Café Nice

Endereço: Av Afonso Pena, 727 , Centro - Belo Horizonte , MG - Brasil - 30130-002

Telefone:

031 3222-6...

Clique para ver
Categoria:

Cafés e Comidinhas

  | Rank: 11º de 736
Preço por pessoa

Primeira opinião
Fred Coelho Coelho
Formas de pagamento
Crédito:
Débito:

cash, credit card, debit card
Horário de funcionamento
Seg.
7h - 21h
Ter.
7h - 21h
Qua.
7h - 21h
Qui.
7h - 21h
Sex.
7h - 21h
Sáb.
8h - 20h
Dom.
9h - 14h



Salvar lugar
Como chegar
Reportar problema
Sou dono
Escrever opinião
Como chegar - Traçar rota

  • Baixe o app
  • Cadastro

http://br.kekanto.com/como-chegar/cafe-nice-5
Notas específicas:
Ambiente
(28)
Comida
(27)
Atendimento
(28)
Bebida
(27)
Custo-benefício
(30)
Dicas
Observe as fotos e reportagens emolduradas, e faça uma viagem pela BH de outrora.
Pedrão C.
O cafezinho, é claro!
Paulo F.
Peça o pão de queijo com café!
Etiene P.
Pão de queijo com sabor de história
Junior G.
Chá mate gelado
Fred C.
Ver mais
Opiniões
Chegando quase na reta final de nosso Tour,da nossa difícil escolha:o melhor pão de queijo de BH.À poucos passos de nosso marco zero do hiper centro,nossa Praça Sete,ponto principal para início de manifestações,encontros,reivindicações ,o Obelisco, este reverencia e é reverenciado pelo aroma tão característico,embriagante,peculiar,pairando o tempo todo no ar,exalado pela antiga máquina em inox brilhante,brilhando de doer, de tão limpa e bem cuidada, fabricando incessantemente aquele café, no modo de nossos avós, com coador de pano,tomado com ou sem açúcar ou adoçante ou ainda não menos tradicional ,o café com leite.3º local escolhido,não mais que o badalado Café nice, de reunião o dia inteiro,na calçada mesmo ou se apertando lá dentro,fervilhando de senhores ,em grande maioria , jovens,políticos,personalidades,aposentados,anônimos, sexo masculino quase na totalidade, mas não fechado à presença do sexo "frágil",sempre bem vindo,bate papo de assuntos sérios,banalidades também,ferrenha e sadias discussões de preferências políticas,conversa jogada fora.Tudo isso acompanhado daquela xícara branca de louça,aguardando na água quente,para higienização máxima,o pedido de um cafezinho e quase sempre acompanhado do delicioso,quente,feito várias vezes ao dia,pelando,queimando a língua,sabor incrível,o nosso pão de queijo verdadeiramente mineiro,à unidade, de bom tamanho e por 1,90.Sente-se realmente na massa o queijo, meia cura ,vindo direto de um fornecedor do Serro.Fabricado em loco,nos fundos do estabelecimento ,na cozinha ,impecável de limpa.Vendido ainda congelado à quilo por apenas 18 reais.Sr Renato,o proprietário, gentilmente nos recebeu e nos contou a história do estabelecimento e tudo também a respeito de nossa guloseima,em uma prosa muito gostosa e esclarecedora.Não menos atenciosos, educados e profissionais os atendentes,caixa e demais.Tabacaria integrada bem na entrada.Outros salgados e refeições rápidas também fazem parte do cardápio.Preços praticados tudo dentro da normalidade.Sanitário não oferecido à clientes.Muito fácil de chegar tanto de táxi,coletivo e complicado veículo próprio por tanta falta de vagas no centro mesmo em estacionamentos pagos.Ainda com muita dúvida em escolher o meu local e pão de queijo preferidos.
Estamos na avenida mais famosa de cidade,onde bem no seu miolo está a Praça Sete,que é o principal ponto de referencia de BH e somos informados que o 3º estabelecimento do nosso tour seria o Café Nice. Tradicional cafeteria da cidade,foi fundada em 1939,o local conta a historia de Belo Horizonte através das pessoas que por la passaram em seus 75 anos de vida. Ponto de encontro de várias personalidades mineiras, entre políticos e artistas,o Café Nice não possui bancos nem mesas, sendo freqüentado diariamente por todo tipo de gente, desde clientes assíduos à pessoas que param para um lanche rápido,muitas sem mesmo saber a importância do local para cidade, eu por exemplo já fui uma delas. Mas ao entrar no pequeno corredor do café, vemos através dos quadros que compõe sua decoração que não se trata de apenas mais um estabelecimento. As paredes são recheadas de quadros, reportagens, fotos e fatos para relembrar seu passado glorioso. Fomos recebidos pelo Renato que é filho do fundador e hoje toca o café. Bacana de ver os olhos dele brilhando e contando com orgulho as historias do passado. O local é bem simples como deve ser. A casa serve diversos salgados e o tradicional cafezinho é coado em coador de pano,o que combina com a essência do lugar. O pão de queijo servido havia literalmente acabado de sair do forno. Massa leve, crocante e com bastante sabor de queijo,queijo esse que é entregue pelo mesmo fornecedor do Serro desde 1980. A unidade sai em torno de R$ 1,90 e ainda vendem por R$ 18,00 o kg da massa .Estava em frente a cozinha degustando o meu pão de queijo e perguntei para a atendente quem fazia o quitute. Ela apontou para a moça que estava lavando as vasilhas. Perguntei se poderia ir até lá bater um papo. As mãos que fabricam o melhor pão de queijo do centro da BH pertencem a uma senhora simples chamada Rozenda. Quis saber o que ela utilizava na massa, e a mesma me disse: ” Tem segredo não,só polvilho e queijo minas, uai!!!!” . Precisa dizer mais nada né. Como boa mineira,acredito que tradição e originalidade é tudo!!!
O Café Nive parece ficar em um universo meio paralelo, em meio a tantas lojas e lanchonetes no centro da cidade.

