Anuncie no Kekanto

Quer receber ofertas do Café Palhares?

No Kekanto os donos de estabelecimentos podem publicar cupons de descontos. Cadastre-se e receba os descontos
f
Café Palhares

Café Palhares

Rua dos Tupinambás, 638
Centro - Belo Horizonte , MG - 30120-070

Telefone: 31 3201-1841

Preço por pessoa:

$ (Até R$25)

Categoria:
Bares e Botecos
Ranking: #40 de 819
Site oficial:
cafepalhares.com.br
Horário de funcionamento:
Seg. a Sex.: 7h às 23h
Sab.: 7h às 21h
Dom.: Fechado
Primeira opinião por:
Daniel Carlos Gom...
Detalhes:
Inaugurado em 1938
18 lugares
Metrô/trem próximo: Lagoinha (571 m)

Quer receber ofertas do Café Palhares?

No Kekanto os donos de estabelecimentos podem publicar cupons de descontos para todos os seus consumidores. Registre-se e receba gratuitamente todos os descontos

Publicidade
Notas:
2 estrelas
0
1 estrela
0
Notas específicas:
Ambiente
(19)
Comida
(19)
Público
(18)
Atendimento
(18)
Bebida
(18)
Custo-benefício
(21)
Mostrar:
Dicas  (13)
Buga Senra
Tem porções campeãs do Comida di Buteco!
Buga S.
Clau VB
O CEQCE será servido apenas durante o festival Comida di Buteco
Clau V.
Classificar por:
Opiniões   (39)
 
O tradicionalíssimo Café Palhares, que já beira os oitenta anos em atividade, dispensa apresentações para o público belo-horizontino. Pioneiro também no Comida di Buteco, já se sagrou campeão em 2009, e costuma brindar a clientela com pratos interessantes. Na edição de 2013, quando ofereceu o “Prata da casa” (Linguiça artesanal do Palhares, servida com chucrute brasileiro e batatas cozidas. Acompanha mostarda clara e escura) não foi diferente. A boa linguiça que vai no Kaol serve também como um bom petisco, sobretudo se acompanhada pelo chucrute brasileiro, conserva essa que recebe o acréscimo de bacon, e também das duas boas mostardas. Os pães de queijo, ausentes na descrição, permitem ao frequentador montar sanduichinhos, que pela inspiração alemã do “recheio”, caem muito bem com a cerveja em lata (R$ 4,00 a Skol) ou com o chopp Nova Schin (R$ 4,50).

Falando dos demais itens, o ambiente é o mesmo há décadas, com vinte e poucas banquetas muito juntas da bancada. O atendimento no balcão em U, por outro lado, é quase personalizado, e os diminutos banheiros se situam no segundo pavimento.
 
Assim como o Café Nice, o Café Palhares também faz parte da história de BH, è muito bom para quem esta pelo centro de BH e quer um almoço rápido com qualidade e quer gastar pouco.
O famoso Kaol é o prato mais pedido na casa (arroz,ovo,couve,torresmo e linguiça - mas prefiro sem o ovo), e também tem a opção de dobradinha ou pernil. Caso não queira almoçar mas apenas um lanche você tem a opção do pão de queijo com linguiça.
Ao entrar no Café Palhares é como se fosse possível voltar alguns anos, uma vez que foi fundado em 1.938.
Bom para: Ir com amigos, Ir sozinho, Almoçar, Happy hour, Cerveja, Ponto turístico
 
Fui hoje experimentar o prato do Comida di Buteco, o CEQCE, carne desfiada, molho de queijo Minas, cebolas crocantes. Que delícia!!! Para nossa surpresa o prato estava ainda mais bonito do que na foto. Bem farto e perfeito para acompanhar uma cerveja gelada. Pena que todo mundo tinha que trabalhar depois então pedimos só um chopp.

As cebolas estavam divinas, a carne muito bem temperada e o molho bem suave arrasou completando o sabor. O melhor que experimentei até agora!

