Anuncie no Kekanto

Quer receber ofertas do Café Piu Piu?

No Kekanto os donos de estabelecimentos podem publicar cupons de descontos. Cadastre-se e receba os descontos
f
Café Piu Piu

Café Piu Piu

R. Treze de Maio, 134
Bela Vista - São Paulo , SP - 01327-000

Telefone: 011 3258-8066

Camarote, Estacionamento, Música ao vivo, Restaurante 


Preço por pessoa:

$$ (De R$26 até R$50)

Categoria:
Pop Rock
Ranking: #4 de 18
Site oficial:
cafepiupiu.com.br
Formas de pagamento:
Débito:
Horário de funcionamento:
Seg.: Fechado
Ter. e Qua.: 20:30 às 1:30
Qui.: 21:30 às 2:30
Sex. e Sab.: 21:30 às 4h
Dom.: 20:30 às 1h
Primeira opinião por:
Denise Kimie
Detalhes:
Ar condicionado
Proibido fumar
Comanda individual
Música

Quer receber ofertas do Café Piu Piu?

No Kekanto os donos de estabelecimentos podem publicar cupons de descontos para todos os seus consumidores. Registre-se e receba gratuitamente todos os descontos

Publicidade
Notas específicas:
Ambiente
(25)
Comida
(22)
Público
(25)
Atendimento
(26)
Bebida
(24)
Custo-benefício
(20)
Mostrar:
Dicas  (19)
Andrea
Depois das 23:00 a fila é imensa e só liberam para entrar quando sai alguém.
Andrea
Juliana Mendes
Não procurem por essa funcionária Ana....o bar e música são bons
Juliana M.
Classificar por:
Opiniões   (52)
 
cerveja sempre gelada e atendentes sempre prontos para te fornecer uma experiência única.
Uma casa voltada para todos os amantes do bom e velho rock'n roll. O Café Piu Piu é uma das casas mais tradicionais de São Paulo. Há 30 anos no mesmo endereço, com o mesmo propósito: Levar covers de qualidade para o público, com shows que variam do classic rock ao pop rock, passando por todas as camadas desse universo multicultural que é o Rock'n Roll.
A decoração da casa é outro atrativo. Com decoração personalizada o Café Piu Piu é, sem dúvida, meu lugar favorito em São Paulo. Sou um frequentador assíduo juntamente com meus amigos e namorada.
Dica: Chegar antes das 23h. Os shows começam 00h e depois das 23h começa a ter fila para entrar.
 
Ia muito prestigiar uma cantora conhecida de longa data, que apelidamos de Jodie Foster, mas que tem uma bela voz. Nessas idas, sempre a casa estava lotada, com mesas e cadeiras grudadas uma na outra, pois o espaço é muito pequeno e apertado. Para quem gosta de uma música ao vivo e não liga muito pra ambiente sofisticado, esse é o point.
 
Ontem foi minha primeira vez no Café Piu Piu. Eu já tinha visto o lugar durante o dia, passando pelas ruas do Bixiga, mas nunca havia entrado. Acabei indo a convite de uma amiga para ver o show de uma banda cover do U2.

O estabelecimento não tem convênio com nenhum estacionamento. Os estacionamentos em frente cobram R$20,00 preço único.

Tive um problema na entrada porque eles cobram a entrada antecipada. Até aí, tudo bem, mas eles só aceitam o pagamento em dinheiro ou cheque. Eu tive que emprestar de uma amiga, pois havia lido aqui que eles aceitavam cartão de débito e estava desprevenida.

Acontece que eles só aceitam cartão lá dentro, para pagar o consumo. Eu achei bem chato isso, porque nem tem caixa eletrônico ali perto. E de qualquer forma, é perigoso fazer saque à noite.

Passado esse pequeno estresse inicial, o local é bem charmosinho. A decoração é bem interessante. Tem dois andares, mas eu fiquei no térreo.

O banheiro é limpinho, tem 3 reservados. As garçonetes passam toda hora tirando embalagens vazias das mesas e não tive problemas com furtos.

Não posso reclamar do atendimento. Os funcionários foram polidos comigo. Quando fui ao caixa para comprar bebidas, a atendente me explicou direitinho o procedimento. E falou que eles aceitam para o pagamento do consumo tanto cartão de débito como de crédito.

A gente compra umas fichinhas e depois troca no balcão pelo pedido. Confesso que preferi esse sistema a pedir para a garçonete e marcar na comanda, pois assim eu evitei pegar fila na saída.

Quanto à comanda, sugiro que a guarde muito bem, pois está escrito nela que se você perder, deverá pagar R$300,00. É bom lembrar que essa prática é ilegal, e, caso você tenha algum problema com isso, deve recorrer à justiça http://www.abrasel.com.br/index.php/noticias/723-120911-cobranca-por-perda-de-tiquete-e-comanda-e-ilegal.html
. Mas é sempre bom evitar transtornos.