Localizado bem próximo à Praça Sete, o Café Nive é um corredorzinho de uma só porta, com uma tabacaria junto ao caixa.

O que é interessante é que o público, apesar de ser um comércio bem no coração do centro, em nada se assemelha ao encontrado nas outras lanchonetes.

Quando fui, alguns velhinhos puxavam fumo e conversavam na porta, como quem está ali apenas para passar o tempo mesmo.

E lá realmente tem um ar, no mínimo, nostálgico.

O pão de queijo, a R$1,90, é um dos mais gostosos que já comi. Sem contar que é bem grande e recheado, o que agrega ainda mais valor ao camarote.

Sempre recomendado pela Veja BH, é um lugarzinho que vale a passada, se a fome apertar por ali.
Quando chegamos a Praça Sete, que é considerada o Coração de Belo Horizonte, a expectativa era grande, qual seria o terceiro estabelecimento proposto pelo Kekanto a ser visitado.
Para muitos não foi surpresa, foi o Café Nice.
Um dos tradicionais Café de Belo Horizonte, fundado em 1939.
Frequentado pela maioria de homens, além de políticos, pessoas públicas, refúgio de muitos aposentados.
Está bem localizado, de fácil acesso, o espaço é pequeno, mas com boa ventilação.
Fomos muito bem recebidos pelo Sr. Renato, que é proprietário do local, além do bom atendimento dos funcionários.
Conhecido pelo café de excelente sabor, o qual é coado num Coador de pano, o que caracteriza mais o seu sabor. A média custa R$ 1,30.
O pão de queijo é produzido com o Queijo Meia Cura do Serro, o qual é fornecido desde a inauguração do estabelecimento.
O Pão de queijo servido para degustarmos, estava quentinho, o tamanho era grande em relação a muitos da região, com muita massa, que estava macia, leve, a casca crocante, sem ser dura, fácil de comer. Estava muito gostoso.
O valor unitário custa R$1,90.
Para quem quer levar a massa para fazer em casa, ela custa R$18,00 Kg, e o peso mínimo vendido é de 250 gramas.
Gostei muito do lugar e do atendimento.
Café Nice, desde 1939. Parte da história de BH. Terceiro local do roteiro 1º PÃO DE QUEIJO TOUR - em busca do PÃO DE QUEIJO PERFEITO. E põe perfeito nisso. A tarefa não foi nada fácil, rsrsrs. Segundo o Sr. Renato, que gentilmente nos recebeu e nos contou um pouco da história do Café Nice, aqui o pão de queijo é feito com queijo meia cura do Serro, a mesma receita desde a inauguração da casa. Sai a 1,90 a unidade. Preço muito bom, aliado ao sabor e textura sensacionais. Com localização privilegiada, não há quem não tenha passado em frente ao Café Nice. Se você nunca experimentou esse pão de queijo, não perca tempo. É um manjar dos deuses, bem aqui ao seu alcance.
Sempre passei na frente desse café, e apesar de ser tradicional na cidade, nunca parei para conhecer ou provar algo, mas depois de ter visto alguns bons comentários do lugar, resolvi conhecer.

