Barbirô

Endereço: Rua Vergueiro, 1889 , Liberdade - São Paulo , SP - Brasil - 04101-000

Telefone:

5081-4040

Clique para ver
Categoria:

Bares e Pubs

  | Rank: 18º de 1285

O Barbirô é um bar e restaurante inspirado na cidade de Cristina, em Minas Gerais. 

Preço por pessoa
$$$$ (De R$26 até R$50)
Site oficial
barbiro.com.br
Bom para
Happy hour, Cerveja, Encontros românticos, Drinques
Horário de funcionamento
Seg.
17h - 3h
Ter.
17h - 3h
Qua.
17h - 3h
Qui.
17h - 3h
Sex.
17h - 3h
Sáb.
17h - 3h

Formas de pagamento
Crédito:
Débito:
cash, credit card, debit card
Primeira opinião
Vânia MG
Detalhes
  • Acesso para deficientes
  • Inaugurado em 2003
  • 250 lugares
  • Wi-fi
  • Couvert artístico
  • Música: De terça a sábado, a partir das 20h. R$ 8.
  • Estacionamento: R$ 15, com manobrista.

Enviar foto
Como chegar
Salvar favorito
Reportar problema
Escrever opinião
Como chegar - Traçar rota

  • Lugares parecidos
  • Contato
  • Oferta
  • Cadastro

http://br.kekanto.com/como-chegar/barbiro
Notas específicas:
Ambiente
(38)
Comida
(37)
Público
(36)
Atendimento
(40)
Bebida
(37)
Custo-benefício
(31)
Dicas
Experimente os petiscos que participaram do Concurso Boteco Bohemia.
Natália P.
Pastel de feijoada
Rafael V.
O chopp de vinho, vem numa garrafa long neck: imperdível.
Verônica C.
Música, comida, cerveja geladíssima
Ricardo V.
Carne Seca com Mandioca e Calabresa de queijo.
Maria A.
Ver mais
Opiniões
O Barbirô fica em uma área muito movimentada da cidade, próxima de diversos escritórios comerciais, colégios, igrejas e estações de metrô, principalmente do Vila Mariana.
A casa conta com ambiente acolhedor, tanto pelo público animado que frequenta o local, como pela decoração simpática.
As porções no geral são boas e os preços condizem com a média.
No dia que estive, provei o chopp de menta e o chopp de groselha. O de menta tem sabor, literalmente, Listerine Menta (horrível). O de groselha é mais gostoso, porém enjoativo. Fiquei mesmo é com o chopp Claro, que após os outros dois, também não parecia tão gostoso assim.
Fui instigada a conhecer este bar pelas ótimas referências dele aqui no Kekanto. Fomos em uma segunda-feira rezando para que não estivesse lotado e não estava, havia somente algumas mesas do lado de fora e nenhuma do lado de dentro. Era noite mas o clima estava tão agradável que resolvemos ficar com uma na calçada, mesmo com o barulho dos carros e ônibus na rua.

Logo de cara pedimos uma Original (R$ 8,90/600ml) para abrir o apetite. Para comer, ficamos em dúvida entre escolher uma porção menor, e pedir mais de uma, ou uma maior, com mais variedade. Vimos os pastéis de feijoada e fiquei curiosa, mas a polenta frita arrebatou meu coração. Pedimos uma porção chamada Fazendinha, com linguiça de cristina, torresmo, polenta ou mandioca frita. Meu namorado não é muito fã de torresmo, então perguntamos se havia a possibilidade de tirar o torresmo e manter a polenta com a mandioca; o garçom, super atencioso, disse que não tinha problema e em menos de 10 minutos ela chegou, linda e quentinha.

Há tempos não comia uma polenta tão gostosa; a linguiça foi uma novidade para nós e com limão fica divina; a mandioca estava ótima, mas talvez se estivesse um pouquinho mais dourada seria perfeita. Pedimos mais uma cerveja e como a primeira, estava bem gelada.

O ambiente interno é maior do que eu imaginava, sem contar no espaço superior que não visitei. A decoração do bar é super aconchegante e os banheiros são uma graça (mesmo estando com a descarga quebrada). No feminino há fotografias do Elvis, Beatles, Tom Hanks, etc.; no masculino, segundo meu namorado, há fotografias de várias mulheres famosas, dentre elas a Madonna, é claro.

