Bar Z Carniceria

Endereço: Rua Augusta, 934 , Consolação - São Paulo , SP - Brasil

Telefone:

(11) 2936-...

Clique para ver
Categoria:

Bares e Botecos

  | Rank: 21º de 1141
Preço por pessoa

Bom para
Happy hour, Drinques

Primeira opinião
g. lima
Formas de pagamento
Crédito:
Débito:

cash, credit card, debit card
Horário de funcionamento
Ter.
19h - 1h
Qua.
19h - 1h
Qui.
19h - 1h
Sex.
19h - 1h
Sáb.
19h - 1h
Dom.
19h - 23:59


Detalhes
  • Wi-fi


Como chegar
Favorito
Reservar mesa
Sou dono
Escrever opinião

Reportar problema
Como chegar - Traçar rota


http://br.kekanto.com/como-chegar/bar-z-carniceria
Notas específicas:
Ambiente
(36)
Comida
(32)
Público
(22)
Atendimento
(34)
Bebida
(24)
Custo-benefício
(24)
Dicas
Não funciona na segunda-feira
Lucas N.
Ótima opção na Augusta.
Ana H.
Vegetarianos, não se assustem. É muito bom e vale bem a pena, apesar do que parece!
Fernanda M.
Vá bem abonado, o lugar não é barato mas traz uma experiência única; boa para turistas
Carlos M.
Faça reserva
Raquel T.
Ver mais
Opiniões
O bar Z Carniceria foi o primeiro bar do coxinha Tour que fizemos através do Kekanto em 23/07/2014.
O bar é bem irreverente....diria até meio "filme de terror", meio trash...hehe
Antigamente, aonde hoje é o bar, existia um açougue e matadouro que foi desativado, e ao abrir o bar, a idéia foi manter essa porposta e fazer uma bar "junto" com o açougue e por isso toda a decoração é baseada nessa temática. Há várias peças penduradas nas paredes e espalhadas pelo bar, tais como ganchos, balanças, cabeças de gado, etc.

Quando chegamos ao bar, ainda não havia aberto e o pessoal estava lá organizando...isso por volta das 19h que foi a hora marcada para iniciar. Passado um tempo de espera começamos a adentrar ao bar e nos posicionar nas mesas. O local é bem escuro, o q dá um clima meio carregado, tendo em vista todos akeles artefatos meio sádicos no local.
Particularmente não gosto de lugares tão escuros, mas para a proposta do bar, é interessante.

Logo a coxinha chegou ,um potinho bem bonitinho com 8 mini coxinhas acompanhadas de um molho agridoce apimentado (porção a R$ 23,00). A coxinha vem espetada num palito de dente e parece mais um kibezinho do q uma coxinha.
Adorei....super crocante e fresquinha, com um catupiry tão gostoso que eu achei q fosse cream cheese, já q não sou muito fã de catupiry.
Achei deliciosa, mas prefiro que o "creme" esteja mais misturado ao recheio, pq senão a parte do frango fica meio seca....
Mas se vc comer a coxinha numa bocada só, acho q resolve o problema...rs.
A coxinha é bem pequena então é difícil sentir o sabor do frango, q é um cubinho dentro da coxinha, mas no geral gostei bastante.
Achei um pouco caro o valor da porção pelo tamanho, mas é o preço praticado.



O lugar é muito legal: com muitas coisas penduradas nas paredes (entre enfeites, correntes e bandeiras), além de pinturas temáticas e climão de meia luz, realmente nos lembra o que deveria ser um açougue - o que de fato foi, além de matadouro, nos idos dos anos 50.

O atendimento é atencioso e tive o prazer de provar as coxinhas campeãs do evento Kekanto: crocante e sequinha por fora, cremosa por dentro, vem no tamanho perfeito para devorar em apenas uma dentada - e ficar saboreando tudo por preciosos segundos. Uma delícia! Achei um pouquinho caro: R$23 a porçãozinha com 8 - mas está na média dos bares da área e vale cada centavo.
Um lugar bem bacana e exótico.

Você entra e se depara com uma decoração bem diferente, com objetos rústicos, chifres, tudo que lembra, como o nome do lugar, uma carniceiria.

Iluminação bem baixa, música de fundo rolando um rock'n'roll e blues completam o ambiente, bem descolado.

Experimentamos a coxinha e estava maravilhosa, uma das melhores que já comi. Recomendo!

Não tem estacionamento no local.
Lugar bom para ir com os amigos.