O lugar não é grande, mas é bem maior do que aparenta quando se olha por fora.  E mesmo não sendo grande, possui uma boa ventilação o que deixa o lugar bem agradável.

Experimentei o pão de queijo, e ele é MUITO bom, tem realmente gostinho de queijo. Ele além de grande, não é daqueles pães de queijo ocos quando se morte, ele tem consistência.  Vale a pena cada mordida. O atendimento é educado e eficaz. E os preços são bons, paguei R$ 1,90 pelo pão de queijo. 
O Café Nice é um estabelecimento simples que com certeza passa despercebido pelos transeuntes que não conhecem sua história. Mas quando se conhece, passa-se a amá-lo e a olhá-lo com outros olhos.

Localização: localizado na região da Praça 7, bem no coração do Centro de BH. Não recomendo ir de carro, a não ser que não se importe em parar em algum estacionamento pago (geralmente são meio carinhos). Mesmo aos sábados e domingos é difícil estacionar, pois no geral ou é proibido parar e estacionar, ou é carga e descarga, ou é vaga pra taxista ou pra deficiente. Nem rotativos estamos conseguindo encontrar mais. E aos domingos a região também fica sem vagas devido à suas ocupações por frequentadores da Feira de Artesanato.

Ambiente: o ambiente é pequeno e simples, mas pode-se notar o carinho com que é tratado. Do lado direito de quem entra, encontram-se produtos de tabacaria dos mais variados. Um bom lugar de compras para quem consome este tipo de produto. E também o caixa. Do lado esquerdo podem-se ver os salgados. Não há banheiro liberado para clientes. Nas paredes, fotos que remetem a períodos históricos do estabelecimento e, juntamente, da história de Belo Horizonte.

Atendimento: o atendimento é bem rápido e fomos tratados com gentileza.

Sabor e Custo-benefício: maravilhosos. Há tempos não experimentava salgados tão gostosos. Para mim, foi o melhor pão-de-queijo dentre os quatro concorrentes do Tour do Pão-de-Queijo promovido pelo Kekanto. Só de pensar estou com saudades. O café moído na hora. Os outros salgados também deliciosos, como o casulo de queijo. E os preços são bem mais em conta que qualquer outro estabelecimento eu que tenha já frequentado nas redondezas.

Público: majoritariamente frequentado por idosos ou transeuntes da região.

Funcionamento: encontrei no Guia BH que o funcionamento é de Segunda a Sábado, das 7h às 21h e aos domingo, das 9h às 13h. Mas não é verdade, porque fui lá sábado passado na fissura pelo pão de queijo novamente, estava fechado. Esperei até 8:15 e nada. Acabei desistindo.

