Centro Cultural Banco do Brasil

Endereço: Rua Álvaro Penteado, 112 , - São Paulo , SP - Brasil - 01012-000

Telefone:

11 3113-36...

Clique para ver
Categoria:

Museus

  |   3º melhor em Museus de São Paulo   3º melhor em Museus de São Paulo
Bom para
Famílias

Primeira opinião
Wiliam Kiyoshi Ue...
Horário de funcionamento
Ter.
9h - 21h
Qua.
9h - 21h
Qui.
9h - 21h
Sex.
9h - 21h
Sáb.
9h - 21h
Dom.
9h - 21h


Detalhes
  • Acesso para deficientes
  • Ar condicionado
  • Inaugurado em 2001
  • Proibido fumar
  • Local para comer
  • Visita monitorada


Como chegar
Favorito
Sou dono
Reportar problema
Escrever opinião
Como chegar - Traçar rota


http://br.kekanto.com/como-chegar/centro-cultural-banco-do-brasil
Notas específicas:
Ambiente
(58)
Atendimento
(62)
Custo-benefício
(31)
Dicas
Apesar de ser um museu, não é só isso, é: museu, galeria, café, restaurante, teatro, ponto de encontro, cinema, livraria e um dos meus lugares em São Paulo :)
Allan G.
Para quem for de carro o CCBB conta com um estacionamento conveniado na Rua da Consolação, 228, com transporte gratuito até as proximidades.
rafael a.
Subir ao último andar e olhar a arquitetura, o ladrilho da entrada.
Simone C.
Vá com tempo. Pelo menos uma hora e meia.
Afonso W.
Nos últimos dias de exposição, chegue MUITO cedo para não pegar fila ou leve uma revista.
Nobu T.
Ver mais
Opiniões
Sem muito a comentar. O CCBB é um espaço cultural incrível! Desde a arquitetura até a programação com mostras e filmes fora do circuito comercial são de brilhar os olhos.

O atendimento é cortês desde o segurança do térreo até o café do terceiro andar.
Em estilo clássico, de muito bom gosto, diga-se de passagem, o prédio conta com galeria de arte, cinema, teatro, loja de conveniências e livraria. A propósito, recomendo visitar o Café do térreo, tem até umas mesinhas do lado de fora do prédio que remetem à Europa.

Além das exposições, é possível conferir a maquete do edifício, rica em detalhes.
Sempre ouvi falar deste lugar, porém, acabava sempre em uma desculpa para deixar para a próxima vez. No ínicio de agosto resolvi comprar ingressos para a peça "Quanto custa?", para o dia 30.08, e fiquei me perguntando porque demorei tanto. Achei o lugar lindo, com atendentes ótimos, pois são educados, atenciosos...
O local, como o próprio nome já diz, possui uma programação cultural que vale a pena, sem contar que muita coisa é de graça ou com preço simbólico (R$ 6,00 a inteira). Vacilei de não perguntar sobre correntista do BB, pois tinha desconto, mas não me preocupei muito porque 6 reais não é uma fortuna, né? Na próxima eu fico mais ligada :-)
E tem pra todos os gostos: cinema, exposição, teatro, etc. Vale acompanhar a programação pelo site, ou pegar um encarte na recepção.
Fica localizado bem no centro velho de São Paulo, próximo à Sé. Embora ali não passe carro, o local tem convênio com um estacionamento que fica na R. Consolação, nº 228. Você carimba o papel do estacionamento na recepção e fica em R$ 15,00 o período de 5 horas, sendo que o local disponibiliza van que leva e busca durante o período em que o teatro estiver aberto. Após às 19 horas há a opção de pegar a van e descer na estação República, caso opte pelo transporte público.
No térreo há um café charmosinho e com salgados DELICIOSOS! Comi um salgado assado de queijo e cebola e adorei! Vale ressaltar que o café não segue a linha baixo custo do CCBB, ficando na média dos locais da região.
Resumindo: Conheça!
Fui neste Centro Cultural apenas 1 vez, para assistir ao musical sobre o Legião Urbana e achei sensacional.
A fachada é bem conservada, mantendo o estilo dos prédios do centro. O interior é lindo, extremamente limpo e bem cuidado.
A sala onde assistimos à peça possuía 2 andares (parte em frente ao palco e o mezanino, onde ficamos). Tudo novinho, bem conservado e com ótimo sistema de som.
Adorei e recomendo a visita!
Exposições e peças quase de graça
Centro cultural, exposições, cinema, teatro, cafeteria, restaurante....Muitas atividades juntas com teatro e cinema a preços extremamente populares, exposições de artistas contemporâneos ou grandes mostras com pintores clássicos.
Grandes mostras com filas imensas, iguais aos museus da Europa e de graça, acesso pelo metro, ônibus, convênio com estacionamento e vans para levar ao CCBB.
Peças alternativas ou "blockbusters" com ingressos esgotados e filas. O que é bom nas alternativas é abrir espaço para teatro de vanguarda que não tem muitos espaços na capital, neste momento temos o musical Cássia Eller, lotado, uma ótima experiência teatral.
A cafeteria é charmosa, as vezes o atendimento é caótico mas tem melhorado, talvez o melhor café coado de SP.
As mostras de cinema são ótimas para os amantes da sétima arte.
Enfim, BBB, ruim a comparação mas é realmente Bom, Barato e Bastante.
Aproveitem!
Localizado no chamado "Centro Velho de São Paulo" próximo a Rua São Bento em um edifício centenário o Centro Cultural Banco do Brasil possui diversos espaços nos quais são realizados atividades nas áreas de cinema e vídeo, dança, exposições, ideias, música, teatro e programa educativo.
Todos os meses oferece uma programação diferente gratuita ou a preços populares.
Como meus amigos disseram o Centro Cultural Banco do Brasil é uma lugar deveras incrível, lá sempre rola várias exposições interessantes e mostras de filmes super bacanas !