Eu peguei um refrigerante (R$4,00 a garrafa de 290ml), pois o pessoal que estava comigo reclamou que o suco era aguado. Também não me aventurei a comer nada, mas quem pediu comida falou que estava salgada.

A banda era boa, a qualidade de som também. Antes do show começar, eles ficaram passando uns DVDs. Aí a banda fez uma parte do show e parou para um intervalo. Esse intervalo foi mega longo. O show acabou mais de 2h00. É compreensível, pois enquanto as pessoas estão na casa, elas consomem, e não é interessante para o estabelecimento que o show acabe cedo mesmo. Mas foi cansativo.
Dica: Leve dinheiro em espécie para pagar a entrada e guarde bem sua comanda.
Bom para: Ir com amigos, Dançar
 
No final dos anos 80, comecinho dos 90, São Paulo era um tumulto só, com protestos, passeatas, comícios e tudo mais. Eu vinha de um colegial matutino em Santos para uma faculdade noturna na avenida Paulista, no olho do furacão, e não queria perder nada. É claro que se naquela época eu soubesse das coisas que eu sei hoje, tudo teria sido muito mais fácil. Mas quem disse que a vida é fácil?
A noite paulistana fervia e oferecia muitas opções. Minha turma se espalhava basicamente entre a velha e boa Madalena e a prainha. Mas de uma coisa que sei hoje eu já sabia naquela época: quando a intenção era um programa mais divertido, com bons shows, bom chopp, bons petiscos e nenhuma frescura, íamos ao Café Piu Piu.
O Café Piu Piu foi construído em 1983 sob a batuta do Sr. Luis Lustig, num galpão que antes abrigara uma oficina de carros e depois o Teatro 13 de Maio, com a finalidade de ser o que ele sempre foi: um lugar para ouvir música de qualidade.
Lustig nunca foi um empresário da noite. Nem sequer trabalhava nessa área. Apenas gostava de música e queria um bom lugar para ouvi-la. Montou, assim, um dos galpões mais bacanas da cidade, com tijolos à vista, madeiramento antigo e acústica perfeita, lembrando bares de antigas estações de trem ou os tradicionais bares de blues e jazz de Chicago e New Orleans.
Encheu-o então de ótimas bandas, principalmente bons nomes do jazz, do blues, da boa MPB e do velho e bom rock n’ roll. Por lá passaram vários artistas da chamada Vanguarda Paulista, como Arrigo Barnabé, Itamar Assumpção, Preme e Língua de Trapo; bandas de rock que despontavam na cidade, como o Ira! e o Ultraje à Rigor; e figuras clássicas do jazz & blues brasileiros como Paulo Moura, André Christóvão, Nuno Mindelis e a Traditional Jazz Band.
A charmosa casa recebeu então o nome de Piu Piu, bem simples, sonoro, musical e brasileiro. E se tornou imediatamente uma referência para a galera mais descolada da cidade, mantendo-se como um porto seguro na inconstante região do Bexiga.
O bairro italiano da cidade entrou em declínio nos anos 90. Várias cantinas se fecharam e diversos bares, na própria 13 de Maio, tiveram que encerrar suas atividades. E o Piu Piu ficou, firme, forte e lotado. O motivo? Ficou porque se manteve ótimo, como sempre foi, e porque muito mais do que um comércio, ele carrega o orgulho, o carinho e a dedicação de uma família.
Para provar isso, quem assumiu as rédeas da casa nesta época foi a Sra. Silvia Galant, esposa de Luis Lustig. Anos depois, já no início deste milênio, ela passou o comando ao filho Paulo, que, como seu pai, nunca fora um empresário da noite e até esta época vivia a agitação cotidiana da redação do jornal O Estado de São Paulo.
Paulo Lustig é uma cara jovem, despojado, cheio de histórias para contar e, acima de tudo, um amante do rock. Com isso, fez algumas reformas na casa, deixando o palco numa posição melhor para o público e adotou novos critérios para selecionar as bandas que nela tocam, eliminando sumariamente as que não atingem seu nível de exigência.
Fez mais: ajustou o cardápio, que já era muito bom, ao contrário de quase todas as casas noturnas da cidade, e ficou ainda melhor. Ali há um ótimo chopp e coquetéis bem elaborados, como a sangria feita com vinho tinto, abacaxi, laranja e refrigerante de limão. E há ótimos petiscos e surpresas como o já clássico Latkes, um bolinho de batata crocante, frito em lascas douradas.
Outras inovações estão nos bares, comandados por mulheres, e na eficiente, simpática e informal equipe de atendentes, já que a casa foi pioneira em contratar universitários no lugar de garçons.
Hoje, vinte anos depois daquela época e com o bar se aproximando de seus 30 anos, São Paulo mudou completamente, mas o simpático Piu Piu continua atraindo legiões de fãs da música verdadeira, tocada ao vivo e com competência por covers de Beatles, U2, Pink Floyd, Yes..., e por bandas especializadas em clássicos do rock, como Rockover, Almanak e Mustang 68.
Com isso, centenas de pessoas das mais diversas gerações disputam diariamente as mesinhas de mármore espelhadas pelo salão e pelo mezanino. E disputam os espaços que sobram para pular e dançar entre elas e para ver melhor o palco. Ali, todos estão felizes. Ali todos cantam. Ali não há “corações solitários”.
A mim, do pouco que sei hoje e do que menos ainda sabia há anos atrás, cabe tentar estar junto com eles sempre que possível. Longa vida ao rock n’ roll. Longa vida ao Café Piu Piu.
Bom para: Ir com amigos, Dançar, Paquerar, Gastar pouco
 