História: em nosso Tour do Pão-de-Queijo, um dos donos, Renato, gentilmente nos relatou a história do estabelecimento. Infelizmente, como havia muita gente, não consegui ouvir com clareza todas as informações. Mas achei em um site uma descrição que relata a importância histórica do local, e bate bastante com o que consegui ouvir:

"Renato Moura Caldeira. Morador do bairro Floresta, o homem nasceu e cresceu na capital mineira; e junto com seus nove irmãos, viu a casa cafeeira fazer parte da história da cidade como nenhum outro local. Fundado em 1939, o Café Nice foi palco de discursos políticos e encontros que definiram o destino dos candidatos. Caldeira conta que em 1998 ele ofereceu um cafezinho ao Lula, então candidato à presidência do país. Como costumam fazer os pretendentes ao leito temporário no Palácio da Alvorada, Lula havia acabado de chegar de uma caminhada, a qual partia da Praça da Liberdade e terminava na Praça Sete. Cansado e acalorado, Lula recusou o café e pediu um suco de laranja. E o resultado das eleições naquele ano foi a derrota de Lula para Fernando Henrique Cardoso. Já em 2002 o ex-metalúrgico não exitou em aceitar o cafezinho... e todos já sabemos o resultado. Não deve ser atoa que o nome "Nice" significa "deusa da vitória" em grego. Superstições à parte, a casa continua funcionando em pleno vapor, como convém à uma autêntica cafeteira. Renato trabalha ali há 38 anos; e divide com seu irmão, Tadeu de Moura Caldeira, a administração do local. Ele conta que o lugar não apenas faz parte de sua vida, como é a sua própria vida, já que ele se dedica à loja desde os 17 anos de idade. Hoje, com 55, diz que já viu um pouco de tudo acontecer aos pés da loja; de afamadas campanhas políticas à protestos violentos, como os que ocorreram na época da privatização da Usiminas e a greve de pedreiros; dentre outros fatos. Mas é a fiel clientela que faz a o entusiasmo de Caldeira. São fregueses que frequentam o café diariamente, vindos de diversas regiões da cidade. Ele abre a casa inclusive aos domingos, para não contrariar o ritual tradicional diário dos seus leais clientes. Afinal, quem recusa um bom cafezinho, torrado, moído e coado na hora?" - Fonte: bhumafotopordia
Continuando nossa caçada...

Consultando o nosso mapa, a terceira indicação nos levava ao Café Nice. Uma cafeteria tradicional de Belo Horizonte.
Estabelecimento simples, com a velha tradição do café feito no coador de pano, cheiro embriagante e sabor incomparável. Nas paredes, fotos antigas de frequentadores do local, políticos e outros artistas, dentre as quais se destacam os saudosos Juscelino Kubitschek e Tancredo Neves.
Alguma coisa dentro de mim me dizia que aquele lugar simples, sem mesas e cadeiras para se sentar, sem banheiro para os clientes, sem as estratégias comerciais dos lugares antes visitados, poderia estar escondendo a tão procurada joia preciosa, o melhor pão de queijo de BH. O Café Nice tem esse estilo de estrutura, sem mesas, porque segundo nos foi contado, nos anos 70 os clientes demoravam mais de 1 hora para tomar seus cafés. Sentavam nas mesas com seus jornais e ali ficavam muito tempo bebericando um café, lendo um jornal, esperando o tempo passar. Então os proprietários optaram por tirar as mesas e deixar apenas os balcões, fazem com que a clientela circulasse mais rápido pelo local.