Conheci o Z Carniceria durante o "Best Of" Coxinha tour do kekanto, que visava escolher a melhor coxinha de São Paulo.
Cheguei cedo e pude "admirar" a decoração de fora... concluí que: se eu estivesse passando ali na frente, jamais teria pensado em entrar, ainda mais para comer... =P
A decoração é feita com objetos antigos, parecendo ter sido resgatados da casa da avó ou de algum brechó. Nada é padronizado, todas as mesas/ cadeiras são diferentes e as paredes são forradas com camisetas, quadros, cabeças de bichos, pele de cobra, o que dá um ar feio e empoeirado.
Eu particularmente odiei a decoração e acabei ficando com o estômago um pouco virado, então acho que nem consegui sentir o sabor da coxinha. Só sei que era bem pequena, servida em porções de 8. A casquinha estava crocante e o que parecia ser a massa (parecia, pq não tinha massa, coisa que eu adoooro) era apenas catupiry... Muuuuito catupiry e um cubinho de frango sem desfiar.
Eu achei diferente, mas não o melhor de São Paulo.
O que me conquistou foi a simpatia da cozinheira responsável pelos quitutes, que nos recebeu na porta.
Não conhecia este lugar antes do evento do Kekanto para avaliar as melhores coxinhas de São Paulo. O lugar assusta um pouco pela decoração, móveis antigos, misturados com todo tipo de quinquilharia: tem gaiola, pele de cobra, quadros antigos, fotos de antepassados tudo junto e misturado, mas o que eu não imaginava é que ali se encontrava uma das melhores coxinhas de São Paulo. Sim, a coxinha é muito boa, bem diferente pois parece não ter massa de tão fina que é e possui muito catupiry, o que a torna um ótimo e saboroso aperitivo. A massa é bem fininha e crocante, parece até que foi apenas "empanada". O recheio tem pouco frango e não é tão bem desfiado, então você consegue encontrar uns pedaços no meio. E o catupiry é farto. Não sei dizer quais mais temperos tinha, mas ela estava incrivelmente saborosa. A coxinha é servida em porçõezinhas de 8 coxinhas a R$23,00.
Tomando o lugar do que um dia foi o primeiro açougue e matadouro da Augusta, esse bar tem paredes que contam suas histórias. Não apenas as paredes mas todo o ambiente revela quantas histórias existem naquele lugar. Um pouco heavy principalmente para os vegetarianos de plantão, ganchos e cabeças para todos os lados.
Logo na entrada, há um sistema demorado de comandas individuais que irritou algumas pessoas que foram obrigadas a aguardar na fila do lado de fora no frio.
O ambiente é pequeno, escuro com um certo charme. Fomos muito bem atendidas e bem recepcionadas pela querida Cozinheria Dadá. Mestre da cozinha, nos contou toda a sua trajetória e como foi parar ali. Contou todo o processo de aprimoramento da sua coxinha e que garante ter chegado na receita ideal.
A famosa coxinha da Dadá vem em pequenas porções com 08 unidades por R$23,00. Pequena e cremosa, lembra uma mini coxa creme exceto por ser um pedacinho de peito de frango envolto em creme com acentuado sabor de catupiry e fina cobertura crocante. A coxinha é gostosa, mas R$2,90 por coxinha é praticamente um assalto. Mas elas são interessantes e ficam ainda melhores guarnecidas da geleia de pimenta que as acompanha.
Há outras opções de porções como o Bolinho Carniceiro, outra especialidade da Dadá.
O menu é bem completo com boas opções de porções, sanduíches e saladas.
Os drinks são deliciosos, vale a pena experimentar! O Penylane é uma boa escolha, conta com vodka, licor de lichia, purê de abacaxi e angostura. Sucesso! O chopp estava ok.
O cardápio é bem salgado mas muito atrativo. Vale a pensa conhecer o lugar.
O bar Z Carniceria tem um visual bem inusitado, combina bem com o público da Rua Augusta!! No atual endereço funcionou o primeiro açougue e matadouro da famosa rua, desativado há mais de 60 anos. Os proprietários pensaram em preservar a história do imóvel e incorporaram várias peças como ganchos e balanças à decoração da casa. No momento há uma exposição de desenhos do artista Miguel Anselmo nas paredes do Z. E foi com este clima de ganchos e arte que o pessoal do Kekanto invadiu o Z, sendo o terceiro estabelecimento visitado em nossa busca pela coxinha perfeita!!

A entrada no local foi um pouco morosa e feita apenas por um funcionário, aguardamos por vários minutos na fila. Não sei se isso foi feito de forma intencional, uma vez que muitos bares gostam de formar fila em suas portas para dar a impressão que a casa é muito procurada e está "bombando".