Estive nesta casa neste sábado para comemorar o niver de um amigo. Logo para chegar foi uma luta só, pois a maioria das ruas do Bexiga estavam fechadas para a festa da Achiropita, e não conseguíamos chegar... Depois de quase uma hora rodando, enfim chegamos. Logo na entrada eles só aceitavam dinheiro ou cheque para entrar, achei isto péssimo, ainda bem q eu vi isto antes no site, pedi a garçonete para guardar o bolo na geladeira e ela foi tirando minha espátula da sacola e foi falando que não podia deixar nada com o bolo e tal.. achei uma arrogância a maneira que ela falou. Sentamos na mesa e pedimos duas caipirinha uma de vodca com kiwi sem açúcar e a outra meu namorado queria de rum sem gelo com limão pois ele estava gripado. Na hora que veio a bebida eu me espantei com a do meu namorado que veio num mini copo com uns pedaços de limão e a minha veio com açúcar... Pedi para trocar a minha e quando chegou não senti gosto nenhum de vodca, era literalmente agua com açúcar, fui até o balcão e pedi a garçonete que colocasse um pouco mais de vodka, ela me informou que não podia, pois era norma da casa aquela dosagem. Isto já é um motivo para eu não voltar nunca mais, nunca vi um lugar que não pode agradar o cliente... Ridículo.. Mas não acabou ai... Quando fui pedir o bolo para a garçonete do inicio, ela foi super grossa e falou que deveria pedir para o garçom que estava me atendendo lá em cima, informei para ela que queria fazer uma surpresa e por isso precisava do bolo comigo. Ela foi hiper mega grossa e falou: Eu vou lá buscar, mas se eu voltar e vc não tiver ai... Ai vc vai ver... Teve mais grosseria mas não vou ficar falando. Mas resumindo é um lugar que eu não volto mais, apesar da banda que estava tocando ser excelente...
 
Um dos melhores barzinhos da treze de maio.
Por isso, chegue cedo, ou vai pegar fila.
A pista em frente ao palco fica apertada quando a casa está lotada, tem um mezanino que fica liberado somente para quem faz reserva.
As bandas que tocam são clássicas da noite rock'n roll de São Paulo, como a banda Almanak, que eu adoro, Hot Rocks, Mr. Kurk, Rockover, dentre outras.
 
Nossa!!! Como é bom poder falar do Café Piu Piu!!! Eu simplismente adoro esse lugar. Eu ia muito a 16 anos atrás com meu irmão Fábio e muitos amigos... O tempo passou, comecei a estudar pra valer, comecei a namorar, trabalhar, terminei os estudos, casei e agora voltei a frequentr o Piu Piu... E posso falar? Está melhor do que nunca, a única diferença daquela época, meados de 1996, é que não se fuma mais dentro do estabelecimento, e isso é ótimo, pois agora a gente ate encherga melhor as pessoas, as bandas, o ambiente e consegue respirar tranquilo. Ainda tem o Rockcover, que na minha opinião é a melhor banda, só mudou o vocalista e por conta disso agora tem o Rock Stock, que também é muito boa pois o vocalista do Rockcover agora é do Rock Stock. O atendimento é excelente, os garçons e garçonetes são muito simpáticos e curtem com a gente as bandas, batem papo. A casa continua lotada, muito bem frequentada, tem uma boa variedade de bebidas e a comida também é ótima, e o mehor, o preço também é muito bom, é justo. Enfim, vale a pena conhecer, quem vai uma vez, sempre volta. Eu recomendo!!!
Dica: Chegar cedo pra pegar lugar pra sentar, dica de comida: uma tábua de filet mignon acebolado. Delicioso!
Bom para: Ir com amigos, Dançar, Paquerar, Gastar pouco
 
O bar é bem antigo, eu já frequentava lá desde o começo dos anos 90 e sempre imperou o bom rock de fm, com as músicas que todos gostam, com bons músicos e boa cerveja.
 