No cardápio ainda havia chopes, lanches, pratos quentes e uma carta de cachaças, bem completa, com nome, origem e teor alcoólico, achei interessante. Para mim as cervejas são caras, mas considerando os valores e a qualidade dos pratos, até que são justos. Gastamos R$ 60,00 (porção + 2 cervejas 600 ml + serviço) e ficamos satisfeitos. O estabelecimento está de parabéns e com certeza posso recomendá-lo para os amigos sem pestanejar!
Conheci esse bar no ano passado (2012), durante o Comida di Buteco. Fazia muito frio, mas fomos até ele atrás do famoso pastel de feijoada que foi um dos ingredientes do prato concorrente. Sentamos na calçada, mas na parte fechada com o toldo. Eu que não gosto de feijoada me surpreendi...uma delícia!
O bar é bem agradável e, em pleno sábado a noite, estava lotado como era de se esperar. O atendimento é muito bom, o único problema era que de fora você não escuta a música.
Aproximadamente um ano depois, novo festival do Comida di Buteco e lá fomos nós provar o prato de 2013. A canjiquinha é muito gostosa e o torresmo delicioso, mas confesso que não está entre os melhores que provei este ano. É claro que não resistimos e pedimos a porção de 10 pastéis de feijoada aprovada da primeira vez (R$ 21,90). De olho no cardápio, marcamos de voltar após o festival para provar o atraente Cocoricor = asinhas de frango recheadas com Bacon e acompanham polentas crocantes.
Ah...como toda casa que tem Chopp Brahma Black, marcaram ponto nesse quesito também! rs
Barbirô, um boteco mais que consagrado na cidade de São Paulo, um boteco mineiríssimo referência na terra da garoa e que tem uma culinária de dar água na boca.

Acredito que o Barbirô tenha participado de todas as edições do antigo e finado Boteco Bohemia - de 2004 até 2009, sendo que em 2007 ele levou o prêmio de melhor atendimento, graças a empatia do casal de proprietários Fátima e Aguinaldo que comandam a gestão do bar com muita competência.

Embora a Heineken tivesse na promoção pague 4 leve 5, nós optamos pelo Chopp Brahma cremoso do Barbirô. No dia rolava um sambinha com o grupo Transachoro em um dos ambientes da casa, ideal para acompanhar a feijoada que o Barbirô oferece e que ainda não conhecíamos.

O tira gosto que estava concorrendo ao Comida di Buteco 2013 era o MINEIRÍSSIMA (R$ 23,90). Só pela foto já dá água na boca, então imagine ao vivo....

Trata-se de uma canjiquinha com costelinha de porco, linguiça e mandioca. Acompanha cesta de pães e pimenta, além de torresminho mineiro.....

O Barbirô "casou" o tira gosto com o clima frio na cidade no mês de Abril. A canjiquinha é caprichada e 1 porção comem 2 pessoas tranquilamente.

A ideia da bandeira mineira num prato chamado Mineiríssima foi sensacional, coisas do bom de papo Aguinaldo que parou um pouquinho para "prosear" com a gente um "bocadinho"....

O Barbirô já é um sucesso e a casa ainda conta com som ao vivo de quarta a sábado, o que deixa o bar bem agitado, principalmente depois das 20h. Mas o que mais nos agrada no Barbirô são petiscos como o Cocoricór, Pastelzinho de Feijoada com Torresmo (o verdadeiro pastel de feijoada), entre tantos outros... Não conhece nenhum deles? Não sabe o que tá perdendo...

Data da Visita: 20/04/2013

Simulação de gastos para 2 Pessoas:
R$ 23,90 (Tira Gosto: MINEIRÍSSIMA)
R$ 17,80 (CHOPP = 2 x R$ 8,90)
R$ 4,17 (10%)
TOTAL R$ 45,87
É um bar que surpreende pelo tamanho: parece pequeno e tal, mas se você vai até os fundos do lugar se surpreende pelo tamanho e pela quantidade de gente. O bar literalmente "faz uma curva" e, do outro lado, mais um balcão e espaço para mesas. Ah, e no dia em que fui tinha um grupo voz e violão.

Eu achei o bar bacaninha, mas normal - diferente de outras opiniões por aqui. Atendimento foi mais ou menos, mas a cerveja vinha geladíssima. Há uma prom que se você compra 04 heinekens a 5ª é de graça (o baldinho é mais ou menos R$ 25).

O ponto alto do bar são as porções de petiscos: gigantes! A de fritas serve facilmente 04 pessoas. Eu recomendo a porção de dadinhos de tapioca, que servem 3 pessoas e custou em média R$ 20 a R$ 30.