Assim que entramos, nosso grupo de 4 pessoas se instalou na primeira mesa do lado direito do bar. Uma funcionária nos falou que não podíamos ficar ali, que a mesa da "expedição coxinha" ficava do outro lado. Logo a Sheila do staff do Kekanto conversou com a mulher e nossa permanência na mesa foi autorizada. O ambiente estava muuuito escuro, não conseguíamos ler o cardápio. A luz do celular é que nos ajudou a ler! O bar serve muitos drinques e pratos rápidos. Como fomos até lá para experimentar a coxinha, não pedi outros pratos.

Logo a coxinha chegou à nossa mesa, na verdade uma porção com 8 mini coxinhas acompanhadas de um molho agridoce apimentado (porção a R$ 23,00). A coxinha vinha espetada num palito, tinha biquinho e estava crocante. Primeira coxinha da noite que tinha casquinha crocante! :) O recheio não me agradou muito, pois não gosto de coxinha com catupiry. Além do catupiry, tinha um cubinho de frango. O molho agridoce deu um toque todo especial à coxinha. Infelizmente o recheio não agradou e de 0 a 5 dou nota 3 para o quitute.

Não gostei muito do astral do lugar e nem do nome, será difícil voltar.
Dos 3 estabelecimentos participantes do 1 Tour da Coxinha, sem dúvida foi o melhor.
Porém, trata-se de uma coxinha gourmet, então náo será nenhum pouco comum vc ir ao estabelecimento apenas para apreciar a coxinha, o valor também não condiz muito com a porção, com certeza há outras opções melhores no cardápio.
A coxinha é um pedaço de mini-frango num palito de dente com catupiry, a porção é servida com 8 unidades.
O estabelecimento tem um nome mto curioso, assim como toda a decoração, indico como um ótimo lugar a ser conhecido, mas não indico a coxinha, com certeza pela qualidade do preparo, há muitas outras opções melhores.
O Bar Z Carniceria foi o primeiro local visitado no Coxinha Tour, evento realizado pelo Kekanto para eleger a melhor coxinha da cidade.

Já havia passado na frente do bar diversas vezes e sempre tive receio de entrar (achava assustador e sanguinário, tento em vista o nome e a decoração rústica, com diversos objetos cortantes pendurados e a meia luz vermelha...).

Logo na entrada do bar, fomos recebidos pela simpática Dada, responsável pelas deliciosas coxinhas. O ambiente deixa de ser assustador quando você repara nos detalhes, que cada objeto foi estrategicamente pendurado na parede. Tem até o desenho de um pasto cheio de vaquinhas e em uma delas a cabeça é de pelúcia (linda hahaha). O som ambiente estava bem gostoso, com rock clássico. Na TV estava passando o filme De volta para o futuro!

As coxinhas, motivo da visita ao bar, estavam sensacionais. São diferentes das coxinhas tradicionais que estamos acostumados (cheia de massa, com recheio de frango desfiado e uma miséria de catupiry). Ela era pequena, espetada num palito de dente, com uma fina camada crocante por fora, recheada de catupiry e lá no meio, um pequeno cubo de peito de frango. Elas vieram quentinhas, mas não ao ponto de queimar a língua. Quando terminei a primeira coxinha, já tive certeza que aquela seria, para mim, a melhor coxinha da cidade (pena que o resultado foi diferente =( ).

Dei uma rápida olhada no cardápio e eles possuem muitas outras opções de comidas que se forem feitas com o mesmo carinho que a coxinha, serão igualmente deliciosas.

O bar fica na Rua Augusta, então é bem fácil chegar utilizando ônibus ou metrô (pouco mais de 10 minutos desde a estação Paulista, da linha amarela). Ele não possui estacionamento próprio, mas na região existem várias opções.


Conheci o Z Carniceria rapidamente, na edição final do Coxinha Tour do Kekanto. O bar não é muito grande e achei o ambiente meio pesado, pois como o nome indica, tem decoração inspirada em um açougue, com ganchos de carne e luz vermelha.
A coxinha de lá foi eleita a melhor do centro de São Paulo e posso confirmar que é realmente muito boa, apesar de não ser uma coxinha tradicional! Explico: não tem formato de coxinha, há pouquíssima massa, muito catupiry e o recheio é com um cubinho de peito de frango e não com frango desfiado. São vendidadas em porção - 8 unidades por R$23.
Essa lanchonete é uma das modinhas da augusta por ser do grupo Vegas e estar localizado perto das outras casas. Passei para jantar tarde em um dia durante a semana e gostei do burguer chamado Todo Poderoso, que vem com um burguer de picanha bem gordo, alface, tomate, molho gorgonzola e fritas.