Excelente bar de rock tradicional da cena paulistana.
 
Bar clássico da noite paulistana! Bandas cover de primeira e outras que tocam os hits do bom rock n roll! Ambiente bacana com um bar central onde nos intervalos rolam no telão os clipes anos 80-90 com legendas!
Dica: Chegue cedo para pegar uma mesa!
 
Bom lugar para curtir um bom Rock. O problema é ter que pagar o couvert artístico em dinheiro na entrada.Muitas pessoas acabam indo para outro bar. Pois, pagamento em cartão, só na consumação. Acho muita burocracia e caro um couvert de R$ 25,00.
 
Voltei lá após muitos anos para ver uma Jam Session de um amigo, Melo Jr. dono do site orangorock.com!
Não há como explicar em palavras a nostalgia de retornar ao Café Piu-Piu, um lugar clássico e um marco em bares de Rock!!! Um lugar simples, pequeno, com layout bem tradicional, palco ao centro, mesas e cadeiras ao redor, mezanino, dois bares e aos finais de semana, lotado!
Tudo o que é preciso em um bar. Já fui lá em dias normais, em tributos, em Jam's agora e o sentimento é sempre o mesmo. Me sinto bem, me sinto em casa mesmo....olha, confesso que não saio muito para bares assim e baladas mais, mas lá é um lugar que realmente me deixa feliz, por que não tem aquela frescura dessas baladas de hoje, as pessoas não fazem do lugar um desfile de moda, as bebidas não ficam acessas na luz negra ou tem nomes estranhos.
Você vai lá tomar cerveja ou whisky, come batata frita mesmo e ouve um rock de qualidade, sem estresse e sem frescura!!!

 
Vou no Café Piu Piu desde adolescente (e já faz alguns anos..rs) e após reencontrar meus amigos voltamos a frequentar este lugar.

Para entrar você tem que pagar em dinheiro ou cheque (isso é um pouco ruim), e é na faixa dos R$25,00.

As bandas continuam ótimas, de sexta e sábado é sempre Classic Rock. Outros dias da semana varia muito o estilo, tem dias que é tributo à alguma banda ou as vezes outros estilos musicais.

Os atendentes sempre foram bem atenciosos, só no bar que tem que esperar um pouco porque as vezes é bem cheio.

Para consumir alguma coisa lá você compra antes nos caixas oque deseja, e retira umas fichas para usar direto no bar. Tem uma boa vantagem nesse sistema, na hora de ir embora é só realmente ir embora, nada de filas nos caixas ou ter que esperar fechar a comanda.

A menos que você pegue uma mesa (isso tem que ser cedo, por volta das 22:00 ainda dá). Nesse caso você vai ter uma comanda da mesa, e faz os pedidos para os garçons e depois tem que pagar no caixa na hora de ir embora.

De sábado a casa lota, e para quem não gosta de ficar apertado a dica é chegar cedo e pegar uma mesa.

Estou sempre por lá, recomendo!
Dica: Leve dinheiro ou cheque para pagar a entrada.
 
Olha a casa é boa, o lugar tb. existem bandas e bandas como mencionados....já vi bandas melhores em outros rock bares...mas é bom para descontrair...a reclamação que eu tenho inclusive coloquei no site deles mas pelo visto não surtiu nenhum efeito....é da entrada paga em dinheiro...o sistema precário de comprar fichinhas para consumo de algo...e de uma funcionária que atendeu a mim e meus amigos muito mal...não sei se ela estava mal humorada naquele dia mas meus amigos que frequentam lá por um bom tempo já me disseram que ela atendeu super mal tanto eles como algumas pessoas....creio que a o lugar por ser bom apesar de alguns detalhes a melhorar, não deveria ter este tipo de pessoa para fazer atendimento ao público...isso degrine a imagem da casa....mas pelo visto não se importaram....o nome da funcionária que consegui descobrir por uma outra funcionária muito simpática e educadíssima por sinal e ótima atendente Flávia...o nome da funcionária que atendeu mal e sem educação nenhuma é Ana.....fora isso o resto é bom com pontos a melhorar....
Dica: Não procurem por essa funcionária Ana....o bar e música são bons
Exibindo de 1 a 14
Total de opiniões: 52

Escrever opinião


Passe o mouse pelas estrelas clique para dar nota
Para enviar fotos ou preencher os campos adicionais, faça seu login (Você não perderá a opinião escrita)
O Kekanto não é autor e não endossa nenhuma das opiniões e/ou comentários. Eles são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. Para mais informações acesse nossos termos de uso.

Check-ins

Total de check-ins
22
Seus check-ins aqui
0