Por ser amplo, o lugar até seria bom para eventos pessoais - no caso, fui em um aniversário. O problema é que o bar se divide em dois longos corredores o que dificulta unir as mesas e fica tudo muito disperso. Fica a dica para darem um jeitinho lá ;-)

Mas,bom para uma breja gelada e petiscar algo.
Não curto muito repetir lugares aqui em São Paulo visto que temos uma infinidade de locais para conhecer, mas acabei vindo aqui de novo por insistência de amigos. A primeira experiência foi melhor que a segunda. Na vez em que eu conheci, fui em dia de semana, calminho, sem grandes agitações e até o famoso pastel de feijoada estava bem mais saboroso do que na segunda vez, em que o gosto da fritura estava bem mais presente.

Se você curte pimenta, peça a preparada pela casa que não irá se arrepender porque ela vem no capricho. Todos os demais itens que provamos na mesa - inclusive os pedidos por vegetariano - estavam muito bons, Os pedaços de torresmo eu dispensaria pela total falta de graça mesmo.

Podem me jogar pedras e me condenar, mas mesmo com calor, eu prefiro ficar em ambientes internos quando eles são bonitos e aconchegantes do que ficar em mesa ao ar livre. Se puder, vá ao andar superior mas tome cuidado se tomar uns gorós a mais porque a escada se torna mais perigosa que a da casa da Nazaré Tedesco. Se você conhece e já foi quase-vítima da mesma, sabe do que estou falando.

Teve um garçom que foi um tanto quanto grosseiro comigo e com meus amigos na segunda vez e que me marcou muito e que fez eu matar a minha recomendação em atendimento do lugar. Tudo porque pedimos para fechar a conta porque íamos para outro lugar e na última hora desistimos e resolvemos ficar por ali mesmo, consumindo mais. Motivo de muita alegria para a qualquer estabelecimento, não? Foi diferente no nosso caso quando pedimos para reabrir nossa conta. Quase estragou a nossa noite se não estivéssemos no clima do "deixa disso".

Preços padrões e se você quer fugir da Lei Seca, há estação de metrô (Paraíso) do lado. Curti muito também que tem música ao vivo (e das boas) em algumas ocasiões. Se você senta perto, paga couveart.
É um bar muito legal. Além de ser muito bem localizado (próximo ao metrô paraíso), o local oferece uma variedade de petiscos diferentes, como o pastelzinho de feijoada. As porções não são muito bem servidas, mas como o local é gostoso, você sempre acaba comendo algo para acompanhar a cervejinha. Lá também tem banda, geralmente de pop rock de sexta e sábado. Existe um lugar na parte de cima que é mais reservado pra quem quer comemorar o aniversário, pois exemplo. Você consegue conversar mais tranquilamente, pois a banda fica na parte de baixo. Aconselho ir não muito tarde, pois o local lota bastante.
Um amigo compartilha comigo um certo apreço por comida de boteco, por isso, decidi levá-lo ao Barbirô durante o festival Comida di Buteco.
Fomos num dia de semana e, como era de se esperar, o local estava bem vazio.
Fui seca no tal pastelzinho de feijoada (31,90 a porção com torresmo, e 21,90 a porção sem). Torcemos o nariz a princípio, mas não é que o danado é delicioso?!
Estava comentando com esse amigo que estava de olho em outra coisinha do cardápio, mas desanimava pedir mais alguma porção diferente, pois há quase um ano fiz redução de estômago e não conseguiria comer tanto, só experimentar. O garçom, que estava atento, me ofereceu 1/3 de porção e o preço equivalente. Quebrou meu galho! Tato sensacional.
De bebida, ficamos com algumas garrafas de Original e uma cachacinha mineira que não lembro o nome.
Com certeza, voltarei, e com mais pessoas, pra quebrar o galho do garçom rs.
O Bar Birô fica perto do metrô Paraíso. No primeiro momento você acha que a casa é pequena, mas é só uma impressão, o lugar é grande… dá pra ficar perto da música ao vivo ou um pouco longe para poder conversar um pouco mais sossegado. Ele é ornado com cachaças, namoradeiras, prêmios e reportagens sobre o bar… simples assim, e bonito. E um cheiro de vinho quente no ar que era o cartão de visitas.

