar - Traçar rota


http://br.kekanto.com/como-chegar/entre-tapas
Notas específicas:
Ambiente
(11)
Comida
(11)
Atendimento
(11)
Bebida
(11)
Custo-benefício
(11)
Dicas Ver mais
Opiniões
Ambiente legal, bom atendimento. Agora muito caro pra comer ovo com batata frita. a costelinha é boa e o polvo também, mas quantidade minúscula. Saí de lá fome. Dá p impressionar a gatinha levando p comer ovo, mas jante em casa. Fiquei com vontade de comer a paella, lá servem a original valenciana, mas só servem no almoço.
O bar de tapas está instalado em uma casa no humaitá onde a fachada antiga foi mantida, enquanto o interior foi remodelado com citações a espanha de forma moderna, como o uso do vermelho e a pintura da silhueta de um touro em uma das paredes. O clima se completa pela meia luz com velas acesas em todas as mesas e o som ambiente.

O atendimento é bem atencioso: os garçons explicam o cardápio sempre com um sorriso no rosto. O que faz você se aventurar com vontade entre as croquetas, os montaditos, os postres... Isso tudo acompanhado por um vinho, sangria, cava ou pela cerveja espanhola Estrella.

Vale a pena conhecer, porém na categoria tapas ainda acho o Venga mais saboroso e descontraído.
Sabe quando você entra em um lugar pela primeira vez e pensa: "Encontrei o MEU lugar"? Então... Foi isso que aconteceu entre mim e o EntreTapas. O lugar tem absolutamente tudo o que eu sempre esperei de um bar: Atendimento impecável; Ambiente gostoso; Bebida ótima e comida maravilhosa. Além do chef com o maior e mais lindo sorriso do mundo (Jan Santos), o restaurateur mais simpático e hospitaleiro (o espanhol Antonio Alcaraz) e a gerente mais linda e competente (Cristina Zwahlen). Há 2 anos, quando o bar inaugurou, eu sabia que seria o "meu cantinho" no Rio. Um caso de amor verdadeiro. Explico o motivo de tanto amor: Gosto muito de comer, mas não de comer muito. Acho chato ir em um lugar novo e só poder experimentar um prato, seja de comida ou de petiscos. No Entretapas, a gente consegue pedir várias pequenas porções e experimentar vários sabores em uma só noite. E tudo delicioso! Porque não tem graça comer uma porção de coisinhas e não gostar de nada né?

O AMBIENTE:
Aconchegante e Descolado. Funcionando em um sobrado centenário de Botafogo, iluminação suave e intimista, quadros com a lista das tapas do dia, um enorme touro estampado na parede e uma mesa alta comunitária para até 10 pessoas. Um longo sofá, que atravessa o restaurante de ponta a ponta, servindo a várias mesas. Ao fundo, o bar onde são preparados os drinks e logo depois a cozinha, com uma janela voltada para o salão. Do lado de fora, uma espécie de corredor varanda, com mesinhas e cadeiras de madeira.

AS TAPAS
A tradução de Tapas é Tampas. Antigamente, nas tabernas e hospedarias da Espanha, era hábito se colocar uma fatia de pão sobre a caneca de vinho, pra manter insetos e poeira longe do vinho. Obviamente os hóspedes comiam o pão, e com o tempo, outros alimentos eram colocados sobre os pães: tomates, queijos, defumados... A partir daí são variações sobre o mesmo tema: comidinhas pra se comer com as mãos (ou em pequenos bocados) enquanto se aprecia um bom vinho ou sangria.

No entretapas a gente encontra o melhor da comida catalã. Melhor até do que em muitos lugares da própria Espanha. Eu já comi o cardápio inteiro, de cabo a rabo, algumas várias vezes.

Você pode pedir sopa fria de amêndoas com alho ou um gaspacho frio (R$11). Porção de croquetas (de presunto serrano, bacalhau, cogumelos ou linguiça). Porção de 4 unidades por aproximadamente R$20. Pantumacas (pão da casa - 4 fatias - com tomate) R$14. Montaditos (de presunto serrano com tomate, camarões com aioli, pernil com chutney de tomates, chorizo salteado com vinho branco e um ovo de codorna frito, salmão defumado, sardinha com cebola caramelizada - mais ou menos R$10 cada montadito). Cazuelitas (panelinhas) de cogumelos, camarões ou favas. As famosas tortilas de batatas ou as típicas batatas bravas.

A BEBIDA
O entretapas tem vários drinks (recomendo o Carmen - Jerez Amontillado com cointreau, cava rosado e grenadine por R$18) ou a tradicionalíssima sangria (R$ 29 a jarra de 500ml ou R$ 60 a jarra de 1,2 litros). Para quem prefere vinho, a casa conta com jerez, espumante Dom Ramón ou os tintos Mas Borràs e Mas la Plana, típicos da Catalunha.

O restaurante aceita reservas de segunda a quinta. Nos outros dias, é bom chegar cedo porque lugar bom e barato não pode ficar vazio. Nos finais de semana, funciona para almoço. Peça a Paleta de Cordeiro com cogumelos e purê de batata ao limão siciliano.

Valet Parking na porta (R$12), mas se você não deixa seu carro nas mãos do manobrista, talvez consiga encontrar uma vaga na rua ou no estacionamento da Cobal Humaitá, a 1 quadra do restaurante.
Aberto em novembro de 2010, no Humaitá, o bar de tapas tem fachada antiga e decoração com referências à Espanha. Sob o comando do chef Jan Santos, a casa lança sequência de cinco pratos, que podem ser escolhidos de um cardápio com 16 opções.

Nas mesas, velas acesas e luz suave. Entre as sugestões do chef, estão as croquetas de jamón com molho bechamel, a brandada de bacalhau (emulsão do peixe sobre tomate e geleia de pimentão) e as batatas bravas (cozidas e levemente fritas, cobertas com molho picante).

Destaque para duas receitas do País Basco: o huevo al plato con piperrada (ovo cozido num tradicional refogado) e o bacalhau al pil pil, um dos mais representativos da cultura basca — o nome faz referência ao som do azeite quando cai na panela de barro. Outras sugestões são a costilla lacada (costela de suíno laqueada no mel, servida com purê de damasco) e o magret de pato à espanhola (peito da ave grelhado e servido com purê de batata no limão-siciliano, vinagre de Jerez).