O senhor Renato, atual dono do estabelecimento, veio gentilmente nos contanto sobre essa grande história de sucesso ao longo de mais das 7 décadas do Café Nice, quando de repente aquelas grandes pepitas nos saltaram aos olhos.
Grandes pães de queijo, saindo fumegando do forno, com aquele cheiro inconfundível, que foi confirmado na primeira mordida e carimbado com os vestígios do queijo meia cura da região do Serro, que podiam ser vistos entre aquela massa assadinha e gostosa!
Uma experiência única, servida com simplicidade e originalidade, ali mesmo no balcão da cafeteria, onde mais seria? Sabia que não precisava mais procurar, mais ainda existia um lugar para explorar, não podia me entregar ao encanto daquele momento, tinha que prosseguir, mas eu sabia que ali estava o "X" da questão! Ali estava o melhor pão de queijo da cidade!
O pão de queijo é vendido a R$1,90 cada e você ainda tem a opção de levar a massa para assar em casa. Existem porções da massa de 250g, 500g e 1kg, com valores que saem respectivamente à R$4,50, R$9,00 e R$18,00. O Café Nice oferece também salgados, omeletes e sanduíche de queijo Minas, dentre outras opções.

Sai dali, com a sensação de ter deixado algo para trás, rumo ao ultimo lugar indicado no mapa.

via Android

 E lá vamos nós para conhecer o 3º estabelecimento do nosso tour , o Café Nice. Tradicional cafeteria da cidade, fundada em 1939, localizada no coração de Belo Horizonte, o Café Nice tem clientes assíduos, que não passam um dia sem o cafezinho . 

O espaço é bem pequeno , mais se torna imenso pela grandeza de sua historia , local tranquilo, agradável, com varias fotos da cidade espalhadas pelas paredes, e com lembranças dos ilustres clientes (no início do século XX, políticos famosos que frequentavam a casa Juscelino Kubitscheck é um deles) . O local não tem cadeiras, porém, o carinho e atmosfera que os funcionários , clientes e o dono nos proporciona , torna-se esse detalhe insignificante.
Fundada ainda nos anos trinta , mais precisamente no ano 1939, cultiva toda tradição de uma família. Fomos recebidos pelo Sr. Renato, homem culto, educado e agradável que nos proporcionoumomentos únicos e maravilhosos, nos levando a conhecer toda história desse local e momentos importantes e marcante da história de Belo Horizonte . 

O que mais me encantou, foi o carinho e o cuidado que fomos recebidos. Se preocuparam nos mínimos detalhes em nos agradar e em nos receber. Sinceramente me fez sentir na casa dos meus avos no interior de Minas.
Enquanto o Sr. Renato nos dava uma aula da história de Belo Horizonte e do seu estabelecimento , sentíamos aquele arome maravilhoso do café e do pão de queijo que estava sendo assado na hora . 
O cafezinho é moído na hora e passado em coador de pano, tudo muito limpo e fresquinho. 

 O que dizer desse pão de queijo ?  Perfeito !!!!!

  O pão de queijo é de fabricação própria, confeccionados no próprio estabelecimento e mantiveram a receita original. Podemos contemplar o pão de queijo saindo do forno e logo servido aos kekanteiros que ali estavam . Tem todas característica que estávamos procurando,  crocante por fora , macio por dentro, tem aquela goma gostosa por dentro, feito com o queijo canastra e ao degusta-lo sentimos  o queijo derretendo em nosso lábios ...hummmm, delicioso ! 

Em minha opinião é o Pão de Queijo vencedor!
Além do pão de queijo , a casa fornece outros tipos de salgados, pasteis  de frango empadas, sucos de frutas, mate gelado,misto quente, dentre outras opções. Mas também encontra algum souvenir - como isqueiros maravilhosos, baralhos sofisticados e todas as marcas de cigarros, cigarrilhas, charutos e fumos.. os preços são bem acessíveis , o atendimento é excelente e a Casa é muito organiza .

Toda essa coisa de tradição faz a gente querer voltar outras vezes . Então para quem não conhece, recomendo fazer uma visita que com certeza irá gostar. 