Chegamos cedo e escolhemos uma mesa rapidamente, sem problemas. Olhamos o cardápio, analisamos todas as guloseimas, mas iniciamos os trabalhos com o prato concorrente do festival, o Água na Boca (Filézinho de alcatra à parmegiana, polenta frita, 4 bolinhas de mandioca 4 queijos, pasteizinhos de feijoada e molho ao sugo, patê de salsinha, barbecue e pimenta)… uau… nem sei por onde começo a descrição!!!!! O filé de alcatra estava bem tenro e molhadinho, e com bastante queijo, polenta crocante e sequinha, espetaculares bolinhas de queijos com a massa de mandioca muito saborosa e os pastéis bem recheados e muito gostosos… tudo isso acompanhado com os molhinhos muito bem feitos, principalmente o patê de salsinha e a pimenta que era de chorar. Tudo estava tão bom que comemos rapidinho, querendo comer mais!!

Depois pedimos porções de coxinhas e rissoles de carne que também estavam deliciosos, praticamente salgadinhos de festa de aniversário!

O atendimento sempre foi muito rápido e solicito, sem problemas… como deve ser .

E tem música ao vivo, no sábado rola um samba e pagode, pra curte é um prato cheio!
Faz um tempão que não vou no Barbirô, desde 2007, quando costumava almoçar e beber por lá na época do Etapa, mas me lembro bem que as experiências eram boas.

O almoço era muito bom. Eles ofereciam um self service por mais ou menos R$30/kg, com opções muito gostosas. O ambiente do bar também é muito aconchegante, principalmente o piso superior, com janelas grandes de vidro e decoração mais colonial. Sempre escolhia um lugar por lá. O único problema é que a fila no horário do almoço acaba ficando grande pro tamanho do bar, o que irrita um pouco.

Para ir beber com os amigos o bar também é uma boa, com uma grande variedade de cervejas e petiscos deliciosos, como os famosos pastelzinhos. Super recomendo!
Fui no Barbirô através de uma matéria que vi no SP TV sobre aquele concurso Comida di buteco (parecido com o nosso Tour de Coxinha) e lá experimentei o petisco"Pastelzinho de Feijoada" (um petisco bem diferente e muito gostoso).

Achei boa a programação musical da casa, era uma quinta com chuva,
mas a casa estva cheia e rolava uma banda de rock dos anos 60 ...


Os clientes lá na sua maioria são moradores, o bar é bem tradicional na região.

Estando por lá eu e meu amigos conhecemos um cliente bem diferente da casa, se sentindo em casa. E de fato estava !! hahha

Conversando com um garçom (são muito simpaticos) ele falou que este cliente dormia quando bebia... Não deu outro meia noite e pouco o cara apagou.
Neste momento o gerente chamou um garçon e pediu para levar o "cliente" para casa. Foi demais esta cena o cara mora ao lado do bar.

Descobri conversando masi um pouco que eles tem um tal de "tontoboy" para casos como este. De fato todo mundo de conhece por ali...
Já virou um dos meus "queridinhos" em São Paulo. O bar é uma delícia, tem dois andares, no de cima televisão para os amantes do futebol ou para quem quer se isolar um pouco da música ao vivo que rola embaixo, e que é de muita qualidade. No térreo muita agitação. Ou seja, lugares pra todos os gostos e comida pra todos os paladares. Os petiscos são deliciosos e não muito caros, indo em grupo grande o valor por pessoa fica por volta dos R$50,00. O bolinho de arroz e o bolinho de mandioca com recheio de quatro queijos foram os preferidos da noite. Pinã Colada deliciosa!
Pastel de feijoada com torresmo, 29,90, porção com 10 pastéis e umas 6 fatias de torresmo. Os pastéis eram bem saborosos, porém não muito sequinhos. Este é o carro chefe da casa. São vários tipos de petiscos, inclusive nos ofereceram os risóles de polenta com rabada. Uma cerveja original, garrafa de 600 ml por 7,80, suco de laranja, 4,80. O bar tem práticamente 3 andares, com umas mesas na calçada, embaixo de toldo e além do toldo, uma vez que a calçada é larga o suficiente para as mesas e pedestres. O lugar é frequentado por pessoas de várias idades, principalmente no happy hour, as mesas na calçada são bem disputadas apesar do barulho e movimento dos carros e ônibus. O serviço é bem atencioso, garçom muito simpático e sempre sorridente. Não é muito barato.
Exibindo de 1 a 14
Total de opiniões: 77

Nota geral Você conhece o Barbirô? Escreva uma opinião! Dê sua nota!
Passe o mouse pelas estrelas clique para dar nota

Opinião
Para enviar fotos ou preencher os campos adicionais, faça seu (Você não perderá a opinião escrita)