Como sempre fomos muito bem atendidos e o lugar estava super limpo. Tivemos a oportunidade de bater um bom papo com o dono que é muito simpático e está de parabéns pela criatividade na escolha do Prato do Comida di Buteco e pela competência em manter tão organizado um estabelecimento pequeno num lugar super movimentado.
Dica: O CEQCE será servido apenas durante o festival Comida di Buteco
Bom para: Ir com amigos, Almoçar, Comer muito, Happy hour, Cerveja, Almoço rápido, Gastar pouco
 
O tradicionalíssimo Café Palhares, que já beira os oitenta anos em atividade, dispensa apresentações para o público belo-horizontino. Pioneiro também no Comida di Buteco, já se sagrou campeão em 2009, e costuma brindar a clientela com pratos interessantes. Na edição de 2013, quando ofereceu o “Prata da casa” (Linguiça artesanal do Palhares, servida com chucrute brasileiro e batatas cozidas. Acompanha mostarda clara e escura) não foi diferente. A boa linguiça que vai no Kaol serve também como um bom petisco, sobretudo se acompanhada pelo chucrute brasileiro, conserva essa que recebe o acréscimo de bacon, e também das duas boas mostardas. Os pães de queijo, ausentes na descrição, permitem ao frequentador montar sanduichinhos, que pela inspiração alemã do “recheio”, caem muito bem com a cerveja em lata (R$ 4,00 a Skol) ou com o chopp Nova Schin (R$ 4,50).

Falando dos demais itens, o ambiente é o mesmo há décadas, com vinte e poucas banquetas muito juntas da bancada. O atendimento no balcão em U, por outro lado, é quase personalizado, e os diminutos banheiros se situam no segundo pavimento.
 
Falar o que se o Caol (C-ouve, A-rroz, O-vo, L-inguiça) foi inventado aqui?

Tradicionalíssimo no Centro de BH o restaurante de balcão serve salgados de lanchonete (pastel, coxinha) e suas versões de KAOL (também se escreve com "K" e uns dizem que é K de cachaça...) onde se muda a opção de carne (linguiça, pernil, etc.)

Geralmente, tem fila na porta que dura pouco tempo. O difícil é ir acompanhado e achar dois ou mais lugares para sentarem juntos.

Não, não tem mesa. Mas, a comida é sempre fresquinha, o arroz quentinho, o ovo frito na hora, a couve refogada ali mesmo na sua frente e o prato satisfaz.

Em torno de quinze reais o PF. Pode ir conhecer.
Dica: Tem porções campeãs do Comida di Buteco!
Bom para: Ir sozinho, Jantar, Almoçar, Ponto turístico
 
Esse bar já é patrimônio de BH.
Localizado bem no centrão de BH, é ponto constante de pessoas desde 7 hs da manhã para comer seu prato principal, o cargo chefe da casa. (Esqueci o nome do prato....kkk)
O Local é apertadinho, então é ponto de parada rápida.
Se vir a BH, tem que dar uma passada nesse local.
Bom para: Ir com amigos, Ir sozinho, Jantar, Almoçar, Cerveja, Ponto turístico
 
Se você é de Belo Horizonte e nunca ouviu falar em kaol ou Café Palhares, pergunte a seu pai, a algum tio ou amigo. Vai ser difícil alguém não conhecer.

Aberto em 1938, o Café Palhares foi reduto de boêmios nos anos 40, 50 e 60, quando funcionava 24 horas por dia, sendo freqüentado por vários tipos de pessoas, entre elas importantes figuras, como o ex-presidente Juscelino Kubitschek.

Mas o que fez o local se tornar famoso foi o kaol, assim batizado com as iniciais de cachaça (com K mesmo, pra dar mais pompa ao prato), arroz, ovo e lingüiça.

O kaol de nosso tempo é mais incrementado, pois recebeu o acompanhamento de couve, torresmo e farofa de feijão. Isso mesmo, não é tropeiro, pois não há bacon, ovos ou lingüiça calabresa misturados ao feijão. Além disso, a farinha é mais fina. Para completar o prato, vem o suculento molho de tomates.

São cinco opções de carne. Além da clássica lingüiça de porco, há os pratos com carne cozida, língua e dobradinha, a R$9,40 cada. O de pernil sai a R$10,90. Quem quiser experimentar duas opções de carne vai pagar R$16.

Os destaques ficam para o prato com lingüiça fresca, o de maior saída, e para o de pernil, sempre bem temperado e fatiado finamente naquelas máquinas de frios muito usadas em padarias.

Vale destacar também o chope pilsen da Nova Schin (R$3,20), que, para minha surpresa, é leve, cremoso, gelado na temperatura ideal e muito bem tirado pelos garçons da casa, que não conta com mesas, apenas com bancos altos em frente a um balcão em formato de letra U. Dali, é possível assistir à preparação dos pratos, que se tornaram uma entidade gastronômica da capital mineira.