A última exposição que eu fui foi do artista chinês Cai Quo-Qiang chamada "Nunca Aprendi a Pousar" Eles fizeram um esquema super legal e deixaram parte da exposição do lado de fora! Eu curti muito, parecia que o Centro de SP tinha sido invadido por umas naves espaciais ou algo do tipo.
No mesmo dia fui a uma mostra de cinema russo, eu não curti o filme que eu vi, chamava-se Elegia á Russia mas valeu a pena para conhecer! Foi um dia agradável apesar de uma mulher ter cismado com o meu celular na salas de cinema, eu tinha esquecido de desligar, mas ele estava no silencioso, de qualquer forma ela se incomodou com a luz do meu celular e começou a encrencar comigo, ela estava certa, mas não precisava fazer tanto escândalo e a cada movimento na cadeira que eu fazia ela me olhava, foi irritante.

No mais lá tem uma exposição fixa de xilogravura que é excelente, que fica no último andar, tem um café ótimo, que se chama Cafezal! E é um lugar que DEVE ser vistado e revisitado, sem falar que ele é lindo tanto na parte externa com aquele estilão colonial quanto na parte interna.

Agora está rolando a 8ª Mostra Mundo Árabe com os filmes árabes que bombaram nos festivais. - De 21 de agosto a 1º de setembro de 2013. Em seguida terá a mostra com filmes do Azerbaijão. Com produções premiadas azerbaijanesas inéditas no Brasil. Nos dias - 4 a 8/9.
O CCBB virou meu Top Lugares Favoritos de Sampa! =) É um prédio histórico lindo, com museu, galeria de arte, um café super charmoso, uma lojinha de conveniências, livraria, cinema. Enfim, um espaço cultural completo e que todo paulistano tem que conhecer.

Eu fui na mostra de Mestres Renascentistas e realmente fiquei abismada com a organização do staff. Esta mostra gerou filas e filas (foram 2-3h para entrar), mas não por falta de estrutura do lugar e da exposição e sim pela procura maior que esperada (tanto que a mostra foi prorrogada , com direito a ficar aberta 24h, duranto todo o último final de semana, se não me engano). Além disso, as pessoas que trabalham lá realmente entendem do assunto: se você tem qualquer dúvida, explicam os detalhes com simpatia!

Mas qualquer mostra que você visite no CCBB não fica restrita somente à exposição. Lá você fica boquiaberta com a arquitetura do prédio, com as pinturas, afrescos, enfim, tudo!

Uma dica: depois de ficar algumas horas visitando o Centro Cultural, exposições, etc, não deixe de experimentar os lanches e cafés da cafeteria localizada hall de entrada,e dar um visu na lojinha e livraria. Se conseguir, pegue uma das sessões de cinema que oferecem gratuitamente - com filmes fora do circuito comercial.
O CCBB funciona seis dias por semana, de quarta à segunda-feira.