Parabéns para toda Equipe do Café da Nice e obrigado pelo o carinho que fomos recebidos.
Clássico do centro da cidade, o Café Nice é o mesmo desde que eu ia quando criança com o meu pai e continua servindo o café honesto e gostoso, pra tomar em pé mesmo na beira do balcão.
O corredorzinho tem salgados, pão de queijo e muita prosa sendo inevitável encontrar com algum conhecido da turma de mais de 50 anos passando, tomando café ou cumprimentando outros amigos. No Nice você não vai encontrar os produtos das cafeterias atuais e nem o requinte dos tradiconais Tortoni ou Colombo, o que está longe de ser ruim! Aqui a proposta é outra e o sistema é bruto :-)!

Vale pelo café, pelas histórias e pra conhecer um pouco como era BH de outros tempos já que ele mantém a cara e os sabores de antigamente!
Café Nice, tão tradicional em BH... foi o primeiro point mais famoso que conheci, quando comecei a trabalhar no Centro. Me lembro bem que, de tudo o que a gente procurava o Café Nice vinha logo na referência do local...
A capital emoldurada na parede, o famoso balcão, sempre ocupado pela prosa Mineira. É claro que Café é ótimo, e estando no centro, mesmo sem querer a gente se depara defronte ao Nice. Não há como resistir ao cafezinho acompanhado de um delicioso salgado. E o Nice continua sendo o melhor ponto de referência na cidade, ora por sua localização, ora porque a maioria conhece o local.
Quem vive em BH obrigatoriamente tem que tomar um café e comer o melhor pão de queijo da cidade. O Café Nice está bem localizado, na praça sete, com um público assíduo. O ambiente é dos amantes pela prosa, pelo cafezinho e um pão de queijo da melhor qualidade. O fornecedor do queijo está com o Renato a 20 anos, talvez seja este o grande segredo deste pão de queijo delicioso, com uma massa irretocável, o verdadeiro Pão de queijo dos Mineiros. Difícil comer um só, até mesmo pelo custo benefício, somente R$ 1,90 por uma preciosidade desta.
O café Nice está localizado no coração do Centro de BH, e é sem dúvidas um dos mais tradicionais cafés de BH. Fundado desde 1939 tem clientes assíduos, que passam por lá todos os dias para tomar um cafezinho, comer pão de queijo e bater papo na calçada. Com um público variado é possível ver desde o patrão ao empregado.
Na ocasião do I Pão de Queijo Tour-edição Centro experimentamos o ~pão de queijo tradicional, cuja fabricação é própria. Fomos recebidos pelo proprietário do estabelecimento ,que nos contou a história do café ,bem como sobre a produção do pão de queijo . Uma curiosidade é que o queijo vem diretamente do Serro e é comprado com a mesma pessoa há anos.
Em minha opinião o pão de queijo do Café Nice foi o melhor experimentado no Pão de Queijo Tour, saiu do forno bem quentinho, é enorme, massa crocante e com bastante queijo que chega a derreter na boca e ainda por cima é o pão de queijo que tem o menor preço: R$1,90.
Único defeito é não ter banheiro para os clientes, mas mesmo assim vale a pena passar pelo Café ,seja para comer pão de queijo e tomar café, ou para bater um papo e conhecer a história do lugar que com certeza faz parte da história da nossa cidade.
Um dos estabelecimentos mais tradicionais de Belo Horizonte, o Café Nice tem como seu ponto forte o café, sim claro, mas apresenta outras boas opções de suco,chá mate e alguns salgados mais simples para um bom café da manhã, café da tarde ou um lanche simples.
O ponto alto do local na verdade acaba por ser o bate papo com os frequentadores, um giro de notícias incríveis sobre tudo o que acontece na cidade de Belo Horizonte, no Brasil e quiça no mundo.
Tudo isso é feito de pé, assim como nos bares do tradicionalíssimo Mercado Central é raro se encontrar uma vaga na cafeteria e o que poderia ser incomodo acaba por se tornar tradição.
Exibindo de 1 a 14
Total de opiniões: 47

Nota geral Você conhece o Café Nice? Escreva uma opinião! Dê sua nota!
Passe o mouse pelas estrelas clique para dar nota

Opinião
Para enviar fotos ou preencher os campos adicionais, faça seu (Você não perderá a opinião escrita)