Todo belo-horizontino que se preze deveria ir ao Café Palhares para comer um kaol ao menos uma vez na vida. É quase um dever cívico para os que amam esta ainda jovem metrópole.


CAFÉ PALHARES
Rua Tupinambás, 639 - Centro
Belo Horizonte, MG
Tel.: (31) 3201-1841
http://www.cafepalhares.com.br/
Bom para: Gastar pouco
 
O Café Palhares é tradicional em Belo Horizonte, e já participou de várias edições do Comida de Buteco, e acho até que já foi vencedor pelo menos uma vez. Não é pra menos, embora simples, o lugar é aconchegante - para um boteco no centro da cidade....
É o típico boteco do centro, sem muito conforto e luxo zero, paredes de ladrilhos e banquinhos em torno de um balcão em "U" com os atendentes lá dentro.
Só que a comida e o atendimento fazem a diferença!
O cardápio é composto basicamente de salgados comuns, tipo pão de queijo, empada e coxinha, e conta com porções de tiragosto também, como torresmo e linguiça. Mas o carro chefe é o famoso CAOL, prato que tem por base Couve, Arroz, Ovo e Linguiça - mas também leva uma farofinha e um molho da casa.
O CAOL é delicioso, e muita vez vou ao centro só pra almoçar no Palhares, e também almoço lá quando preciso fazer alguma coisa por perto.
O prato pode variar segundo a preferência do cliente, pois a linguiça pode ser trocada por língua, carne de panela ou pernil. A última vez que fui experimentei a língua, e estava bem macia e suculenta. A carne de panela não me agrada muio por ser mais gordurosa, servida junto com seu próprio caldo que é um pouco oleoso. A linguiça costuma ser temperada, e nunca está esturricada. O pernil, na minha opinião, é a opção mais saborosa, mas encarece em R$2,00 o prato, passando de R$10,50 para R$12,50.
Para bebidas tem o refresco, chope Devassa e refrigerantes em geral, além de água. Nunca tomei o café de lá, mas sempre vejo que sai bastante. Fora isso, sei que tem uma pinguinha também...
E o atendimento é sempre bem humorado, com um sorriso no rosto, e de vez em quando entre um grito e outro de "sai um caol!" rola aquela conversa agradável de boteco.
Bom para: Almoçar, Comer muito, Almoço rápido, Gastar pouco
 