Fui conhecer quando fui a uma exposição de Pop Arte, Visões na Coleção de Ludwig. As obras ocupam todos os andares, com exceção do térreo. A entrada nas exposições é gratuita.

Para quem não gosta de exposições ainda pode ir conhecer pelo teatro, cinema, café ou simplesmente pelo prédio.

Pessoal muito bem treinado, incluindo a guia da exposição (Amanda) que dá um tour por todos os andares explicando as principais obras e contexto.

Fica entre as estações de metrô Sé e São Bento.
Quando o conheci não gostei muito. Achei estranho as partes da exposição serem distantes e que o prédio não era próprio para exposições grandes. Agora eu adoro. Acho super divertido seguir as setas para chegar nas outras partes da exposição, e acho ótima a possibilidade de controlar a quantidade de pessoas que entra em cada sala. Graças a esse controle, sempre dá para ver bem as obras expostas, e ninguém se estressa com uma possível muvuca humana.
Ainda, o prédio é lindo e dá vontade de ficar andando por lá e tirando fotos.
O pequeno café não tem uma grande variedade de produtos, mas é tudo bem caprichado. Podia ser mais barato.
A mini lojinha é tão cara que às vezes dá a impressão que a vendedora está brincando quando fala o preço de caderninhos e imãs da exposição.
O Centro Cultural Banco do Brasil no centro paulistano, foi outrora a primeira sede bancária do Banco do Brasil no Estado de São Paulo, com prédio próprio eregido ainda nos tempos do Império sob a regência de D. Pedro II, tendo sido fundado por Irineu Evangelista de Souza, o Barão de Mauá.

A história do banco se confunde um pouco com a história de alguns brasileiros. O conhecido Barão de Mauá, nascido no Estado do Rio Grande do Sul em uma família muito humilde, foi morar na cidade do Rio de Janeiro mandado por sua mãe que, viúva, precisando casar-se novamente, via nele um "estorvo" para a realização deste novo matrimônio, mandando-o então para viver com seu tio, ajudando-o em um armazém de "secos e molhados". Após aprender bem matemática, mostrar-se um bom administrador e cobrador, foi convidado a trabalhar no Loyd Bank após mostrar habilidade em negociar a dívida de seu tio com o banco.

Muitos anos após, convencido que o Brasil tinha de ter o seu próprio banco e diminuir a dependência do capital inglês, fundou o Banco do Brasil, que posteriormente foi assumido pelo império.

Atualmente, no prédio da antiga sede da Agência 001 do Banco do Brasil, abriga o CCBB, que até o dia 06 de janeiro de 2014 abriga a exposição idealizada pelo Instituto Wladimir Herzog para contar, através da linha do tempo de 1960 a 1985 a história da resistência à ditadura militar no Brasil.

É preciso conhecer o passado para não permitir que os erros se repitam e prejudiquem nosso futuro. Conhecer a história é uma forma de resistência. O conhecimento combate a ignorância, combate o preconceito e edifica o futuro.

O ambiente é riquíssimo, digno de receber grandes obras de arte, como por exemplo, a exposição realizada no ano passado com os pintores impressionistas, como Van Gogh.
Ótima opção de passeio cultural com preços muito acessíveis ou gratuitos. Serviço de van e estacionamento, perto de estações do metro, com cafeterias e restaurantes.
Normalmente ótima exposições de arte, mostras de cinema e peças de teatro, visita monitorada e com atividades infantis aos fim de semana.
Uma São Paulo bonita e barata. A cafeteria costuma ter atendimento atrapalhado portanto cuidado com os horários dos eventos para não perder a entrada.
O Centro Cultural do Banco do Brasil, a primeira obra cultural já começa pelo Magnífico prédio, com uma bela arquitetura que valoriza o Centro Velho de São Paulo, um local muito visitado, por suas concorridas exposições que traz para São Paulo, obras do mundo todo, um grande orgulho para a Cidade. Mas precisamos levar a cultura para os bairros mais distantes de São Paulo, já que muita gente se sente constrangida em poder estar nesse local de educação e cultura.
Exibindo de 1 a 14
Total de opiniões: 98

Nota geral Você conhece o Centro Cultural Banco do Brasil? Escreva uma opinião! Dê sua nota!
Passe o mouse pelas estrelas clique para dar nota
Título da opinião

Opinião
Para enviar fotos ou preencher os campos adicionais, faça seu (Você não perderá a opinião escrita)