O ambiente aqui é bem escuro com o tema de carniceria mesmo, bem rústico e estranho. A decoração tem alguns pontos macabros tipo o Riviera, mas bem mais com cara de filme do jigsaw. Aqui tem entrada com consumação 100%, acho que era 20 ou 25 reais. Conseguimos uma mesa até que bem rápido, pois já era tarde (23h), mas estava quase lotado o local.
Ultima parada do coxinha tour aeaeae! Assim como os outros dois lugares visitados no tour, eu não conhecia o Z Carniceria de antemão, mas aqui pude avaliar melhor o ambiente já que ficamos mais tempo por ser a última parada.
Logo na entrada ja se pode ver que o bar é bem temático, tudo é ligado a carne, açougue, matadouro, assassinato (hahaha brincadeira!). Para entrar é preciso dar nome e telefone pra pegar a comanda (um cartão onde é marcado o que você consumir), o que torna a entrada lenta, demorou um tempo considerável pra entrar todo mundo. Por dentro, o ambiente é um pouco intimidador (talvez alguns considerem até meio assustador) com luz bem baixa e todas aquelas facas e bois nas paredes, mas eu gosto quando um lugar leva sua temática a sério, em todo o ambiente. A luz podia ser um pouco mais forte, era até difícil ler o cardápio de tão escuro que é o bar! Fora isso gostei da decoração e do clima do bar. O espaço é relativamente grande, não estava cheio, sentamos sem problemas.
Aqui pude avaliar melhor o atendimento porque além das coxinhas (motivo da visita e carro chefe da casa) pedimos também um chopp (heineken, única opção de chopp do bar) que veio rápido e bem gelado. Achei o atendimento ok, eficiente sem ser muito atencioso ou simpático (acho que nem combinaria uma garçonete mega sorridente naquele ambiente hahaha). Depois de provarmos as coxinhas, a chef que é responsável (a Dadá) veio até nossa mesa nos contar um pouco sobre como chegou na receita final da coxinha, super simpática e solícita, adorei!
Agora, o foco da visita, a famosa e muito premiada coxinha da Dadá! Logo que as coxinhas chegaram na mesa foi possível notar que seria uma experiência totalmente diferente das outras duas. As coxinhas são pequenas, daquelas que se come em duas mordidas, vendidas numa porção com 8 unidades (a R$23,00, caaaaro!) e vem cada uma com um palito de dente espetado. Acompanhando a porção vem uma geléia de pimenta, que segundo o pessoal da minha equipe deixa a coxinha ainda melhor, mas como eu não gosto de molhos e geléias em geral, não provei. Na primeira mordida a coxinha já surpreende, por baixo da casquinha crocante um único pedaço de frango envolto num creme e catupiri, não sei bem do que é feito mas é muuuito bom! É uma coxinha nada tradicinal, bem diferente de todas as outras, mas muito gostosa!
Segundo a dona Dadá, esse é o resultado final de uma série de tentativas e mudanças até chegar na coxinha ideal. Essa receita já foi, inclusive, considerada a melhor coxinha do mundo, também segundo a chef. Comparar com as outras coxinhas provadas no tour é meio díficil, pois essa foge completamente do que você procura quando quer comer uma coxinha. Portanto considero ela fora da disputa, apesar de ser muito saborosa. Considerando apenas sabor, recheio e massa eu daria nota 10 pra ela, é realmente muito gostosa. Mas não serve pra matar aquela vontade de coxinha hehe.
Você sabe o que é caviar? Nunca vi, nem comi eu só ouço falar... pois é, assim como diz a melodia do Zéca Pagodinho, não dá para falar daquilo que não conhecemos bem, então vamos falar da COXINHA... hehehehehehe...

Comecei com o refrão do sambinha matreiro do ilustre representante carioca por que este é um bar de um ilustre paulistano, o Timbira. Já ouviu falar dele? Ele também é proprietário de um outro estabelecimento muito descolado, o Caos e tem um programa no History Channel de nome homônimo.

Bem, voltando ao foco, o Bar Z Carniceria (Carniceria = açougue) como sugere o nome tem uma decoração sugestiva, se é que se pode dizer assim. É um ambiente rústico, cheio de ganchos de açougue pendurados e oxidados, cabeças de boi, machados, facas, facões, cutelos, enfim, tudo o que remete o ambiente sobrio (e porquê não dizer fantasmagórico) de um ambiente como este.