Fui conhecer o famoso e tradicional Café Palhares na hora do almoço. Localizado na Rua Tupinambás esquina com Av Afonso Pena. Chegando lá tivemos que esperar na calçada alguém terminar de comer, mas como é horário de almoço as pessoas pegam os pratos, comem, pagam a conta e saem, sem ficar de prosa. Enquanto esperava alguém levantar fui pedir um refrigerante e o dono do estabelecimento já me perguntou se era de BH, pois tinha reparado que estava tirando fotos. Ele foi bem simpático e se tivesse tempo daria para ficar conversando bastante tempo com ele. Não esperamos muito tempo por um espaço no balcão em U. Fomos em um grupo de 5 Kekanteiros e conseguimos sentar um do lado do outro. Pegamos os bancos dos fundos. E para chegar até lá é bem apertadinho tendo que pedir desculpas e licença para passar por trás dos clientes.
Enquanto os 5 não sentavam a moça que nos atendeu esperava para fazer os pedidos que eram de 2 em 2. As Damas primeiro.
O ritual para quem pedia o famoso KAOL (Não pedimos a cachaça) era como gostava do ovo (Mal Passado ou bem Passado) aí depois era o tipo de carne. Pedi a linguiça é claro. Os pratos saiam rapidamente e reparei que ao fazer o pedido podia pedir mais arroz, mais molho, ovo extra e por ai vai. Em menos de 5 minutos nós todos já estavamos saboreando o nosso almoço. Pedi o KAOL Completo: Arroz, Ovo, Linguiça (que é bem magra quase sem gordura nenhuma e bem gostosa mesmo), Couve frita, Farofa com feijão (Gostei por substituir o tradicional feijão), e torresmos (Bem Fritinhos e não quebram o dente, crocantes) e o molho de tomate por cima de tudo (Eu particulamente gostei para molhar o arroz e servir de molho para a Linguiça) . E a pimenta da casa não estava muito forte então devo ter derramado umas 10 colheres de pimenta para sentir um pouquinho... Rs. O forte da casa é o KAOL mas durante o evento Comida Di Buteco (Somente durante o Comida Di Buteco) eles participam sempre e o dono até me explicou que para eles é melhor fazer o KAOL sempre bom do que vários outros pratos mais ou menos. Por isso eles não fazem fora do evento além é claro do espaço fisico deles não suportarem a quantidade de clientes a mais. Os funcionários que estavam no nosso lado do balcão estavam constantemente prestando atenção em todos daquele lado e quando derramei comida no balcão imediatamente limparam o balcão. A moça que nos atendeu trocou um Ovo que veio muito bem passado quando pedimos mal passado na mesma hora. Gostei da velocidade e praticidade do atendimento.
Vamos aos preços: KAOL com Linguiça ou Carne Cozida (R$9,90),KAOL com Lingua ou Dobradinha (R$9,90), KAOL com pernil (R$11,30), KAOL com 2 Carnes (R$17). Chopp 300 ml R$3,50, Refrigerante Lata R$3. Porção de Linguiça ou Carne Cozida (R$14), Porção de Lingua ou Dobradinha (R$14), Porção de pernil (R$17), Porção de Torresmo R$7, Meia Porção de Torresmo R$4, Meia Porção de Pernil R$9, Meia Porção de Linguiça ou Carne ou lingua ou dobradinha R$8.
Pela quantidade que vem no KAOL vale a pena pagar o preço que eles cobram pois satisfaz um adulto faminto facilmente e claro dependendo pode ate pedir mais arroz.
Se nunca foi até o Café Palhares não deixe de ir conhecer este estabelecimento que desde 1938 está servindo o KAOL. E claro me chama para ir junto!!
Dica: Experimente o tradicional KAOL com a Linguiça
Bom para: Gastar pouco
 
Fui ao centro fazer um filme com o Dani e aproveitamos parta tomar um café com pão-de-queijo, no meio da manhã, no Café Nice, que é só um Café mesmo, bem tradicional e tem mais velhos por metro quadrado que qualquer asilo.
Por volta do meio-dia fomos butecar no Café Palhares, fundado em 1938 e que funciona há mais de 60 anos no mesmo endereço, ou seja, Rua Tupinambás, 638, Centro, 3201-1841.
O prato mais famoso do Palhares é o Kaol, que foi assim batizado pela radialista e boêmio Rômulo Paes, e nada mais é que as iniciais de cachaça (cujo “c” foi trocado pelo “k” para dar mais pompa ao prato), – que costumava proceder às refeições, arroz, ovo e lingüiça. A partir da década de 70, a receita foi sendo incrementada e ganhou farofa e couve e, nos anos 80, um pouquinho de torresmo. Atualmente, a lingüiça pode ser trocada por pernil, carne cozida, dobradinha, língua ou peixe. Antes de ser servido, cobre-se o prato com molho de tomate para deixá-lo mais saboroso e molhadinho. E vale o choro: – Capricha no molho! – pedem os fregueses. Os preços variam de R$7,40 a R$8,20 e o com duas carnes custa R$12,00. O balcão do Palhares serve Kaol, neste horário, para a grande maioria dos fregueses.
Como pretendíamos almoçar em casa, apenas petiscamos o prato da Comida di Buteco: Karacol de de Pernil (tradicional pernil do local servido em forma de caracol, regado com molho picante de abacaxi, acompanhado de hortaliças, fios de couve, pão árabe e uma pimenta dedo de moça) com dois chopps. É a sexta participação do Café Palhares neste evento. Este prato custa R$17,00 e a diferença de preço é pela sofisticação.
Sofisticação e qualidade no atendimento, pois o garçom até pediu para uma senhora, que estava comendo um Kaol ao nosso lado, se mudar de lugar, para vagar um lugar ao meu lado para o Daniel.
Dica: Café com História e Política
 
Está passando pelo centro e deu vontade tomar aquela cerveja gelada com um bom petisco, mas está com pouca grana?! Você não pode deixar de ir no Café Palhares porque além de sempre ter a cerveja gelada, é um dos participantes da Comida de Buteco e arrasa nas porções! Ah, também tem os pratos feitos muito bem servidos, gostosos e a preços ótimos!!!!
 
Finalmente conheci o famoso Café Palhares! Não era de hoje que estava louca para provar o KAOL de lá!

O Lugar é pequeno e come-se em banquinhos altos no balcão que circula o bar. Parece o Estadão de São Paulo porém bem menor. Não sei se tem ar condicionado mas não senti nem um pouco de calor lá dentro. Ficamos bem confortáveis! Tudo muito limpinho também. Bastava cair um grão de arroz no balcão que alguém limpava imediatamente.

Fiquei impressionada com a agilidade do atendimento. Rapidinho nossos pratos estavam prontos. O KAOL do Palhares vem com arroz, farofa de feijão, couve, torresmo, linguiça, ovo frito e um molho da casa. Estava simplesmente delicioso! Muito farto também, nem dei conta de terminar meu prato.

Existem variações do prato, você pode escolher a carne ou até optar por duas, o preço aumenta, claro.
Você pode também pedir porções ou salgadinhos que por sinal estavam muito bonitos. Se não fosse tão fora de mão voltaria com frequencia para experimentar de tudo.

Como fica bem no centrão estacionar é um problema sério! Preferi ir a pé mesmo, mesmo tendo que andar um bocado.
Dica: Não vá de carro!
Bom para: Gastar pouco
 
Opinião sobre o prato CEQCE, que concorreu no Comida di Buteco 2012:

A nossa segunda parada do dia em que rodamos os bares do Centrão foi o Café Palhares, onde a criação de bons quitutes para o evento já virou tradição, apesar de sairem do cardápio no término de cada edição. Seja como for, em 2012 não foi diferente, e o tradicional botequim participou com o CEQCE, que é uma carne desfiada sobre molho de queijo acompanhado de cebolas crocantes. Pela composição dos ingredientes e diminuto tamanho, considero que não seja a melhor dos últimos petiscos, porém não deixa de ser saboroso, muito pelo contrário, já que as deliciosas cebolas crocantes conferem sabor e criatividade à receita.

Dentre as cervejas disponíveis apenas a Bohemia long neck, restrição essa que nos forçou a optar pelo bom chopp da Nova Schin (R$ 3,50), o qual é bem saboroso, mas acabou tornando a conta mais onerosa do que o normal. Naturalmente não foi o único culpado, pois apesar de termos permanecido de pé durante duas horas, tivemos de pagar os 10% a título de gorjeta. E olha que não foi por falta de banquetas, mas sim por estas serem incompatíveis aos clientes que ultrapassam 1,80 metro de altura. Reflexo da idade do bar, concebido numa época em que o comprimento médio da clientela era bem inferior a isso.
Bom para: Comer muito, Almoço rápido, Janta rápida
 
Café Palhares
O pequeno restaurante esta localizado no miolo do Centro de BH , inaugurado em 1938 eh um marco da Boemia e tradicao de BH. Nao ha mesas no restaurante , um grande balcao com cadeiras altas circula o pequeno espaco que enche na hora do almoco , servindo o conhecido kaol , e suas variedades de PF.
Estive la para experimentar o prato concorrente ao Comida de Boteco 2012 e alem de um atendimento muito amigavel e eficiente o prato estava maravilhoso. Com carne bem temperada desfiada , molho de queijo e cebolas bem fininhas e crocantes , com um misto muito bom de sabores . A comida sai rapidinho e nao desanime com a fila pra sentar , os clientes comem , pagam e saem , tudo acontece em um ritmo rapido e certeiro. O lugar eh realmente um buteco , mas achei limpo e organizado.
Para beber o chopp Schin (R$ 3,50) eh uma opcao , nao ha garrafas de 600ml .
Da proxima vez que eu estiver no Centro irei pra provar o Kaol que tem fama de ser delicioso !
Dica: Kaol e CEQCE comida de boteco 2012!
Bom para: Almoçar, Almoço rápido, Gastar pouco
Exibindo de 1 a 14
Total de opiniões: 39

Escrever opinião


Passe o mouse pelas estrelas clique para dar nota
Para enviar fotos ou preencher os campos adicionais, faça seu login (Você não perderá a opinião escrita)
O Kekanto não é autor e não endossa nenhuma das opiniões e/ou comentários. Eles são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. Para mais informações acesse nossos termos de uso.

Check-ins

Total de check-ins
21
Seus check-ins aqui
0