O atendimento deixou a desejar. Informal demais, alguns atendentes davam uma "forçada" em tentar serem íntimos, o que não foi legal e passou uma imagem de despreparo. Também não gostei de ter meus objetos retirados da mesa onde estava com minha noiva e uns amigos para outra próxima, para acomodarem outras pessoas. Achei uma atitude muito deselegante e feita sem nosso consentimento. Timbira, você precisa investir em treinamento de etiqueta de atendimento para o seu pessoal, véi... Pega mal para seu estabelecimento isso, fica a dica!

A casa possui drinks clássicos, como Dry Martini, Manhatan, Mojito, etc... todos na casa dos R$ 27,00. Provei o Manhatan com minha noiva, Vanessa, gostamos muito! E provamos a famosa coxinha da Dona Dadá (que não é o famoso feijão da Vicentina mas, tal qual a música, não precisa ser da Portela para saber que a coisa é divina). A coxinha, servida em porção de 8 unidades de degustação (ou seja, pequenas) tem um custo bem salgado... R$ 23,00 a porção, mas foi de longe a mais saborosa de todas.

Conversei com a cozinheira da casa, a famosa Dona Dadá. Simpatissíssima, agradabilíssima mas, não consegui arrancar dela o segredo de sua coxinha... hehehehehe... para mim, ficou parecida com a conhecida coxa creme (frango villeroy). Penso que não deva ser muito diferente disso. Ao meu ver, a famosa coxinha da Da. Dadá deveria ser maior, pois, de tão saborosa acaba muito rápido.

A coxinha constitui de um pedaço de frango temperado e cozido (provavelmente peito), passado por um molho de tomate, posteriormente por um vistoso molho de queijo/requeijão, então empanado e finalmente frito. Este é o meu palpite!

Achei caro demais, apesar de ser muito gostosa, mas, para valer o preço deveria dobrar o tamanho da porção.

De longe foi a melhor coxinha que provei do evento!

É um lugar diferente de tudo o que eu já frequentei, tem uma atmosfera punk, eu acho. Muito interessante!
Esta foi a ultima parada do evento "Coxinha Tour" do Kekanto e posso dizer que fechou com chave de ouro, o Z Carniceria é um lugar muito singular com um ambiente perturbador e curioso vou tentar falar um pouco mais do local mas o foco aqui continua sendo coxinha!

Localizado na Rua Augusta mais já pro lado underground desta rua, logo ao chegar na porta você percebe o que te espera lá dentro, uma vitrine com elementos de matadouro e uma maçaneta que é um cutelo gigante, o local tem uma iluminação um tanto macabra, e nas paredes há mais dos vários elementos de matadouro, com facões, cutelos, cabeças de boi empalhados e o que pra mim matou um pouco da decoração são elementos do corinthians mas vamos manter o foco no que é importante aqui que é o clima, tudo muito perturbador mas deliciosamente underground. As mesas são antigas em fórmica azul, banquinhos de madeira, tudo muito antigo e todo essa decoração não é por acaso, o local foi um antigo açougue e matadouro e o dono decidiu manter todos os elementos pra ter um bar temático por isso o nome Z Carniceria. O carro chefe do local são porções com carne seca mas um petisco que é muito divulgado e já ganhou prêmios, é a coxinha da Dona Dadá, a cozinheira responsável do local portanto vamos falar da estrela da resenha.

A coxinha é servida em pequenas porções com 8 coxinhas de R$23,00, preço extremamente salgado mesmo para o local, mas a coxinha, tem uma proposta diferente, é do tipo gourmet e não pode ser comparada as coxinhas tradicionais, sua massa é crocante e ao morder dissolve na boca, e seu recheio não tem o tradicional frango desfiado e sim uma espécie de cremilly muito saboroso em volta de apenas um cubinho de frango essa mistura na verdade é um segredo guardado a sete chaves pela Dona Dadá, a coxinha é maravilhosa mas não é pra qualquer bolso, recomendo mais como uma ocasião especial e não pra um happy hour qualquer mas não podemos dizer que é ruim, muito pelo contrário, é maravilhosa!

Em tempo, gostaria de demonstrar meu enorme apreço pela dona da receita da coxinha, a Dadá, ao final da degustação ela foi nos conhecer, contou um pouco de sua história e foi extremamente gentil em nos receber, se ao visitarem o local, puderem conhecê-la, não percam esta oportunidade!
Exibindo de 1 a 14
Total de opiniões: 60

Nota geral Você conhece o Bar Z Carniceria? Escreva uma opinião! Dê sua nota!
Passe o mouse pelas estrelas clique para dar nota
Título da opinião

Opinião
Para enviar fotos ou preencher os campos adicionais, faça seu (Você não perderá a opinião escrita)